Prisão domiciliar: diferenças entre revisões

244 bytes removidos ,  29 de janeiro de 2018
m
Foram revertidas as edições de Farinha de Trigo para a última revisão de Moretti, de 23h16min de 30 de setembro de 2017 (UTC)
m (Foram revertidas as edições de Farinha de Trigo para a última revisão de Moretti, de 23h16min de 30 de setembro de 2017 (UTC))
Etiqueta: Reversão
{{ESR2|1=9 de fevereiro|marcação=20180209|assunto=|2=Página sem fontes que confirmem notoriedade. [[Usuário:Farinha de Trigo|Farinha de Trigo]] ([[Usuário Discussão:Farinha de Trigo|discussão]]) 20h20min de 29 de janeiro de 2018 (UTC)}}
{{Sem-fontes|data=setembro de 2017}}
{{PBPE2|'''Prisão domiciliar'''|'''prisão domiciliária'''}} é a detenção de alguém na residência, no caso de problemas de saúde, quando o presídio não dispõe do sistema [[médico]]. Pode ser aplicada como medida de prevenção, sob benefício do presidiário, no ambiente judicial quando o réu fica proibido de sair da sua residência até ser julgado, ou após seu julgamento, ou como medida de pena, em casos já julgados, após ter cumprido parcialmente essa pena em cadeia. Chama-se prisão domiciliar a permanência total do preso em sua residência, dai o nome jurídico, ou seja vinte e quatro horas diárias, durante a pena estabelecida.
33 026

edições