Abrir menu principal

Alterações

42 bytes removidos, 04h57min de 24 de dezembro de 2015
Retirei informação desnecessaria
O domínio dos nômades terminou no [[século XVI]], quando as armas de fogo permitiram aos povos sedentários controlar a região. Desde então, [[Rússia]], [[China]] e outras potências expandiram pela região e chegaram a assumir a maior parte da Ásia Central no [[século XIX]]. Após a [[Revolução Russa]] de [[1917]], a [[União Soviética]] retomou a maior parte da Ásia Central; [[Mongólia]] e [[Afeganistão]] só permaneceram nominalmente independentes, embora a Mongólia manteve-se independente, na prática, era um [[Estado satélite]] soviético e as [[invasão soviética do Afeganistão|tropas soviéticas invadiram o Afeganistão]] no final do [[século XX]]. As áreas soviéticas da Ásia Central se industrializaram e construirão uma grande infra-estrutura, mas também as culturas locais foram retiradas e houve centenas de milhares de mortes em programas de [[coletivização]] fracassados, além de um legado duradouro de [[conflito étnico|tensões étnicas]] e problemas ambientais.
 
Após o [[colapso da União Soviética]], cinco países da Ásia Central, ganharam independência - [[Cazaquistão]], [[Uzbequistão]], [[Turcomenistão]], [[Quirguistão]] e [[Tajiquistão]]. Nestes novos Estados grande parte do poder é detido por oficiais do antigo regime soviético que retem o poder como ditadores locais. Nenhuma dessas repúblicas pode ser considerada uma [[democracia]]. As outras regiões da Ásia Central são parte da [[República Popular da China]].na china a grande ocorencia moreu o boris
 
{{Referências}}