Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
 
== Tokusatsu no Brasil ==
O tokusatsu chegou ao Brasil em [[1964]], com a exibição de [[National Kid]] pela [[TV Rio]]<ref>{{citar periódico|ultimo=Stefano |primeiro=Marcos |data=dezembro de 2010|titulo=13: mais que de sorte, esse era o canal líder de audiência|url= |periódico=Jornal da ABI |editora=[[Associação Brasileira de Imprensa]] |número=361 |páginas= |doi= |acessodata= }}</ref> e pela [[TV Record]],<ref>[http://www.culturajaponesa.com.br/?page_id=109 National Kid e a Sociedade Japonesa]</ref> logo em seguida, foi exibida pela [[Tv Globo]]<ref>{{citar web|URL=http://hqmaniacs.uolhqmeditora.com.br/National_Kid_classico_japones_de_volta_em_DVD_23299.html|título=National Kid: clássico japonês de volta em DVD|autor=Carlos Costa sobre release|data=25/11/2009|publicado=[[HQManiacs]]|acessodata=}}</ref> A série foi um sucesso de público (ao contrário de seu país de origem, em que foi um fracasso): porém, com a [[Regime militar no Brasil|ditadura militar vigente na época]], a série foi retirada do ar pela censura federal em [[1970]]. Ainda na [[década de 1960]], outras séries tokusatsu chegaram ao Brasil como ''[[Vingadores do Espaço]]'', ''[[Ultra Q]]'' e [[Ultraman]] na [[TV Bandeirantes]], [[Kaijū Ōji|Príncipe Dinossauro]] ([[TV Bandeirantes ]]) e depois exibido na [[TV Record]] no começo da década seguinte.
 
Na década seguinte, [[Esper]] chega à [[TV Gazeta]] e [[Ultraman]] passa a ser exibido pela [[Rede Tupi]] junto com outras duas séries da mesma franquia, [[Ultraseven]] e [[O Regresso de Ultraman]], onde fizeram sucesso. Além deles, séries como [[Vingadores do Espaço]] e [[Giant Robo (franquia)|Robô Gigante]] também foram exibidas pela Tupi.
Em Maio de 2015, foi anunciado que a Sato Company teria assinado com o serviço de streaming [[Netflix]] para exibir as séries Jaspion, Changeman, Flashman, Jiban, Jiraiya, National Kid, Black Kamen Rider e a inédita [[Garo (série de televisão)|Garo]].<ref>{{citar web|URL=http://omelete.uol.com.br/series-tv/noticia/netflix-deve-exibir-jaspion-changeman-flashman-jiraiya-e-outras-series-japonesas/|título=Netflix deve exibir Jaspion, Changeman, Flashman, Jiraiya e outras séries japonesas|autor=Marcelo Hessel|data=25/05/2015|publicado=[[Omelete (site)|Omelete]]|acessodata=}}</ref>
 
Em Julho do mesmo ano, a [[Editora JBC]] anunciou o [[mangá]] ''Ultraman'', roteirizado por Eiichi Shimizu e ilustrado por Tomohiro Shimoguchi, publicado desde 2012 na revista Monthly Hero’s da editora [[Shogakukan]], o mangá conta a história de um novo Ultraman, Shinjiro Hayata, filho de Shin Hayata, o Ultraman original.<ref name="ultraman"/> Entre setembro e novembro do mesmo ano, os cinemas do [[Grupo PlayArte]] exibem o "Festival Tokusatsu", uma parceria entre Grupo PlayArte, [[Sato Company]] e [[Focus Filmes]], sendo exibidos as séries Jaspion, Jiraiya, Flashman, Jiban, e filmes das franquias Ultraman: Ultraman Mebius & 6 Irmãos Ultra – Yapool Ataca!, Ultraman Mebius & 8 Irmãos Ultra - A Grande Batalha Decisiva e Ultraman - O Filme: Mega Batalha na Galáxia Ultra, e [[Rurouni Kenshin]]: [[Rurouni Kenshin (filme)|Samurai X - Rurouni Kenshin: O Filme]], [[Rurouni Kenshin: Kyoto Taika-hen|Samurai X - Rurouni Kenshin: O Inferno de Kyoto]] e [[Rurouni Kenshin: Densetsu no Saigo-hen|Samurai X: O Fim de uma Lenda]].<ref>[http://hqmaniacs.uolhqmeditora.com.br/Festival_Tokusatsu_da_PlayArte_52040.html Festival Tokusatsu da PlayArte]</ref>
 
