Diferenças entre edições de "Conquista normanda da Inglaterra"

21 bytes removidos ,  23h02min de 21 de abril de 2018
sem resumo de edição
|combatente1 ={{Flagicon|Noruega}} [[Noruega|Reino da Noruega]]<br>{{no flag}} Rebeldes anglo-saxões<br />{{no flag}} [[Ducado da Normandia]]
|combatente2 ={{Flagicon|Reino da Inglaterra}} [[Reino da Inglaterra]]
|comandante1 = {{Flagicon|Noruega}} [[Haroldo III da Noruega|Haroldo III]] <br />{{no flag}} [[Tostig GodwinsonTostigo]] <br />{{no flag}} [[Guilherme I de Inglaterra|Guilherme, o Conquistador]]
|comandante2 ={{Flagicon|Reino da Inglaterra}} [[Haroldo Godwinson|Haroldo II]]
}}
Em 1002, o rei [[Etelredo II de Inglaterra]] {{nwrap|r.|978|1016}} casou-se com [[Ema da Normandia|Ema]], a irmã de [[Ricardo II da Normandia]] {{nwrap|r.|996|1026}}.{{sfn|Williams|2003|p=54}} Seu filho [[Eduardo, o Confessor]], que passou muitos anos no exílio na Normandia, sucedeu ao trono inglês em 1042.{{sfn|Huscroft|2005|p=3}} Isto levou ao estabelecimento de uma poderosa participação normanda na política inglesa, já que Eduardo buscou apoio em seus antigos hospedeiros, trazendo cortesãos, soldados e clérigos normandos e nomeando-os a cargos de poder, particularmente na Igreja. Sem filhos e envolvido em conflitos com o formidável [[Goduíno, Conde de Wessex|Goduíno de Wessex]] e seus filhos, Eduardo também pode ter encorajado as ambições do duque Guilherme da Normandia ao trono inglês.{{sfn|Stafford|1989|p=86-99}}
 
Quando o rei Eduardo morreu no início de 1066, a falta de um [[herdeiro aparente]] levou a uma sucessão disputada em que vários candidatos reivindicaram o trono da Inglaterra. O sucessor imediato de Eduardo era o [[Conde de Wessex]], Haroldo Godwineson, o mais rico e poderoso dos aristocratas ingleses. Haroldo foi eleito rei pela ''[[Witenagemot]]'' da Inglaterra e coroado por [[Aldredo|Aldredo, Arcebispo de Iorque]], embora a propaganda normanda tenha alegado que a cerimônia teria sido realizada por [[Stigand]], o [[Direito canónico|não canonicamente]] eleito [[Arcebispo da Cantuária]].{{sfn|Higham|2000|p=167-181}}{{sfn|Walker|2000|p=136–138}} Haroldo foi imediatamente contestado por dois poderosos governantes vizinhos. O duque Guilherme alegou que o trono inglês lhe tinha sido prometido pelo rei Eduardo e que Haroldo tinha jurado estar de acordo;{{sfn|Bates|2001|p=73–77}} o rei Haroldo III da Noruega, conhecido como Haroldo Hardrada, também contestou a sucessão. Seu direito ao trono foi baseado em um acordo entre seu antecessor [[Magno I da Noruega]] e o rei inglês anterior, [[Hardacanuto]], pelo qual aquele que morresse sem herdeiro deixaria ao outro os tronos da Inglaterra e da Noruega.{{sfn|Higham|2000|p=188-190}}{{nota de rodapé|Hardacanuto era o filho do rei [[Canuto II da Dinamarca|Canuto, o Grande]] e Ema da Noruega e, portanto, era o meio-irmão de [[Eduardo, o Confessor]]. Ele reinou de 1040-1042 e morreu sem filhos.{{sfn|Keynes|2001|loc=cap "Harthacnut"}} O pai de Hardacanuto, Canuto, havia derrotado o filho de Etelredo, [[Edmundo II de Inglaterra|Edmundo, o Braço de Ferro]], em 1016 para reivindicar o trono inglês e se casar com a viúva de Etelredo, Ema.{{sfn|Huscroft|2009|p=84}} Após a morte de Hardacanuto em 1042, Magno começou os preparativos para uma invasão da Inglaterra, que só foi interrompida por sua morte em 1047.{{sfn|Stenton|1971|p=423–424}}}} Guilherme e Haroldo imediatamente começaram a reunir tropas e navios para invadir a Inglaterra.{{sfn|Huscroft|2005|p=12-14}}{{Nota de rodapé|Outros concorrentes mais tarde vieram à tona. O primeiro foi [[Edgar de Wessex|Edgar, o Atelingo]], sobrinho-neto de Eduardo, o Confessor, que era descendente patrilinear do rei [[Edmundo II de Inglaterra|Edmundo, o Braço de Ferro]]. Ele era filho de Eduardo, o Exilado, filho de Edmundo, o Braço de Ferro, e nasceu na Hungria, para onde seu pai fugiu depois da conquista da Inglaterra por [[Canuto II da Dinamarca|Canuto]]. Após o posterior retorno de sua família para a Inglaterra e a morte de seu pai em 1057,{{sfn|Huscroft|2009|p=96-97}} Edgar tinha de longe a mais forte reivindicação hereditária ao trono, mas tinha apenas cerca de treze ou catorze anos no momento da morte do Eduardo, Confessor, e com pouca família para apoiá-lo, seu pedido foi preterido pela ''Witenagemot''.{{sfn|Huscroft|2009|p=132-133}} Outro candidato foi [[Sueno II da Dinamarca]], que tinha uma reivindicação ao trono, como o neto de [[Sueno I da Dinamarca]] e sobrinho de Canuto,{{sfn|Stafford|1989|p=86-87}} mas ele não fez a sua oferta ao trono até 1069.{{sfn|Bates|2001|p=103-104}} Os ataques de [[Tostig GodwinsonTostigo]] no início de 1066 podem ter sido o início de uma investida ao trono, mas após a derrota nas mãos de [[Eduíno de Mércia|Eduíno]] e [[Morcar]] e a deserção da maioria de seus seguidores, ele jogou sua sorte com [[Haroldo III da Noruega|Haroldo Hardrada]].{{sfn|Thomas|2007|p=33–34}}}}
 
