Diferenças entre edições de "Constantino Ducas (general)"

Sem alteração do tamanho ,  03h17min de 3 de abril de 2017
m
Em 1154, como Manuel se preparava para guerrear contra {{lknb|Guilherme|II da Sicília}}, ele nomeou seu tio como comandante da frota bizantina e ordenou-o que prosseguisse para [[Monemvasia]], onde esperou mais reforços. Constantino, contudo, foi persuadido por seus astrólogos que se ele atacasse os sicilianos ele venceria. Desobedecendo as ordens imperiais, ele atacou uma frota siciliana muito maior que retornava de um [[raide]] contra o [[Egito fatímida]]. No confronto, os bizantinos foram derrotados e muitos de seus navios foram capturados. Seu irmão Nicolau conseguiu escapar com um punhado de navios, mas Constantino foi capturado e preso em [[Palermo]] até 1158, quando Manuel concluiu um tratado de paz com Guilherme.{{sfn|Varzos|1984|p=262–263}}
 
Em junho ou julho de 1166, Manuel incumbiu ele e [[Basílio Trípsico]] com a missão de reparar e fortificar as fortalezas de [[Zemun]], [[Belgrado]] e [[Nis]], bem como fortalecer a generalidade da fortalezafronteira do Império Bizantino com o [[Reino da Hungria]] ao longo do curso médio do [[Danúbio]]. Como parte deste processo, organizou o reassentamento de [[Branichevo (fortaleza)|Branichevo]].{{sfn|Varzos|1984|p=263}} A data de sua morte é desconhecida; sua esposa possivelmente morreu antes dele, pois é mencionada pela última vez em 1136.{{sfn|Varzos|1984|p=263–264}}
 
== Crianças ==