Abrir menu principal

Alterações

2 bytes removidos, 23h02min de 18 de junho de 2017
sem resumo de edição
 
===Tensões com seus colaboradores===
Basilisco havia confiado o apoio de algumas das mais importantes figuras da corte em sua oferta para alcançar o trono. No entanto, rapidamente perdeu a maioria deles. Primeiramente, Basilisco perdeu o apoio de sua própria irmã Verina, após a execução de Patrício, o [[mestre dos ofícios]]. Patrício era o amante de Verina, a imperatriz havia planejado elevá-lo ao posto imperial e se casar com ele: a própria revolta contra Zenão tinha sido organizada para tornar Patrício o novo imperador. Basilisco mandou matar Patrício, devido ao cargo político que ocupava era o candidato natural para derrubar o novo imperador, como consequência, mais tarde Verina conspirou contra Basilisco, por causa da execução de seu amante.<ref>Bury. De acordo com [[Cândido IsáurioIsauro]], depois da morte de Patrício, Verina fez intrigas a favor de Zenão, mas seu plano foi descoberto por Basílico, e somente a interseção de Armato salvou sua vida.</ref>
 
Além disso, Teodorico Estrabão, também se afastou do novo imperador, após ter sido um dos principais pilares da sua ascensão através do ódio pelo isauro Zenão. Basilisco havia elevado Armato seu próprio sobrinho, que segundo boatos foi também o amante da esposa de Basilisco, para o posto de mestre dos soldados, o mesmo que ocupava Estrabão. Por último, o apoio de Illo foi bastante instável, devido ao massacre dos isauros que Basilisco havia permitido.<ref name="smith" /><ref name="friell" />