Diferenças entre edições de "Ensino doméstico"

943 bytes adicionados ,  04h17min de 10 de setembro de 2017
m
Foram revertidas as edições de 201.20.102.82 para a última revisão de Editor D.S, de 03h08min de 10 de setembro de 2017 (UTC)
(No Brasil não nunca houve criminalização de pais que educarão os filhos em casa. está em curso no STF o Recurso Extraordinário n° 888.815 em que se discute a constitucionalidade da educação domiciliar.)
m (Foram revertidas as edições de 201.20.102.82 para a última revisão de Editor D.S, de 03h08min de 10 de setembro de 2017 (UTC))
O ensino doméstico é legalizado em vários países como [[Estados Unidos]], [[Áustria]], [[Bélgica]], [[Canadá]], [[Austrália]], [[França]], [[Noruega]], [[Portugal]], [[Rússia]], [[Itália]] e [[Nova Zelândia]] e proibido em países como a [[Alemanha]] e a [[Suécia]], onde é crime. A maioria dos países exige uma avaliação anual dos alunos que recebem educação domiciliar. Em inglês é chamado de ''Homeschooling''.
 
No [[Brasil]] é considerado [[crime]], previsto no artigo 246 do [[Código Penal]] e ocorre quando o pai, mãe ou responsável deixa de garantir a educação primária de seu filho. De acordo com o o juiz Leandro Cunha Bernardes Silveira, do [[Tribunal de Justiça do Estado do Espírito Santo]], a criminalização da conduta tem como principal objetivo coibir a prática e garantir que toda criança tenha direito à educação.<ref>[http://www.conjur.com.br/2013-out-20/criminalizar-abandono-intelectual-facilita-controle-evasao-escolar-juiz Criminalizar abandono intelectual facilita controle]. Consultor Jurídico, 20 de outubro de 2013.</ref> No [[Brasil]] o ensino é obrigatório entre os 4 e 17 anos. Os pais ficam responsáveis por colocar as crianças na educação infantil a partir dos 4 anos e por sua permanência até os 17 ([[Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional]]).<ref>[http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/04/05/lei-regulamenta-obrigatoriedade-de-matricula-na-rede-escolar-a-partir-dos-4-anos.htm Lei obriga pais a matricular crianças a partir dos 4 anos na pré-escola]. UOL, 5 de abril de 2013.</ref> O artigo 1.634 do [[Código Civil Brasileiro]] diz que compete aos pais, quanto aos filhos menores, dirigir-lhes a criação e a educação.<ref>[http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/2002/L10406compilada.htm Código Civil Brasileiro]</ref> O artigo 22 do [[Estatuto da Criança e do Adolescente]] (ECA) diz que aos pais incumbe o dever de sustento, guarda e educação dos filhos menores. E o artigo 55 do [[Estatuto da Criança e do Adolescente]] (ECA) diz que os pais ou responsáveis têm a obrigação de matricular seus filhos na rede regular de [[ensino]].<ref>[http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8069Compilado.htm Estatuto da Criança e do Adolescente]</ref>
No Brasil há controvérsias sobre o tema, ocasionado, sobretudo, pelas leis que regem a matéria onde algumas dão plena autoridade aos pais ou família (Constituição da República de 1988, Código Civil Brasileiro) e outras obrigam que a criança frequente uma escola reconhecida pelo governo por meio do MEC (ECA e LDBE). Entendendo que nossa sociedade é baseada na liberdade individual e, portanto a autoridade e responsabilidade na educação dos filhos é dos pais ou família, muitos apoiam o método de educação domiciliar. Por outro lado alguns entendem que para educar os filhos é necessário uma estrutura apropriada, convívio com crianças da mesma idade, um horário fixo e regular de, geralmente 25 horas por semana, e que o mestre seja alguém que recebeu um certificado ou diploma de uma universidade regulada e reconhecida pelo governo por meio do MEC.
 
Há um extenso debate entre educadores na sociedade sobre os benefícios dessa modalidade de educação.
206 264

edições