Em julho de 2016, foi anunciado que as séries Jaspion, National Kid e Jiraiya seriam exibidas por um novo serviço de streaming, o Wow!Play,<ref>[https://omelete.uol.com.br/series-tv/noticia/wowplay-servico-de-streaming-nacional-tem-foco-em-animes-e-tokusatsu-sera-lancado-esta-semana/ Wow!Play - Serviço de streaming nacional com foco em animes e tokusatsu será lançado esta semana]</ref> pertencente a Sato Company, em fevereiro de 2017, a distribuidora lança um canal no [[Youtube]] que transmite episódios das séries.<ref>[http://natelinha.uol.com.br/noticias/2017/02/13/distribuidora-lanca-canal-no-youtube-com-integras-de-classicos-japoneses-105452.php Distribuidora lança canal no YouTube com íntegras de clássicos japoneses]</ref>
| acessadoem =
| aspas =
}}</ref> Em 1989, a Editora Brasil-América Limitada, mais conhecida como [[EBAL]]<ref name="hq">{{Citar web|data=2018-02-22|titulo=Jaspion 30 anos - A HQ nacional esquecida do herói que marcou época nos anos 90|url=https://omelete.com.br/quadrinhos/artigo/jaspion-30-anos-a-hq-nacional-esquecida-do-heroi-que-marcou-epoca-nos-anos-90/|publicado=Omelete|lingua=pt-BR}}</ref> lança uma revista com adaptações oficias de tokusatsus da Toei produzida pelo Studio Velpa, começando por Jaspion e Changeman, com roteiros de Ataíde Braz e arte de Roberto Kussumoto,<ref>{{citar periódico|autor=Franco de Rosa|título=A Fúria do Mangá| data=novembro de 2013|jornal=Anime >Do|número=123|editora=Editora Escala}}</ref> Neide Harue e Edson Kohatsu,<ref>{{citar web|URL=https://web.archive.org/web/20141008012243/http://gibicon.com.br/|título=Convidados|autor=|data=|publicado=Gibicon|acessodata=}}</ref> em 1990, A Editora Abril lança a revista "O Fantástico Jaspion"<ref name="hq"/> com histórias de Jaspion e Changeman também produzidas pelo Studio Velpa, com isso, a EBAL negocia outras séries da Toei, o então inexperiente Alexandre Nagado escreve para EBAL histórias de Goggle V, Machine Man e Sharivan e para Abril de Flashman, Maskman e Changeman,<ref name="imigração">{{citar livro|último=Nagado|primeiro=Alexandre|título=Almanaque do Centenário da Imigração Japonesa|editora=[[Editora Escala]]|artigo=Minha Ligação Com o Lado Pop do Japão|ano=[[2008]]}}</ref> a revista "O Fantástico Jaspion" foi cancelada na edição 12 e deu lugar a [[Heróis da TV]] (que anteriormente havia publicado personagens da [[Hanna-Barbera]] e da [[Marvel Comics]]), a editora ainda publicou Spielvan, Black Kamen Rider, Change Kids, uma versão infantil dos Changeman e Cybercop (única série que não pertence a Toei).<ref>{{citar web|url=http://www2.uol.com.br/ohayo/v2.0/tokusatsu/materias/nov29_mangatoku.shtml|título=Os mangás de tokusatsu no Brasil|autor=Giuliano “Juba” Peccilli|data=29/11/2006|publicado=[[UOL]]|acessodata=}}</ref> Na Abril os heróis da Toei ambientavam o mesmo universo compartilhado, além de Nagado, passaram pela Abril, [[Marcelo Cassaro]] e Rodrigo de Góes (roteiros); [[Aluir Amancio]],<ref>{{citar web|url=http://hqmaniacs.uol.com.br/principal.asp?acao=materias&cod_materia=594|título=Entrevista: Aluir Amancio|autor=Carlos Costa|data=26/03/2009|publicado=[[HQManiacs]]|acessodata=}}</ref> Marcello Arantes, João Pacheco, Jaime Podavin, Watson Portela,<ref>{{citar web|url=https://web.archive.org/web/20110810193615/http://www.rederpg.com.br/portal/modules/news/print.php?storyid=1177|titulo= O Fantástico Jaspion|autores=Magico|data=18/03/2004|obra=site RedeRPG|acessodata=30/11/2009}}</ref> e [[Arthur Garcia]] (desenhos).<ref name="peso">{{Citar periódico
| autor = Nobu Chine
| data =
 
=== Inspirações ===
Apesar de a cada ano que passa essas séries passam a ser esquecidas por grande parte do público e são desconhecidas entre o recente seu legado permitiu alguns fãs criarem séries nesse estilo. Entre as mais conhecidas está a série independente Insector Sun<ref>http://www.insectorsun.com/</ref> criada por Christiano Lee baseada num quadrinho criado por ele mesmo, tendo sua série divulgada na internet e inclusive exibida na televisão. Outra bastante conhecida está os [[Mega Powers!]], série criada pela empresa Intervalo Produções, mesma desenvolvedora do projeto de anime [[Dogmons!]] que foi inclusive vendida por meio de DVDs pela [[Vídeo Brinquedo]], porém só durou uma única temporada de três episódios. As séries também inspiraram [[histórias em quadrinhos]], são elas: Ultraboy de [[Franco de Rosa]],<ref>{{citar web|url=http://hqmaniacs.uol.com.br/principal.asp?acao=materias&cod_materia=318|título=Entrevista: Roberto Guedes|autor=Equipe HQM|data=27/06/2005|publicado=[[HQManiacs]]|acessodata=}}</ref> de Blue Fighter de Alexandre Nagado,<ref name="imigração"/> [[webcomics]] [[Combo Rangers]] de [[Fabio Yabu]], que depois ganhou versões impressas pelas editoras [[Editora JBC|JBC]] e [[Panini Comics|Panini]].<ref name="Moliné">MOLINÉ, Alfons. ''O grande livro dos mangás''. [[Editora JBC]]. São Paulo: 2004. p. 67 ISBN 85-87679-17-1</ref>
 
{{Referências|col=2}}
110 041

edições