Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
[[Édith Piaf]] obteve grandes êxitos no Olympia tendo efectuado vários [[recital|recitais]] entre Janeiro de [[1955]] e Outubro [[1962]]. Ficaram igualmente famosos os concertos de [[Jacques Brel]] em [[1961]] e [[1964]], que chegaram aos nossos dias através das gravações ao vivo então efectuadas. O show do Black Sabbath em 1970 também fez sucesso e deixou mais famoso
[[Imagem:Cartaz da Elis Regina no Olympia.tif|thumb|esquerda|270px|Cartaz da Elis Regina no Olympia, 1968.]]
Foram para o palco , entre outros, grandes nomes da música francesa: como a estrela [[Edith Piaf]], [[Dalida]], [[Georges Brassens]], [[Gilbert Becaud]], Jimi Hendrix, [[Salvatore Adamo|Adamo]], [[Léo Ferré]], [[Charles Aznavour]], [[Jacques Brel]], Black Sabbath, [[Gregory Lemarchal]], [[Mireille Mathieu]] e [[Johnny Hallyday]] e estrelas internacionais como [[Louis Armstrong]], [[Barbara]], [[Cyndi Lauper]], [[Marlene (cantora)|Marlene]], [[Maysa]], [[Janis Joplin]], [[Aretha Franklin]], [[James Brown]], [[Nick Cave]], [[Dominique Webb]], [[Christophe]], [[Madonna]], [[Tina Turner]], [[Celine Dion|Céline Dion]], [[Umm Kulthum]], [[The Beatles]], [[Elis Regina]], [[Amália Rodrigues]], [[Linda de Suza]], [[Luciano Pavarotti]], [[The Rolling Stones]], [[Lara Fabian]], [[Mika (músicocantor)|Mika]] e [[Lana Del Rey]].
 
Após a morte de Bruno Coquatrix, entrou em novo declínio e correu mesmo o risco de ser demolido e transformado em parque de [[estacionamento]], mas em [[7 de janeiro]] de [[1993]], o [[cultura da França|Ministro da Cultura francês]] [[Jack Lang]] emitiu uma ordem de preservação do edifício que originou dois anos de trabalho de reconstrução da fachada e do seu famoso interior vermelho. Com mais de 30 milhões de espectadores nos últimos 50 anos, o Olympia transformou-se num ''music hall'' lendário, que se bateu por continuar a ser um lugar clássico para festas e espectáculos.