Diferenças entre edições de "Campeonato Brasileiro de Futebol de 1974"

m
Baseada, então, no regulamento, em razão do incidente de invasão de campo na partida anterior no [[Mineirão]], a CBD, em comum acordo com os dirigentes do Vasco e do Cruzeiro determinou que a partida fosse disputada no [[Maracanã]]. Os mineiros tiveram de se contentar com a escalação de [[Wilson Piazza]] que teve um terceiro cartão amarelo não relatado pelo juiz na súmula, no jogo anterior, contra o Santos, e foram muito criticados pela imprensa local por estarem interessados na maior arrecadação com o público no Maracanã, e por isso aceitarem a decisão da CBD.
 
Durante a partida, os dois times apresentavam um futebol muito equilibrado. Apesar de o Cruzeiro ter um futebol mais técnico, o Vasco se mostrava bem no jogo. Mas o jogo se tornou um jogo nervoso e truncado, por conta de lances polêmicos protagonizados pelo juiz Armando Marques durante a partida. O Vasco abriu o placar com Ademir aos 14 minutos do primeiro tempo,após jogada ensaiada. O jogo seguia equilibrado, o Vasco teve sua chance ampliar o placar ainda na etapa inicial, em gol marcado por Jorginho Carvoeiro, mas anulado por alegado impedimento, configurando o primeiro de uma série de lances polêmicos do jogo. O Cruzeiro voltou melhor no segundo tempo, e o lateral direito [[Nelinho]] empatou a partida, num belo chute, aos 19 minutos do segundo tempo. Quando o Cruzeiro era melhor, [[Jorginho Carvoeiro]] foi lançado e colocou o Vasco na frente, aos 31 minutos do segundo tempo. O Cruzeiro ainda marcou o gol de empate, após jogada de linha de fundo, através do volante [[José Carlos Bernardo|Zé Carlos]], aos 43 minutos, porém o árbitro [[Armando Marques]] anulou o gol, em outro lance polêmico e muito reclamado pelos cruzeirenses. Ao final do jogo o juiz não deu nenhum acréscimo e encerrou a partida aos 45 minutos, fechando sua arbitragem com mais polêmica uma vez que os cruzeirenses reclamavam que o goleiro Andrada fizera a chamada "cera", retardando o jogo. Com um time que era marcado pela garra e não pela técnica, o Vasco se sagrou campeão sobre um poderoso Cruzeiro recheado de craques, em um jogo de muita polêmica em ambos os lados, antes mesmo dade a bola rolar.
 
{{footballbox
1 488

edições