Abrir menu principal

Alterações

2 054 bytes removidos, 00h15min de 29 de dezembro de 2017
Desfeita a edição 50869564 de Sambando WP:SPAM e WP:COI
== História ==
[[Imagem:Carnaval de Rio - Don Quixote - ano 8, n°146, p. 8, 31 janvier 1907.JPG|right|thumb|290px||O Carnaval no Rio de Janeiro. As familias que aguentem bisnagas e outras cousas, 1907.<ref>''Don Quixote'', 31 jan. 1907, 8e ano, n°146.</ref>]]
Parece até mentira, mas o carnaval não é invenção brasileira.  Porém apesar  de sua origem ser remota à a Mesopotâmia, Grécia e Roma,  séculos antes do Brasil ter sido sequer descoberto, podemos afirmar com certeza que o Carnaval do Brasil é único e diferente de toda festa carnavalesca que acontece no mundo e, não por acaso, o mundo atribui ao carnaval do Brasil, o título de maior do planeta.<ref>{{citar web|URL = http://www.sambando.com/carnaval-do-brasil|título = Carnaval: o Brasil não inventou, mas adotou|data = |acessadoem = 18.02.2016|autor = |publicado = Portal Sambando: Acervo do Samba Brasileiro}}</ref>
 
Sua história remonta do período da Independência do Brasil, quando elite carioca decidiu se afastar do passado lusitano e incrementar a aproximação com as novas potências capitalistas. A cidade e a cultura parisienses passariam, portanto, a ser os parâmetros a guiar as modas e modos a serem importados.
 
[[File:Bola Preta.jpg|thumb|300px|[[Cordão da Bola Preta]], o mais antigo bloco de carnaval do Rio de Janeiro.]]
{{Anexo|Lista de escolas de samba e blocos carnavalescos do Rio de Janeiro}}
 
O Rio de Janeiro é a cidade que, podemos dizer, tem mais tradição quando o assunto é blocos de rua. Desde meados do século 19, as pessoas saiam às ruas na cidade maravilhosa para se divertir e pular o carnaval em qualquer tipo de organização (ou desorganização).<ref>{{citar web|URL = http://www.saraivaconteudo.com.br/Materias/Post/44021|título = Blocos de rua levam irreverência ao carnaval do Rio; história de um dos blocos será contada na Sapucaí|data = |acessadoem = 19.01.2015|autor = |publicado = }}</ref>
 
O carnaval de rua, foi introduzido no Brasil pelos portugueses conhecida como “Entrudo” onde uma série de brincadeiras, de toda espécie, era permitida. Após a independência do Brasil, em meados do século XIX, a sociedade carioca, resolveu criar o seu carnaval nos moldes franceses: bailes de máscaras frequentados pela burguesia carioca.<ref>{{citar web|URL = http://www.sambando.com/o-encanto-dos-blocos-de-rua|título = Blocos de rua do Rio de Janeiro e suas origens|data = |acessadoem = 05.01.2016|autor = Sambando.com|publicado = 05.01.2014}}</ref>
 
Porém este “carnaval glamuroso” da burguesia não reinaria sozinho. Para o restante da população, a festa de rua teria que continuar e o entrudo, com sua alegria espontânea crescia como uma oportunidade que grupos de negros das Congadas tinham para, se apresentar e mostrar a beleza da sua dança e cultura, que deu origem ao samba brasileiro. Assim a população carente formada por negros libertos e pequenos comerciantes portugueses,(conhecidos como Zé Pereiras), passeavam pelas ruas com suas danças, esbanjando aquela alegria espontânea e livre de padrões, capaz de causar inveja em qualquer "burguês mascarado".<ref>{{citar web|URL = http://www.sambando.com/o-encanto-dos-blocos-de-rua|título = Blocos de rua do Rio de Janeiro e suas origens|data = |acessadoem = 05.01.2016|autor = Sambando.com|publicado = 05.01.2014}}</ref>
 
Nos anos 30, o prefeito [[Pedro Ernesto (político)|Pedro Ernesto]] oficializou o Carnaval carioca. E a partir daí, a cidade passou a brincar também em grupos de categorias separadas, como blocos, ranchos, cordões, Zé Pereiras, corso e sociedades. Grupos mais organizados e com muitos participantes.<ref>{{citar web|URL = http://www.rio.rj.gov.br/web/portaldoservidor/exibeconteudo?id=4591165|título = Carnaval: uma história que não perdeu a empolgação|data = 17.02.2014|acessadoem = 19.01.2015|autor = |publicado = Prefeitura do Rio}}</ref>
151 242

edições