Diferenças entre edições de "Teoria atômica"

Sem alteração do tamanho ,  22h06min de 1 de novembro de 2016
sem resumo de edição
A Teoria atômica havia sido proposta por filósofos, como [[Descartes]], antes dela ter uma base experimental. Havia, desde os tempos antigos, duas hipóteses sobre a composição da matéria: ou ela seria formada por partículas que não poderiam ser mais divididas, ou não haveria nenhum limite à divisibilidade da matéria. A primeira ideia costuma ser atribuída aos [[epicurista]]s, porém suas origens podem ser ainda mais antigas. A cosmogenia de [[Demócrito]] se baseia nesta ideia, que ele derivou de [[Leucipo]]. Segundo Daubeny, [[Mosco]], um fenício que floresceu antes da [[Guerra de Troia]], teria estas ideias, assim como as [[mônadas]] de [[Pitágoras]], cuja origem seria egípcia. Segundo Mr. Colebrooke, citado por Daubeny, os [[hindus]] também tinham, no passado, uma teoria atômica.
 
Pela teoria atômica de [[Epicuro]], não havia nada além de matéria e espaço, sendo a matéria formada por formas geométricas inquebráveis, de várias formas, como redondas, quadradas, com raios, etc, porém em uma quantidade finita de formas distintas. Estes átomos possuíam duas propriedades intrínsicasintrínsecas de movimento, uma tendência natural para descer e o movimento causado pelas suas colisões, que faria os átomos se afastarem. Além destes dois movimentos, segundo Epicuro, alguns átomos possuiriam um terceiro movimento, que os faria descer em trajetórias oblíquas ou curvas. Os sólidos seriam produzidos por estes átomos quando eles estivessem em forma compacta, porém líquidos, ceras, madeira ou vapor quando eles estivessem menos compactos.
 
A teoria atômica teve, como oposição, a [[teoria dos quatro elementos]] de [[Empédocles]], segundo a qual toda matéria é formada por [[terra (elemento)|terra]], [[ar (elemento)|ar]], [[fogo (elemento)|fogo]] e [[água (elemento)|água]], misturados em proporções distintas.
Richter, um químico prussiano, expandiu o trabalho de Wenzel, e colocou todas as substâncias químicas em uma única escala, medindo suas capacidades relativas de saturação de ácidos e bases, fazendo a química, que até então havia apenas sido uma ciência qualitativa, se tornar uma ciência quantitativa. O texto de Richer, publicado em 1792, se chamava ''Anfangsgrunde der Stoichiometrie''.<ref name="daubeny.p.31" />
 
O próximo passo foi dado por Mr. Higgins, que, em 1789, no trabalho entituladointitulado ''A Comparative View of the Phlogistic and Anti-Phlogistic Theories'', propôs que que a diferença entre o [[ácido sulfuroso]] e o [[ácido sulfúrico]] é que, no primeiro, uma partícula de [[enxofre]] se combina com uma partícula de [[oxigênio]], enquanto que no segundo, uma partícula de enxofre se combina com duas de oxigênio. Além disto, nos compostos de [[azoto]] e oxigênio, estes se combinam nas proporções de 1 para 1,2,3,4 e 5.<ref name="daubeny.p.33">[[Charles Giles B. Daubeny]], ''Introduction to the atomic theory'' (1831), ''Chapter II'', p.33 [http://books.google.com.br/books?id=6vlMHfisQGgC&pg=PA33 <nowiki>[em linha]</nowiki>]</ref>
 
== A teoria atômica de Dalton ==