Diferenças entre edições de "Custo"

27 bytes removidos ,  08h57min de 21 de abril de 2015
Correções ("fator de produção" não é o mesmo que "fato contábil")
(Correções ("fator de produção" não é o mesmo que "fato contábil"))
{{mais notas|data=outubro de 2011| arte=| Brasil=| ciência=| geografia=| música=| Portugal=| sociedade=|1=Este artigo ou secção|2=|3=|4=|5=|6=}}
No seu sentido mais geral, '''custo''' é o [[trabalho (economia)|trabalho]] necessário para a produção de [[bem (economia)|bens]] ou [[Serviço (economia)|serviços]].
No uso comum, '''custo''' é um desembolso financeiro de uma [[Pessoa (direito)|pessoa]] para outra, para pagar por um item ou serviço. Algo que parece custar muito é "caro". Algo que parece custam pouco é " barato". É a transformação ou registro de um [[bem de consumo|bem]] em outro.
 
O conceito de '''custo''' é muitas vezes confundido com os conceitos de [[preço]], [[despesa]] ou de desembolso financeiro. É comum dizer-se que, se um [[bem (economia)|bem]] ou [[serviço]] tem um preço alto, esse bem ou serviço "custa" muito caro.
 
==Economia==
Em economia, '''custo''' é o valora monetárioexpressão monetária do consumo ou desgaste de [[fator de produção|fatores]] quenecessários supõeà o exercício de uma [[atividade econômicaprodução]] destinada à produção de um [[bem (economia)|bem]] ou [[Serviço (economia)|serviço]].
 
Todo processo de produção de um [[Bem de consumo|bem]] supõe consumo ou desgaste de uma série de [[Fato contábil|fatores produtivos]]. O conceito de custo está ligado ao sacrifício incorrido para produzir esse bem. Todo custo contém um componente de subjetividade que toda valoração supõe.<ref name="Bueno">{{cita libro |apellidos= E. Bueno Campos- I. Cruz Roche- J.J. Durán Herrera |nombre= Economía de la empresa. Análisis de las decisiones empresariales |autor= |enlaceautor= |coautores= |editor=Pirámide |otros= |título= |url= |formato= |fechaacceso= |añoacceso= |mesacceso= |edición= |volumen= |fecha= |año= |mes= |editorial= Pirámide|ubicación= |idioma= |isbn= 84-368-0207-1|id= |páginas= |capítulo= |urlcapítulo= |cita= }} </ref>
 
==Contabilidade financeira==
Em [[contabilidade]], '''custos''' são medidas monetárias dos sacrifícios financeiros[[financeiro]]s com os quais uma [[organização]], uma pessoa ou um [[governo]] tem de arcar a fim de atingir seus [[objetivos]], sendo- consideradosa essesprodução ditosde objetivos, a utilizaçãoum debem um produto ou serviço qualquer paramediante a obtençãoutilização de outros [[bem (economia)|bens]] ou [[serviços]].
 
==Contabilidade gerencial==
A [[Contabilidadecontabilidade gerencial]] incorpora esses e outros conceitos econômicos para fins de elaborar Relatóriosrelatórios de Custoscustos, para de uso dados [[Gestão|Gestãogestores]], no [[processo Empresarialdecisório]]. <ref>
Ana Maria Lopes de Sá e Antonio Lopes de Sa, ''Dicionário de Contabilidade''. Atlas, 2009 ISBN 9788522453641</ref>
No Brasil, o Decreto-Lei 1.598/77, em seu artigo 14 determina que: '' o contribuinte que mantiver sistema de contabilidade de custo integrado e coordenado com o restante da escrituração poderá utilizar os custos apurados para avaliação dos estoques de produtos'', principalmente para fins fiscais.<ref>{{Citar web |url=http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del1598.htm |título=Presidência da República - Casa Civil - Decreto-lei n° 1.598, de 26 de dezembro de 1977 |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref><ref name=LC1>George S. G. Leone, '''CUSTOS: Planejamento, Implantação e Controle - Livro-texto''', atlas 2000 ISBN 9788522425358</ref><ref name=LC2> SCHIER, Carlos Ubiratan da Costa. ''Gestão de custos'', Editora Ibpex ISBN 8-587-05324-8</ref><ref name=LC3>Missagia, Luiz; Velter, Francisco. ''Contabilidade de Custos e Análise das Demonstrações Contábeis ''. Elsevier Brasil ISBN 8-535-26046-3</ref>
 