== Incursões de TostigTostigo e a invasão norueguesa ==
{{Artigo principal|Batalha de Stamford Bridge}}
[[Imagem:Bayeuxtapestrywilliamliftshishelm.jpg|thumb|135px|esquerda|''[[Guilherme I de Inglaterra|Guilherme, o Conquistador]]'', <small>representado na [[Tapeçaria de Bayeux]]</small>]]
No início de 1066, o irmão exilado de Haroldo, [[Tostig GodwinsonTostigo]], invadiu o sudeste da Inglaterra com uma frota que ele havia recrutado em [[Condado da Flandres|Flandres]], à qual mais tarde juntaram-se outros navios das [[Órcades]].{{nota de rodapé|Tostig, que tinha sido Conde da [[Northumberland|Nortúmbria]], foi expulso do cargo por uma rebelião do condado no final de 1065. Após o rei Eduardo ficar ao lado dos rebeldes, TostigTostigo foi para o exílio em [[Condado da Flandres|Flandres]].{{sfn|name=Sten580|Stenton|1971|p=578-580}}}} Ameaçado pela frota de Haroldo, TostigTostigo moveu-se para o norte e invadiu a Ânglia Oriental e [[Lincolnshire]], mas ele foi levado de volta a seus navios pelos irmãos [[Eduíno de Mércia]] e [[Morcar]] da [[Northumberland|Nortúmbria]]. Abandonado pela maioria dos seus seguidores, ele retirou-se para a [[Escócia]], onde passou o verão a recrutar novas forças.{{sfn|Walker|2000|p=144-145}}{{nota de rodapé|É dito que o rei da Escócia, [[Malcolm III da Escócia|Malcolm III]], fosse irmão jurado de TostigTostigo.<ref name=Sten580 />}} Haroldo passou o verão na costa sul com um grande exército e frotas à espera de Guilherme para invadir, mas a maior parte de suas forças eram milícias que precisavam participar de suas colheitas, então em 8 de setembro, o rei os dispensou.{{sfn|Walker|2000|p=144-150}}
 
Haroldo III invadiu o norte da Inglaterra no início de setembro, levando uma frota de mais de 300 navios que talvez tenham transportado {{fmtn|15000}} homens. O exército do rei foi ampliado pelas forças de Tostig, que emprestou seu apoio à reivindicação do rei norueguês ao trono. Avançando em [[Iorque]], os noruegueses ocuparam a cidade depois de derrotar um exército inglês do norte sob Eduíno e Morcar em 20 de setembro, na [[Batalha de Fulford]].{{sfn|Walker|2000|p=154-158}} Os dois condes tinham se apressado para envolver as forças norueguesas antes que o rei Haroldo pudesse chegar a partir do sul. Embora Haroldo Godwineson tivesse se casado com a irmã de Eduíno e Morcar, Edite, os dois condes podem ter desconfiado dele e temido que o rei fosse substituir Morcar por Tostig. O resultado final foi que as suas forças foram devastadas e permaneceram incapazes de participar no resto das campanhas de 1066, embora os dois condes tenham sobrevivido à batalha.{{sfn|Marren|2004|p=65-71}}
 
