Abrir menu principal

Alterações

833 bytes adicionados ,  01h23min de 22 de agosto de 2018
Inseri informação sobre tokusatsu no Brasil.
Após o final da [[2ª Guerra Mundial]] com a vitória dos [[Aliados]] em 1945, houve uma enorme expansão nacionalista iniciada pelos [[Estados Unidos]], que aumentou consideravelmente a criação, divulgação e produção de [[herói]]s que exaltavam tal ideal, como [[Superman]], [[Mulher Maravilha]] e [[Capitão América]], entre outros. Acredita-se que o Japão, temendo que essa invasão de heróis ocidentais advindos da "nação da liberdade" (um manto sob o qual cobriam-se os heróis norte-americanos) se alastrasse pelo seu território, resolveu iniciar os primeiros projetos de criação de seus próprios "heróis"{{carece de fontes|data=junho de 2017}}. As primeiras produções ''tokusatsu'' de que se tem notícia foram os longas-metragens do monstro [[Godzilla]] (produzidos pela Toho), que fizeram muito sucesso na década de 50. Em [[1958]], a Toei Company deu início à produção do primeiro super-herói japonês da história: [[Gekko Kamen]] (traduzido como ''Máscara Luar''). A partir de então, o gênero começa a abranger também as séries televisivas e produções cinematográficas de super-heróis. Nos anos 60, o gênero passa por uma grande "onda", desencadeada pelas novas tecnologias da época (principalmente pela [[televisão a cores]]), num período em que a produção de heróis aumentou consideravelmente e diversas produtoras engajavam-se na criação de novas e variadas produções.
 
Em 1966, pelas mãos de Eiji Tsuburaya<ref>{{Citar periódico|ultimo=Souza|primeiro=Ivan de|data=2018-01-16|titulo=Eiji Tsuburaya: saiba tudo sobre o pai de Ultraman e Godzilla!|url=https://tokusatsu.blog.br/eiji-tsuburaya/|jornal=Toku Blog - o blog sobre tokusatsu|lingua=pt-BR}}</ref>, surge [[Ultraman]], herói que revolucionou o conceito de ''tokusatsu'' e desencadeou uma das maiores ondas produtivas, iniciando o sucesso dos chamados ''Kyodai Heroes'' (heróis gigantes), que invadiram a televisão japonesa até meados dos anos 70. Anos mais tarde, em [[1971]], a série [[Kamen Rider (1971)|Kamen Rider]], do famoso mangaká [[Shotaro Ishinomori]], ganha uma adaptação para a televisão, tornando-se um dos maiores sucessos da época e também "abrindo" uma nova franquia que, de certa forma, mostrava-se como uma antítese ao "modelo" dos heróis gigantes. Em [[1975]], estreia a série ''[[Himitsu Sentai Goranger]]'' ("Esquadrão Secreto Goranger"), que abre uma nova vertente no tokusatsu: o gênero [[Super Sentai]] (então chamado simplesmente de "Sentai"), que também fez grande sucesso e tornou-se uma franquia independente.
 
Ao longo do tempo, o gênero tokusatsu aumentou de forma considerável sua abrangência: atualmente, contempla não apenas as séries e filmes de super-heróis produzidas anualmente, mas também outras produções anteriormente não abrangidas (como as adaptações ''live-action'' de [[mangá]]s ou [[anime]]s, por exemplo).
 
== O Tokusatsu no Brasil ==
OA história do tokusatsu chegouno aoBrasil<ref>{{Citar periódico|ultimo=Souza|primeiro=Ivan de|data=2017-12-07|titulo=Afinal de contas, não há mais tokusatsu no Brasil?|url=https://tokusatsu.blog.br/tokusatsu-no-brasil/|jornal=Toku Blog - o blog sobre tokusatsu|lingua=pt-BR}}</ref> começou em [[1964]], com a exibição de [[National Kid]] pela [[TV Rio]]<ref>{{citar periódico|ultimo=Stefano |primeiro=Marcos |data=dezembro de 2010|titulo=13: mais que de sorte, esse era o canal líder de audiência|url= |periódico=Jornal da ABI |editora=[[Associação Brasileira de Imprensa]] |número=361 |páginas= |doi= |acessodata= }}</ref> e pela [[TV Record]],<ref>[http://www.culturajaponesa.com.br/?page_id=109 National Kid e a Sociedade Japonesa]</ref> logo em seguida, foi exibida pela [[Tv Globo]]<ref>{{citar web|URL=http://hqmaniacs.uol.com.br/National_Kid_classico_japones_de_volta_em_DVD_23299.html|título=National Kid: clássico japonês de volta em DVD|autor=Carlos Costa sobre release|data=25/11/2009|publicado=[[HQManiacs]]|acessodata=}}</ref> A série foi um sucesso de público (ao contrário de seu país de origem, em que foi um fracasso): porém, com a [[Regime militar no Brasil|ditadura militar da época]], a série foi submetida à censura prévia e posteriormente cortada.
E ainda nos anos 60 viriam dar as caras na TV Brasileira mais séries japonesas como [[Vingadores do Espaço]] ( [[TV Bandeirantes ]]),[[Ultra Q]] ( [[TV Bandeirantes ]]), [[Ultraman]] ([[TV Bandeirantes ]]), [[Kaijū Ōji|Príncipe Dinossauro]] ([[TV Bandeirantes ]]) e depois exibido na [[TV Record]] no começo da década seguinte.
 
 
=== Histórias em quadrinhos ===
Embora muitos personagens de tokusatsus tenham surgido ou tido versões em mangá, nenhuma dessas histórias originais haviam sido publicadas no país. Contudo, tivemos gibis de tokusatsu<ref>{{Citar periódico|ultimo=Souza|primeiro=Ivan de|data=2018-05-05|titulo=Gibis de heróis japoneses: conheça todos que foram publicados no Brasil!|url=https://tokusatsu.blog.br/gibis-de-herois-japoneses/|jornal=Toku Blog - o blog sobre tokusatsu|lingua=pt-BR}}</ref> lançados por aqui! o primeiro personagem a ter sua versão em quadrinhos foi [[Spectreman]] pela [[Bloch Editores]], com histórias ilustradas por Eduardo Vetillo, a revista não possuía licença da P-Productions e era produzida no estilo dos [[comics]] de [[super-herói]]s teve 30 edições publicada entre 1982 e 1986.<ref>{{Citar periódico
| autor = Fransério Rodrigues
| data =
11

edições