Diferenças entre edições de "Maria Paleóloga Cantacuzena"

108 bytes removidos ,  05h03min de 7 de maio de 2018
sem resumo de edição
|título =[[Imperatriz-consorte da Bulgária]]
|imagem =G bogdanov marija.jpg
|legenda =
|reinado = {{dtlink|||1269}} — {{dtlink|||1279}}
|outrostítulos =
|nome completo =Maria Paleóloga Cantacuzena
|antecessor =[[Irene Ducaina Lascarina|Irene Lascarina de Niceia]]
|sucessor =[[Irene Paleóloga (imperatriz da Bulgária)|Irene Paleóloga]]
|herdeiro =
|consorte =[[Aleixo File]]<br>[[Constantino Tico da Bulgária]]<br>[[Lacanas da Bulgária]]
|filhos ='''Com Constantino:'''<br>[[Miguel Asen II]]<br>'''Com Lacanas:'''<br>Filha de nome desconhecido
|pai =[[João Cantacuzeno (pincerna)|João Cantacuzeno]]
|mãe =Irene Paleóloga
|nascimento =
|cidadenatal=[[Império de Niceia]]
|morte =
|cidademorte =[[Império Bizantino]]
|sepultamento=
}}
'''Maria Paleóloga Cantacuzena''' ({{lang-bg|''Мария Палеологина Кантакузина''}}; {{langx|el|Μαρία Παλαιολογίνα Καντακουζηνή}}), conhecida também como '''Maria Cantacuzena''', foi uma princesa bizantina, sobrinha do imperador [[Miguel VIII Paleólogo]] e [[imperatriz-consorte da Bulgária]], casada com os ''[[tsarczar]]es'' [[Constantino Tico]] e [[Lacanas]].
 
== Família ==
Maria era a segunda filha de [[João Cantacuzeno (pincerna)|João Cantacuzeno]] e Irene Paleóloga, a irmã de Miguel VIII. De acordo com [[Jorge Paquimeres]], Maria era uma pessoa especialmente [[:wikt:pérfido|pérfida]] e [[:wikt:dissimulação|dissimulada]], exercendo uma poderosa influência sobre o povo e o clero de [[Constantinopla]]. Segundo ele, Maria apoiou o [[golpe de estado]] do tio e incitou-o a [[mutilação política na cultura bizantina|cegar]] o imperador legítimo, [[João IV Láscaris]], que era irmão da ''tsarina''czarina búlgara [[Irene Ducaina Lascarina|Irene]], a segunda esposa do ''[[tsarczar]]'' [[Constantino Tico Asen]].
 
== Imperatriz da Bulgária ==
A deposição e a posterior mutilação jovem [[imperador niceno]] João IV Láscaris por Miguel VIII depois da [[reconquista de Constantinopla]] em 1261 colocou Constantino Tico, do [[Segundo Império Búlgaro|Império Búlgaro]], cunhado do garoto, contra os bizantinos.
 
Depois da morte da ''tsarina''czarina Irene Lascarina em 1268, Constantino procurou se reconciliar com o imperador bizantino ao propor casar-se com uma [[Paleólogos|princesa paleóloga]] e a escolhida de Miguel foi sua sobrinha Maria. Ambos já haviam se casado antes: ela com [[Aleixo File]] e Constantino estava na terceira esposa. Como condição para o casamento, os portos do [[Mar Negro]] de [[Mesembria]] e [[Anquíalo]] deveriam ser entregues aos búlgaros como parte do [[dote]] da princesa.
 
Maria e Constantino se casaram em 1269. Porém, as disputas sobre a entrega do prometido dote azedaram a relação entre as potências. Maria percebeu que o comportamento do seu tio acabaria por minar sua posição na corte búlgara e, assim, ela propôs abertamente que o marido atacasse Miguel VIII. Os búlgaros se aliaram ao rei [[Carlos I da Sicília]], que já estava planejando uma campanha contra o [[Império Bizantino]] para restaurar o [[Império Latino]]. Miguel VIII respondeu casando sua filha [[:wikt:bastardo|bastarda]], [[Eufrósine Paleóloga]], com [[Nogai Khan]] da [[Horda Dourada]], que, já aliado dos bizantinos, saqueou a Bulgária em 1274.
 
Nos últimos anos de seu reinado, Constantino Tico ficou parcialmente paralisado depois de cair de um cavalo e sofria ainda de dores não especificadas. O governo estava firmemente nas mãos de Maria, que corou o filho deles, [[Miguel Asen II]], co-imperadorcoimperador logo depois que ele nasceu por volta de 1272. Ela controlou também as relações com os bizantinos na década de 1270 e articulou primeiro a submissão e depois o assassinato (por envenenamento) do [[déspota (título)|déspota]] [[Jacó Esvetoslau]] de [[Vidim]], um poderoso pretendente à coroa búlgara, em 1275: ela convidou-o a Tarnovo com promessas de adotá-lo e dar-lhe espaço no governo; quando ele chegou, foi proclamado como segundo filho de Maria numa cerimônia oficial conduzida pelo [[patriarca da Bulgária]] Inácio, mas morreu logo depois de retornar a Vidin. Segundo Paquimeres, ela teria sido a mandante.
 
=== Esposa de Lacanas ===
{{AP|Revolta de Lacanas}}
Depois de realizar campanhas militares caras e fracassadas, sofrer repetidos [[raide]]s [[Horda Dourada|mongóis]] e enfrentar uma economia em declínio, o governo de Maria estava a beira de um colapso quando uma revolta irrompeu em 1277. O que se sabe é que um criador de porcos (ou proprietário de uma fazenda de porcos) chamado [[Lacanas]] tornou-se o líder dos descontentes, atraiu muitos seguidores - cuja maioria seria presumivelmente formada por pessoas de baixa renda - e conquistou uma porção importante do território búlgaro. O ''tsar''czar Constantino lançou sua guarda contra os rebeldes, mas foi decisivamente derrotado e morto em sua biga, um feito que se atribui ao próprio Lacanas. Embora ele tenha conseguido controlar a maior parte do país, ele também teve que enfrentar uma feroz resistência, principalmente na capital, [[Tarnovo]], que continuava sob o comando de Maria e do filho Miguel Asen II.
 
As vitórias de Lacanas incomodaram o imperador Miguel VIII Paleólogo, que havia casado sua filha mais velha, [[Irene Paleóloga (imperatriz da Bulgária)|Irene]], com [[João Asen III]], um descendente direto da [[dinastia Asen|dinastia reinante na Bulgária]] que vivia na corte bizantina, e enviou tropas bizantinas para colocá-lo no trono. A invasão fez com que Lacanas e Maria Cantacuzena se aliassem através de um casamento entre os dois. Ele foi reconhecido como imperador em 1278 e jovem Miguel Asen II não foi deposto e nem deserdado. A decisão de Maria foi considerada "indecente" e "impura" pelos bizantinos, pois ela, uma descendente das famílias nobres dos [[Paleólogos]] e [[Cantacuzenos]], casou-se com um criador de porcos que, para piorar, havia assassinado seu marido. Miguel VIII declarou abertamente que Maria havia "desgraçado a família" e "destruído seu reino".