Abrir menu principal

Alterações

latinismo em itálico; WP:LE/NQ; concordância nominal; correta tradução de táxon; e removida metalinguagem
'''''Paraceratherium''''' (na forma [[aportuguesamento|aportuguesada]], '''paraceratério''') é um [[Género (biologia)|gênero]] extinto de [[Rhinocerotoidea|rinocerontes]] sem [[cornos]], e um dos maiores [[mamíferos]] terrestres que já existiram. Viveu durante o período [[Oligoceno]], entre 34 e 23 milhões de anos atrás, e seus restos foram encontrados na [[Eurásia]], entre a China e os [[Bálcãs]]. É classificado como um membro da família [[Hyracodontidae]] e da subfamília [[Indricotheriinae]]. ''Paraceratherium'' significa "próximo da besta sem corno", em referência ao gênero ''[[Aceratherium]]'', onde a [[espécie-tipo]] ''P. bugtiense'' foi originalmente classificada.
 
O tamanho exato dos paraceratérios é desconhecido por conta da incompletude dos fósseis. Estima-se que seu peso tenha sido no máximo 15 a 20 toneladas (33 000{{fmtn|33000}} a 44 000{{fmtn|44000}} libras); a altura do ombro foi cerca de {{converter|4.8|metro|pé|o=e}}, e o comprimento cerca de {{converter|7.4|metro|pé|o=e}}. As pernas eram longas e pareciam pilares. O longo pescoço suportava um crânio que tinha cerca de {{Converter|1.3|m|pé|o=e}} de comprimento. Tinham grandes [[incisivo]]s que pareciam presas e incisões nasais que sugerem que tinham um lábio superior [[preênsil]] ou uma [[probóscide]]. O estilo de vida dos paraceratérios pode ter sido similar ao de grandes mamíferos modernos existentes como o [[elefante]] e rinocerontes. Por conta de seu tamanho, teriam poucos predadores e uma taxa baixa de reprodução. Era um animal herbívoro com uma [[folívoro|dieta de folhas]] e arbustos relativamente tenros,<ref name=":0" group="nota">Esta nota tem a função deSalienta-se salientaraqui a diferença de dieta entre alguns herbívoros ruminantes. Esses animais alimentavam-se de folhas e arbustos relativamente tenros, em contraste com os animais que se alimentam principalmente de pasto. Em inglês, existem os termos ''browser'' e ''grazer'', que referem-se especificamente a essa diferença.</ref> comendo muitas folhas, plantas tenras e arbustos. Viviam em ''habitats'' que variavam de desertos áridos com algumas árvores dispersas a florestas subtropicais. As razões para a extinção destes animais são desconhecidas, mas vários possíveis fatores foram propostos.
 
A [[taxonomia (biologia)|taxonomia]] do gênero e das espécies dentro dele tem uma história longa e complicada. Outros gêneros de indricotérios do Oligoceno, como '''''Baluchitherium''''', '''''Indricotherium''''', e '''''Pristinotherium''''', foram nomeados, mas nenhum espécime completo existe, tornando comparações e classificações difíceis. A maioria dos cientistas modernos consideram esses gêneros sinônimos júniorjuniores de ''Paraceratherium'',<ref group="nota">Sinônimo júnior, em taxonomia, é um sinônimo publicado quando já havia um taxón[[táxon]] válido, um sinônimo sênior.</ref> e que contém pelo menos quatro espécies discerníveis; ''P.&nbsp;bugtiense'', ''P.&nbsp;transouralicum'', ''P.&nbsp;lepidum'', e ''P.&nbsp;huangheense''. A espécie mais profundamente conhecida é ''P.&nbsp;transouralicum'', então a maior parte das reconstruções do gênero baseiam-se nela. Diferenças entre ''P.&nbsp;bugtiense'' e ''P.&nbsp;transouralicum'' podem ser devidas ao [[dimorfismo sexual]], o que as tornariam a mesma espécie.
 
== Taxonomia ==
97 722

edições