Diferenças entre edições de "João de Patmos"

222 bytes removidos ,  23h19min de 19 de março de 2013
m
Revertidas edições por 187.101.27.149 para a última versão por Renato de carvalho ferreira, de 00h56min de 21 de janeiro de 2013 (UTC)
m (Revertidas edições por 187.101.27.149 para a última versão por Renato de carvalho ferreira, de 00h56min de 21 de janeiro de 2013 (UTC))
 
== Ilha de Patmos ==
Considera-se que João estivesse exilado em Patmos, vítima de um período de [[perseguição aos cristãos]] durante o [[Império Romano]]. Em {{citar bíblia|Apocalipse|1|9}} ele afirma: ''"Eu João, vosso ir irmão e companheiro na tribulação, no reino e na paciência em Jesus, estive na ilha que se chama Pátmos, por causa da palavra de Deus e por causa do testemunho de Jesus."'' [[Adela Collins]], uma teóloga na [[Universidade de Notre Dame]], escreveu:
{{citação2|A tradição mais primitiva afirma que João foi banido para Patmos pelas autoridades romanas. Esta tradição é crível por que o banimento era uma punição comum durante o período imperial para diversos tipos de ofensas. Entre elas estavam a prática da magia e da astrologia. A profecia era vista pelos romanos como estando nesta mesma categoria, seja ela pagã, judaica ou cristã. A profecia com implicações políticas, como a expressada no Apocalipse, seria percebida como uma ameaça à ordem e ao poder político romano. Três das ilhas nas [[Espórades (Grécia)|Espórades]] eram o destino dos perseguidos políticos (segundo a [[História Natural (Plínio)|História Natural]], de [[Plínio, o Velho|Plínio]], 4.69-70; e os "Anais", de [[Tácito]] 4.30)|Adela Collins|Verbete "Patmos", no Harper's Bible Dictionary<ref>Adela Collins. "Patmos." ''Harper's Bible Dictionary.'' Paul J. Achtemeier, gen. ed. San Francisco: Harper & Row, 1985. p755.</ref>}}
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
ição mais primitiva afirma que João foi banido para Patmos pelas autoridades romanas. Esta tradição é crível por que o banimento era uma punição comum durante o período imperial para diversos tipos de ofensas. Entre elas estavam a prática da magia e da astrologia. A profecia era vista pelos romanos como estando nesta mesma categoria, seja ela pagã, judaica ou cristã. A profecia com implicações políticas, como a expressada no Apocalipse, seria percebida como uma ameaça à ordem e ao poder político romano. Três das ilhas nas [[Espórades (Grécia)|Espórades]] eram o destino dos perseguidos políticos (segundo a [[História Natural (Plínio)|História Natural]], de [[Plínio, o Velho|Plínio]], 4.69-70; e os "Anais", de [[Tácito]] 4.30)|Adela Collins|Verbete "Patmos", no Harper's Bible Dictionary<ref>Adela Collins. "Patmos." ''Harper's Bible Dictionary.'' Paul J. Achtemeier, gen. ed. San Francisco: Harper & Row, 1985. p755.</ref>}}
 
== Ver também ==