Diferenças entre edições de "Enciclopedistas"

Sem alteração do tamanho ,  22h46min de 19 de abril de 2015
Mudei. oq esta agr 25 volume, pois algumas pessoas vieram e trocaram para 33. Mas podem confiar o 35 esta em minha apostila.
(ajustes)
(Mudei. oq esta agr 25 volume, pois algumas pessoas vieram e trocaram para 33. Mas podem confiar o 35 esta em minha apostila.)
[[Imagem:Louis-Michel_van_Loo_001.jpg|rigth|thumb|''[[Denis Diderot]]'', por [[Louis-Michel van Loo]], 1767, no [[Museu do Louvre]].]]
 
O [[enciclopedismo]] é um movimento filosófico-cultural originado do [[iluminismo]], desenvolvido na França e que buscava catalogar todo o conhecimento humano a partir dos novos princípios da razão na ''[[Encyclopédie]]'', uma obra monumental, que constava de 3335 volumes. Os [[filósofos]] e outros pensadores que participaram do enciclopedismo eram chamados de enciclopedistas.
 
A ''Encyclopédie'' foi editada por [[Denis Diderot]] e [[Jean le Rond d’Alembert]], com contribuições em artigos de [[Voltaire]], [[Montesquieu]], [[Jean-Jacques Rousseau|Rousseau]], [[Georges-Louis Leclerc, conde de Buffon|Buffon]] e do barão [[d´Holbach]]. As estritas [[leis]] da [[censura]] na [[França]] evitaram ataques diretos à [[Igreja]] e ao [[Estado]], mas estas duas instituições gêmeas eram tratadas na ''Enciclopédia'' com [[ironia]] e desdém. Um decreto de 1752 proibiu os primeiros volumes e, em 1759, a obra foi incluída no ''[[Index Librorum Prohibitorum]]'' (lista de livros proibidos aos [[Igreja Católica|católicos romanos]]), mas continuou a circular. Em 1776-1777 se publicou um suplemento de seis tomos. Acredita-se que as atitudes críticas fomentadas pela ''Enciclopédia'' contribuíram para a [[Revolução Francesa]].
Utilizador anónimo