Diferenças entre edições de "Disco de vinil"

1 byte adicionado ,  22h52min de 18 de setembro de 2017
m
Desfeita(s) uma ou mais edições de Mr. Fulano, com Reversão e avisos
m (Foram revertidas as edições de 2804:14D:2A74:8AD5:D45C:E3E9:B307:1746 para a última revisão de DarwIn, de 22h25min de 1 de setembro de...)
m (Desfeita(s) uma ou mais edições de Mr. Fulano, com Reversão e avisos)
[[Imagem:33, 45 e 78 rotações.PNG|thumb|Diferenças entre os principais formatos de discos]]
 
Os [[disco de goma-laca|discos de goma-laca,]] de 78 rotações, foram substituídos pelo LP. Depois o [[CD]] tomou o lugar de destaque do LP, pois teve ampla aceitação devido sua praticidade, seu tamanho reduzido e som, aparentemente, livre de ruídos. A propaganda do CD previa o fim inevitável do LP, que é de manuseio difícil e delicado. Na verdade, décadas após a criação dos CDs os discos de vinil ainda não foram totalmente aposentados.
 
Entusiastas defendem a superioridade do vinil em relação às mídias digitais em geral (CD, DVD e outros). O principal argumento utilizado é o de que as gravações em meio digital cortam as frequências sonoras mais altas e baixas, eliminando [[harmônico]]s, [[eco]]s, batidas graves, "naturalidade" e espacialidade do som. Estas justificativas não são tecnicamente infundadas, visto que a faixa dinâmica e resposta do CD não supera em todos os quesitos as do vinil. Especialmente quanto se trata de nuances que nos sistemas digitais são simulados através de técnicas de ''dithering''.