Abrir menu principal

Alterações

8 bytes adicionados ,  03h25min de 17 de julho de 2014
De acordo com o Oxford Dictionary of Byzantium é Sinódico da Ortodoxia; a propósito, sinódico está dicionarizado.
[[FicheiroImagem:Triumph of Orthodoxy.jpg| thumb| direita| 250px| [[Ícone]] do Triunfo da Ortodoxia.]]
A '''Festa da Ortodoxia''' (também conhecida como '''Domingo da Ortodoxia''' ou '''Triunfo da Ortodoxia''') é celebrado no primeiro domingo da [[Grande Quaresma]] (seis domingos antes da [[Páscoa]]) no [[calendário litúrgico]] da [[Igreja Ortodoxa]] e da [[Igreja Católica Oriental]] (católicos de [[rito bizantino]]). A festa é mantida em memória da derrota final do [[iconoclasma]] e da restauração final dos [[ícone]]s às igrejas.
 
== História ==
{{Artigo principal|Iconoclasma}}
Apesar de os ensinamentos sobre os ícones definidos no [[Sétimo Concílio Ecumênico]] de 787 d.C., os [[iconoclastas]] começaram a causar problemas para igreja novamente. Após a morte do último [[imperador bizantino]] iconoclásta [[Teófilo (imperador)|Teófilo]], seu filho menor {{Lknb|Miguel|III, o Ébrio}} e sua mãe [[Teodora (esposa de Teófilo)|Teodora]], juntamente com o [[patriarca de Constantinopla]] [[Metódio I de Constantinopla|Metódio I]], convocaram um [[concílio de Constantinopla (842)|sínodo em Constantinopla]] em 842 para trazer novamente a paz para a Igreja. Ao final da primeira sessão, todos fizeram uma [[procissão]] triunfal da [[Igreja de Santa Maria de Blaquerna]] até [[Hagia Sofia]], restaurando os ícones às igrejas. Este evento ocorreu em 19 de fevereiro de 842 (que naquele ano era o primeiro domingo da Grande Quaresma), batizando o dia como "o Domingo da Ortodoxia" ({{politônico|ἡ Κυριακὴ τῆς Ὀρθοδοξίας}}).<ref>{{citar livro | editor =Henry R. Percival | título =Nicene and Post-Nicene Fathers, 2nd Series | place=Peabody, MA | editora =Hendrickson Publishers, Inc. | ano =1994| página =576 | volume =14: The Seven Ecumenical Councils | isbn =1-56563-130-7 | postscript =<!--None-->}}</ref>
 
O nome "Ortodoxia" gradualmente afetou o caráter da festa. Originalmente ela comemorava apenas a derrota do iconoclasma, mas foi se tornando gradualmente uma celebração mais ampla da oposição contra a [[heterodoxia]]. Neste sentido, ainda que a celebração original não tenha sido esquecida, a festa se tornou uma em honra da verdadeira fé em geral, como demonstrado pelo seu serviço litúrgico especial.
Após as [[Matinas|Orthos]] e antes da [[Liturgia Divina]], uma procissão é feita com os ícones para algum lugar pré-determinado (geralmente dentro da própria igreja). Enquanto isso, um [[cânon (hinografia)|cânon]] atribuído a [[São Teodoro Estudita]] é cantado.
 
Assim que a procissão chega ao local, o ''[[{{ilc|Sinódico da Ortodoxia|Synodicon]]'' da Ortodoxia}} (o decreto do sínodo em Constantinopla) é proclamado em voz alta pelo [[diácono]]. Este ''Synodion''sinódico começa com a memória de alguns [[santo]]s, [[confessor]]es e heróis da fé, ao que o público responde à cada nome: ''"Eterna Memória!"'' três vezes. Então se segue uma longa lista de [[heresia|herético]]s de todos os tipos, à cada qual o público responde: ''"[[Anátema]]!"'' uma vez ou três. Estas heresias compreendem todos os maiores oponentes da fé ortodoxa: [[arianismo|arianos]], [[nestorianos]], [[monofisitas]], [[monotelitas]], [[iconoclastas]] e assim por diante. Então vêm novamente o "Eterna Memória" para alguns imperadores mais piedosos a partir de [[Constantino]].
 
Inevitavelmente há diferenças entre as listas ortodoxa e católica oriental, assim como pequenas diferenças entre os ''Synodika''sinódicos de cada uma das igrejas nacionais. Os ortodoxos aclamam [[Fócio]], [[Miguel Cerulário]] e outros patriarcas anti-romanos e muitos imperadores. Eles amaldiçoam o [[papa Honório I]] entre os [[monotelitas]], adversários do [[hesicasmo]]. O ''Synodicon''sinódico utilizado pela Igreja Católica Oriental tende a omitir boa parte destes nomes.
 
O formato utilizado pela [[Igreja Ortodoxa Russa]] difere um pouco do utilizado pelos [[Igreja Ortodoxa Grega|Ortodoxos Gregos]]: durante a [[Império Russo|monarquia]], o [[Tsar|imperador]] e sua família eram aclamados e o "Eterna Memória" era proclamado para cada um dos membros da [[Dinastia Romanov]]; todos os que negavam o [[direito divino dos reis]] eram amaldiçoados juntamente com os que ''"ousavam provocar a insurreição e a rebelião contra ela"''. Na [[Igreja Ortodoxa Russa fora da Rússia]], anátemas adicionais contra o [[modernismo]] e o [[movimento ecumênico]] foram acrescentados.