Pamáquio de Roma: diferenças entre revisões

274 bytes removidos ,  25 de setembro de 2017
sem resumo de edição
|nome = São Pamáquio
|data_nascimento = {{séc|IV}}
|local_nascimento = ?
|data_morte = {{morte|||409}}
|local_morte = [[Roma]], [[Império Romano]]?
|legenda = São Pamáquio
|títulos = [[Senador romano]]
|data_beatificação =
|local_beatificação =
|beatificado_por =
|data_canonização =
|local_canonização =
|canonizado_por =
|atribuições =
|patrono =
|patrona =
|principal_templo =
|data_supressão =
|polêmicas =
|passagem =
|autor_passagem =
}}
'''Pamáquio de Roma''' ({{lang-la|''Pammachius''}}) foi um [[senador romano]] [[dulia|venerado como santo]].
== História ==
 
Pamáquio era um nobre e [[senado romano|senador]], membro da [[gente Fúria]]. Era primo de Marcela e parente de Melânia e Piniano.{{sfn|name=Mar663|Martindale|1971|p=663}} Quando jovem, frequentou escolas de [[retórica]] com [[São Jerônimo]], que seria seu amigo por toda vida. Em 385, se casou com Paulina, a segunda filha de [[Santa Paula]] e [[Júlio Toxócio]].{{sfn|Martindale|1971|p=675}} Ele provavelmente estava entre os ''viri genere optimi religione praeclari'' que em 390 denunciaram [[Joviano]] ao [[papa Sirício]] (segundo [[Ambrósio de Milão|Santo Ambrósio]]). Quando ele atacou o livro de Jerônimo contra Joviano por razões de prudência, Jerônimo enviou-lhe duas cartas (48-49) agradecendo-o. A primeira, reabilitando o livro, provavelmente já fora escrita com a intenção de ser publicada.{{sfn|name=Ba1913|Bacchus|1913}}
Ainda jovem, frequentou as escolas de [[retórica]] com [[Jerônimo de Estridão|São Jerônimo]]. Em 385, se casou com Paulina, a segunda filha de [[Santa Paula]].
 
Pamáquio é descrito por este tempo como um [[procônsul]]. Não é certo se esse título foi honorífico, ou se de fato ocupou tal ofício, mas se a segunda opção for verdadeira, os autores da ''[[PIRT]]'' sugerem que foi [[procônsul da África]]. Em 396, sua esposa faleceu sem crianças e deixou sua propriedade para ele.{{sfn|Martindale|1971|p=663; 675}} Com sua morte, Pamáquio, tornou-se [[monge]], ou seja, dedicou-se à [[vida consagrada]] e praticou obras de caridade (Jerônimo, ep. lxvi; [[Paulino de Nola]], ep. xiii).<ref name=Mar663 /> Em 399, escreveu com Oceano a Jerônimo pedindo que traduzisse a obra ''De Principiis'' de [[Orígenes]] e repudiando a insinuação de [[Rufino de Aquileia|Rufino]] de que Jerônimo concordava com as opiniões de Orígenes. O santo respondeu no ano seguinte (ep. lxxxiii-iv).<ref name=Ba1913 />
Ele estava provavelmente entre os ''viri genere optimi religione præclari'' que, em 390, denunciaram [[Joviano]] ao [[papa Sirício]] (de acordo com [[Ambrósio de Milão|Santo Ambrósio]]). Quando ele atacou o livro de Jerônimo contra Joviano por razões de prudência, Jerônimo enviou-lhe duas cartas<ref>{{citar livro|nome=[[Jerónimo de Estridão]]|título=Letter 48 |subtítulo= To Pammachius.|url=http://www.newadvent.org/fathers/3001048.htm|língua=inglês]}} e {{citar livro|nome=[[Jerónimo de Estridão]]|título=Letter 49 |subtítulo= To Pammachius.|url=http://www.newadvent.org/fathers/3001049.htm|língua=inglês]}}</ref> agradecendo-o. A primeira, reabilitando o livro, provavelmente já fora escrita com a intenção de ser publicada.
 