Haroldo III deslocou-se para Iorque, que se rendeu a ele. Depois de tomar reféns dos principais homens da cidade, em 24 de setembro os noruegueses se dirigiram a leste para a pequena vila de [[Stamford Bridge (East Riding of Yorkshire)|Stamford Bridge]].{{sfn|Marren|2004|p=73}} Provavelmente o rei Haroldo soube da invasão norueguesa em meados de setembro e correu para o norte, reunindo tropas por onde passou.{{sfn|name=Walk165|Walker|2000|p=158-165}} As forças reais provavelmente levaram nove dias para cobrir a distância de Londres a Iorque, numa média de quase 40 quilômetros por dia. Na madrugada de 25 de setembro, as forças de Haroldo chegaram a Iorque, onde ele ficou sabendo a localização dos noruegueses.{{sfn|Marren|2004|p=74-75}} Os ingleses, em seguida, marcharam sobre os invasores e os pegaram de surpresa, derrotando-os na [[Batalha de Stamford Bridge]]. Haroldo III da Noruega e TostigTostigo foram mortos, e os noruegueses sofreram perdas tão terríveis que apenas 24 dos 300 navios originais foram necessários para levar os sobreviventes. A vitória inglesa custou caro, tendo o exército de Haroldo sido deixado em um estado abatido e enfraquecido.{{sfn|Walker|2000|p=136–138}}<ref name=Walk165 />
== Invasão normanda ==
Os normandos cruzaram o [[Canal da Mancha]] até a Inglaterra alguns dias após a vitória de Haroldo sobre os noruegueses, em seguida à dispersão de sua força naval. Eles desembarcaram em [[Pevensey]], em Sussex, em 28 de setembro e ergueram um castelo de madeira em [[Hastings]], a partir do qual invadiram a área circundante.<ref name=Bates89 /> Isso garantiu suprimentos para o exército, e como muitas das terras da região eram ocupadas por Haroldo e sua família, enfraqueceu o adversário de Guilherme e tornou mais provável que ele atacasse para pôr fim à invasão.{{sfn|Marren|2004|p=98}}
 
Haroldo II, depois de derrotar seu irmão TostigTostigo e Haroldo Hardrada no norte, deixou grande parte de sua força lá, incluindo Morcar e Eduíno, e marchou com o resto de seu exército ao sul para lidar com a ameaça da invasão normanda.{{sfn|Carpenter|2004|p=72}} Não está claro quando Haroldo soube do desembarque de Guilherme, mas provavelmente foi enquanto estava viajando ao sul. Haroldo parou em Londres por cerca de uma semana antes de chegar em Hastings, por isso é provável que tenha tomado uma segunda semana para marchar ao sul, numa média de cerca de 43 quilômetros por dia,{{sfn|Marren|2004|p=93}} para os cerca de 320 quilômetros de Londres.{{sfn|Huscroft|2009|p=124}} Embora Haroldo tenha tentado surpreender os normandos, batedores de Guilherme relataram a chegada inglesa ao duque. Os eventos exatos que antecederam a batalha são obscuros, com relatos contraditórios nas fontes, mas todos concordam que Guilherme levou seu exército de seu castelo e avançou em direção ao inimigo.{{sfn|Lawson|2002|p=180-182}} Haroldo tinha tomado uma posição defensiva no topo da colina Senlac (atual [[Battle (East Sussex)|Battle, Sussex Oriental]]), a cerca de 10 quilômetros do castelo de Guilherme em Hastings.{{sfn|Marren|2004|p=99-100}}
 
O tamanho e a composição do exército de Haroldo não são dados de forma confiável em fontes contemporâneas, apesar de duas fontes normandas darem números de 1,2&nbsp;milhão ou {{fmtn|400000}} homens.{{sfn|Lawson|2002|p=128}} Historiadores recentes têm sugerido números entre {{fmtn|5000}} e {{fmtn|13000}} para o exército de Haroldo em Hastings,{{sfn|Lawson|2002|p=130-133}} mas a maioria concorda em um intervalo entre {{fmtn|7000}} e {{fmtn|8000}} soldados ingleses.{{sfn|Marren|2004|p=105}} Esses homens teriam sido uma mistura da ''fyrd'' (milícia composta principalmente de soldados de infantaria), e os ''[[Huscarl|housecarls]]'', ou soldados pessoais do nobre, que geralmente também lutavam a pé. A principal diferença entre os dois tipos era a sua armadura: os ''housecarls'' usavam armaduras mais bem protegidas do que a dos ''fyrd''. O exército inglês não parecia ter muitos arqueiros, embora alguns estivessem presentes.{{sfn|Gravett|1992|p=28-34}} Poucos indivíduos ingleses são conhecidos por terem estado em Hastings; os mais importantes eram os irmãos de Haroldo, [[Gurt]] e [[Leofivino]].<ref name=Grave21 /> Pode-se assumir que cerca de outros 18 indivíduos nomeados tenham lutado com Haroldo em Hastings, incluindo dois outros parentes.<ref name=Marren108 />{{nota de rodapé|Dessas pessoas nomeadas, oito morreram na batalha&nbsp;– Haroldo, Gurt, Leofivino, Goderico/Godrico, o xerife, Thurkill de Berkshire, Breme, e alguém conhecido apenas como "filho de Helloc".<ref name=Marren108 />}}