No Brasil, o Decreto-Lei 1.598/77, em seu artigo 14 determina que: '' o contribuinte que mantiver sistema de contabilidade de custo integrado e coordenado com o restante da escrituração poderá utilizar os custos apurados para avaliação dos estoques[[estoque]]s de produtos'', principalmente para fins fiscais.<ref>{{Citar web |url=http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto-lei/Del1598.htm |título=Presidência da República - Casa Civil - Decreto-lei n° 1.598, de 26 de dezembro de 1977 |língua= |autor= |obra= |data= |acessodata=}}</ref><ref name=LC1>George S. G. Leone, '''CUSTOS: Planejamento, Implantação e Controle - Livro-texto''', atlas 2000 ISBN 9788522425358</ref><ref name=LC2> SCHIER, Carlos Ubiratan da Costa. ''Gestão de custos'', Editora Ibpex ISBN 8-587-05324-8</ref><ref name=LC3>Missagia, Luiz; Velter, Francisco. ''Contabilidade de Custos e Análise das Demonstrações Contábeis ''. Elsevier Brasil ISBN 8-535-26046-3</ref>
== Custos sob a ótica da escrituração contábil==
 
'''Custos''' são gastos que a entidade realiza com o objetivo de por o seu [[produto (economia)|produto]] pronto para ser comercializado (fabricando-o ou apenas revendendo-o) ou de realizar um serviço contratado. Uma diferença básica entre custoe [[despesa]] é que "custo" traz um retorno financeiro e pertence à atividade-fim da entidade (determinada no seu contrato social, na cláusula do objeto). Já despesa é um gasto com a atividade-meio e não gera retorno financeiro, apenas propiciando um certo "conforto" ou funcionalidade ao ambiente empresarial.<ref>[http://revistas.utfpr.edu.br/pg/index.php/revistagi/article/view/80 Apreciação dos custos ocultos do processo sucroalcooleiro em uma usina de álcool na Paraíba]. Por João Batista de Freitas e Cosmo Severiano Filho.</ref><ref name=LC1 /><ref name=LC2 /><ref name=LC3 />
== Custo x despesa==
'''Custos''' são gastos que a entidade realiza com o objetivo deaté portornar o seu [[produto (economia)|produto]] pronto para ser comercializado (fabricando-o ou apenas revendendo-o) ou deaté realizar um serviço contratado. Uma diferença básica entre custoecusto e [[despesa]] é que "custo" traz um retorno financeiro e pertence à atividade- fim da entidade (determinada no seu contrato social, na cláusula do objeto). Já a despesa é um gasto com a atividade-atividades meio e não gera retorno financeiro, apenas propiciando um certo "conforto" ou funcionalidade ao ambiente empresarial.<ref>[http://revistas.utfpr.edu.br/pg/index.php/revistagi/article/view/80 Apreciação dos custos ocultos do processo sucroalcooleiro em uma usina de álcool na Paraíba]. Por João Batista de Freitas e Cosmo Severiano Filho.</ref><ref name=LC1 /><ref name=LC2 /><ref name=LC3 />
 
A razão para se classificar os [[gasto]]s correntes de uma entidade em '''despesas''' e '''custos''' é que o primeiro vai direto para o resultado do período. Já os custos irãodizem formarrespeito à formação de um estoque (na produção de umprodutos bemacabados) e, na suaà realizaçãosua (venda). Finalmente, serão finalmente levados ao resultado, o que poderápode levar meses ou até anos.
 
Custos industriais geralmente oncluemincluem: [[matéria prima]], [[energia]] consumida (eletricidade e combustíveis), água consumida, materiais industriais diversos, [[mão de obra]], [[depreciação]] dos itens imobilizados de produção, entre outros.
 
== Principais Métodos de Custeio ==