Em 401, Pamáquio recebeu os agradecimentos de [[Agostinho de Hipona|Santo Agostinho]] (ep. lviii) por uma carta que escrevera ao povo da [[Numídia]], onde tinha terras, exortando-os a abandonar o [[cisma donatista]]. Muitos dos comentários de Jerônimo sobre as [[Escrituras]] foram dedicados à Pamáquio. Dentre as obras de caridade de Pamáquio está a construção, em parceria com [[Santa Fabíola]], do hospício ou xenodóquio ([[caravançarai]]) em [[Porto (ancoradouro)|Porto]]<ref name=Mar663 /> para imigrantes pobres (Jerônimo, ep. lxvi, lxxvii). O sítio foi escavado e as escavações revelaram o plano e organização desse edifício singular. Salas e salões para os doentes e pobres estavam agrupados em torno dele. A [[Igreja de São João e Paulo]] em [[Roma]] foi fundada ou por Pamáquio ou por seu pai e, por isso, era conhecida como ''[[Titulus]] Pammachii''. Após sua morte em 409, Pamáquio passou a ser celebrado como santo e sua festa ocorre em 30 de agosto.<ref name=Ba1913 />
Com a morte de Paulina em 397, Pamáquio se tornou [[monge]], ou seja, ele se dedicou à [[vida consagrada]]<ref>{{citar livro|nome=[[Jerónimo de Estridão]]|título=Letter 46 |subtítulo= Paula and Eustochium to Marcella|url=http://www.newadvent.org/fathers/3001046.htm|língua=inglês]}}; [[Paulino de Nola]], Ep. xiii</ref>. Em 399, Pamáquio e Oceano escreveram à Jerônimo pedindo-lhe que traduzisse a obra ''"De Principiis"'' de [[Orígenes]] e repudiando a insinuação de [[Rufino de Aquileia|Rufino]] de que Jerônimo concordava com as opiniões de Orígenes. O santo respondeu no ano seguinte<ref>{{citar livro|nome=[[Jerónimo de Estridão]]|título=Letter 83 |subtítulo= From Pammachius and Oceanus|url=http://www.newadvent.org/fathers/3001083.htm|língua=inglês]}} e {{citar livro|nome=[[Jerónimo de Estridão]]|título=Letter 84 |subtítulo= From Pammachius and Oceanus|url=http://www.newadvent.org/fathers/3001084.htm|língua=inglês]}}</ref>. Em 401, Pamáquio recebeu os agradecimentos de [[Agostinho de Hipona|Santo Agostinho]]<ref>{{citar livro|nome=[[Agostinho de Hipona]]|título=Carta 58 |subtítulo= To My Noble and Worthy Lord Pammachius, My Son, Dearly Beloved in the Bowels of Christ, Augustine Sends Greeting in the Lord.|url=http://www.newadvent.org/fathers/1102058.htm|língua=inglês]}}</ref> por uma carta que ele escrevera ao povo da [[Numídia]], onde ele tinha terras, exortando-os a abandonar o [[cisma donatista]]. Muitos dos comentários de Jerônimo sobre as [[Escrituras]] foram dedicados à Pamáquio.
 
{{referências|col=2}}
Ele também construiu, juntamente com [[Santa Fabíola]]<ref>{{citar livro|nome=[[Jerónimo de Estridão]]|título=Letter 56 |subtítulo= From Augustine to Jerome (A.D. 394 or 395)|url=http://www.newadvent.org/fathers/3001056.htm|língua=inglês]}} e {{citar livro|nome=[[Jerónimo de Estridão]]|título=Letter 77 |subtítulo= To Oceanus|url=http://www.newadvent.org/fathers/3001077.htm|língua=inglês]}}</ref>, um [[hospício]] em [[Porto (Itália)|Porto]], na foz do [[Rio Tibre]] à margem oposta de [[Óstia Antiga]], para imigrantes pobres.
 
== Bibliografia ==
A igreja de [[Santi Giovanni e Paolo]] em [[Roma]] foi fundada ou por Pamáquio ou por seu pai e, por isso, era conhecida como ''[[Titulus]] Pammachii''.
 
{{Referênciasrefbegin|col=2}}
 
* {{Citar livro|sobrenome=Bacchus|nome=Francis Joseph|título=Enciclopédia Católica|ano=1913|local=Nova Iorque|editora=Robert Appleton Company|capítulo =St. Pammachius|capítulourl=https://en.wikisource.org/wiki/Catholic_Encyclopedia_(1913)/St._Pammachius|ref=harv}}
== Ligações externas ==
 
* {{1913CE|St. Pammachius}}
* {{Citar livro|sobrenome=Martindale|nome=J. R.|coautor=Jones, Arnold Hugh Martin; Morris, John|título=The prosopography of the later Roman Empire - Vol. I AD 260-395|local=Cambridge e Nova Iorque|capítulo=Pammachius|ano=1971|editora=Cambridge University Press|ref=harv}}
 
{{refend}}
 
[[Categoria:Santos do Império Romano]]