Abrir menu principal

Alterações

40 bytes removidos ,  19h25min de 16 de abril de 2016
m
Foram revertidas as edições de 187.106.231.184 para a última revisão de Vítor, de 02h09min de 14 de março de 2016 (UTC)
{{revisão}}
[[Ficheiro:MendenhallGlacierAlaska.jpg|right|thumb|[[Glaciar]] no [[Alasca]].]]
O termo '''era do gelo''' (também '''idade do gelo''', '''período glacial''' ou '''era glacial''') é utilizado para designar um período geológico de longa duração de diminuição da temperatura na superfície e atmosfera [[Terra|terrestres]], resultando na expansão dos [[manto de gelo|mantos de gelo]] continentais e polares bem como dos [[glaciar]]es alpinos. Ao longo de uma era do gelo prolongada ocorrem períodos com clima extra frio designados [[glaciação|glaciações]]. Em termos [[Glaciologia|glaciológicos]], o termo ''era do gelo'' implica a presença de extensos [[manto de gelo|mantos de gelo]] tanto no hemisfério norte como no hemisfério sul,<ref>J. Imbrie and K.P.Imbrie, ''Ice Ages: Solving the Mystery'' (Short Hills NJ: Enslow Publishers) 1979.</ref> e segundo esta definição encontramo-nos ainda numa era do gelo (pois tanto o [[Manto de gelo da Gronelândia|manto de gelo da Groenlândia]] como o [[Manto de gelo da Antárctida Ocidental|manto de gelo antártico]] ainda existem).<ref>J. Gribbin, ''Future weather'' (New York: Penguin) 1982.</ref>todo mundo conseguia ter acessos ao lugar PEPPA Coloquialmente, quando se fala dos últimos milhões de anos, ''a'' era do gelo refere-se ao mais recente período mais frio com extensos mantos de gelo sobre a [[América do Norte]] e [[Eurásia]]: neste sentido, a [[último período glacial|era do gelo mais recente]] atingiu o seu ponto alto durante o [[último máximo glacial]] há cerca de {{Formatnum:20000}} anos.
 
Coloquialmente, quando se fala dos últimos milhões de anos, ''a'' era do gelo refere-se ao mais recente período mais frio com extensos mantos de gelo sobre a [[América do Norte]] e [[Eurásia]]: neste sentido, a [[último período glacial|era do gelo mais recente]] atingiu o seu ponto alto durante o [[último máximo glacial]] há cerca de {{Formatnum:20000}} anos.
 
== Origem da teoria ==
A ideia de que os glaciares do passado haviam sido mais extensos que os actuais era algo percebido pelos habitantes das regiões alpinas da [[Europa]]: Imbrie e Imbrie (1979) citam um lenhador de nome Jean-Pierre Perraudin<ref>[http://www.museum-neuchatel.ch/expositions/Agla/Eiszeit-Neuchatel-Deutsch.pdf ''Die Eiszeit…'', Museum of Neuchatel, Switzerland, p. 3 (pdf 125 Kb)]</ref> falando a [[Jean de Charpentier]] sobre a antiga extensão do glaciar [[Grimsel]] nos [[Alpes Suíços]]<ref>Imbrie, John and Katherine Palmer Imbrie. ''Ice ages: Solving the Mystery''. Cambridge, Massachusetts: Harvard University Press, 1979, 1986 (reprint). ISBN 0-89490-020-X; ISBN 0-89490-015-3; ISBN 0-674-44075-7. p. 25</ref>. Macdougal (2004) afirma que o primeiro a ter tal ideia terá sido um engenheiro suíço chamado [[Ignaz Venetz]]<ref>Doug Macdougall, ''Frozen Earth: The Once and Future Story of Ice Ages'', University of California Press, 2004. ISBN 0-520-24824-4</ref>, mas não foi apenas uma pessoa que teve esta ideia.<ref>{{cite web
39 418

edições