Abrir menu principal

Alterações

sem resumo de edição
Esta foi a primeira vez desde [[Temporada de Fórmula 1 de 1971|1971]] que a primeira corrida de uma temporada não contou com a presença do campeão dos pilotos do ano anterior ([[Jochen Rindt]] faleceu nos treinos para o [[Grande Prêmio da Itália de 1970]] e foi campeão póstumo graças à vitória de [[Emerson Fittipaldi]] nos [[Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1970|EUA]]). [[Nigel Mansell]], campeão de [[Temporada de Fórmula 1 de 1992|1992]], transferiu-se para a [[Champ Car|Fórmula Indy]], onde conquistou o título [[Temporada da CART World Series de 1993|em seu ano de estreia]]. Assim a [[Williams Grand Prix Engineering|Williams]] ficou impossibilitada de ostentar o número #1, e atribuiu o número #2 para designar [[Alain Prost]] e o #0 para [[Damon Hill]], nesse último caso uma medida inédita desde o [[Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1973]] quando [[Jody Scheckter]] defendia a [[McLaren]].
 
Antes do primeiro treino livre, a [[March Engineering|March]], que teria [[Jan Lammers]] e [[Jean-Marc Gounon]] como pilotos, encerrou suas atividades. Entretanto o número de times inscritos manteve-se o mesmo graças à estreia da [[Sauber Motorsport|Sauber]] com [[JJ Lehto|J. J. Lehto]] e [[Karl Wendlinger]].<ref name=CORRIDA>{{citar web || url=https://www.grandprix.com/races/south-african-gp-1993.html || titulo= South African GP, 1993 (em inglês) no grandprix.com|| acessodata=24 de julho de 2019}}</ref> Dentre os pilotos cabe mencionar as estreias de [[Luca Badoer]], [[Michael Andretti]] (filho de [[Mario Andretti]] e campeão da Fórmula Indy em [[Temporada da CART World Series de 1991|1991]]) e [[Rubens Barrichello]]. Contudo foi a última corrida de [[Ivan Capelli]], dispensado pela [[Jordan Grand Prix|Jordan]] ao não se classificar para o [[Grande Prêmio do Brasil de 1993]].
 
===Treinos===
Após retornarem dos boxes, a vantagem de Alain Prost sobre Ayrton Senna girava em torno de três segundos e essa margem subiu paulatinamente enquanto o brasileiro detinha cerca de meio segundo sobre Michael Schumacher na disputa pela segunda posição. O duelo entre Senna e o alemão terminou na altura da quadragésima volta quando o piloto da Benetton empreendeu uma tentativa de ultrapassagem cujo resultado foi um toque de rodas que o eliminou da prova, manobra cujo resultado prejudicou o germânico.<ref>{{citar web || url=http://www.folha.uol.com.br/ || titulo= Alemão sai da pista e dá queixa contra Senna. Disponível na Folha de S.Paulo, 15/03/1993||acessodata=2 de abril de 2015}}</ref> Pouco depois [[Riccardo Patrese]] rodou enquanto ocupava a terceira posição herdada de seu companheiro de equipe. A saída do italiano legou a [[Mark Blundell]] o terceiro lugar mas, tão logo isso ocorreu, o inglês da Ligier tomou uma volta de Alain Prost, líder da prova com mais de meio minuto sobre Ayrton Senna.
 
Sem ninguém a persegui-lo de perto, Alain Prost seguiu na liderança e administrou sua vantagem a ponto de cruzar a linha de chegada com quase um minuto e vinte segundos de diferença sobre Ayrton Senna, não obstante a chuva que caiu sobre [[Kyalami]] nas voltas finais. Foi a primeira dobradinha entre ambos desde os [[Grande Prêmio dos Estados Unidos de 1991|Estados Unidos em 1991]] e a primeira vez que sobem juntos ao pódio desde a [[Grande Prêmio da Itália de 1991|Itália]] naquele mesmo ano, além de ser a primeira vitória do francês desde o [[Grande Prêmio da Espanha de 1990]], quando o mesmo defendia a [[Scuderia Ferrari|Ferrari]].<ref>{{citar web || url=http://www.chicanef1.com/ || titulo= ChicaneF1.com: Results and Statistics||acessodata=2 de abril de 2015}}</ref>{{Nota de rodapé|Desde o [[Grande Prêmio da França de 1988]], quando defendia a McLaren, Alain Prost não dominava os treinos classificatórios, fazia a volta mais rápida e conseguia a vitória numa mesma prova.}} Além disso, Mark Blundell subiu pela primeira vez ao pódio enquanto [[Christian Fittipaldi]] foi o quarto colocado com uma menção honrosa a [[JJ Lehto|J. J. Lehto]] que pontuou na corrida de estreia da equipe [[Sauber Motorsport|Sauber]] na [[Fórmula 1]]. Mesmo parando a duas voltas do fim, [[Gerhard Berger]] ficou em sexto lugar com sua [[Scuderia Ferrari|Ferrari]]. Aliás, tanto o austríaco quanto o britânico [[Derek Warwick]] (sétimo colocado em sua reestreia), foram classificados por cumprirem mais de três quartos da corrida. Por fim cabe um registro quanto a última corrida de [[Ivan Capelli]], dispensado pela [[Jordan Grand Prix|Jordan]] ao não se classificar para o [[Grande Prêmio do Brasil de 1993]].
 
Quatro dias depois da prova, Alain Prost foi absolvido pelo conselho mundial da [[Federação Internacional de Automobilismo Esportivo|FISA]] ao se desculpar por críticas feitas à entidade.<ref>{{citar web || url=http://www.folha.uol.com.br/ || titulo= Fisa muda o discurso e absolve Alain Prost. Disponível na Folha de S.Paulo, 19/03/1993||acessodata=2 de abril de 2015}}</ref>
|align="center"| 30
| {{FINb}} [[JJ Lehto|J.J. Lehto]]
| [[Sauber Motorsport|Sauber]]
|align="center"| 1:19.120
|-
|align="center"| 29
| {{AUTb}} [[Karl Wendlinger]]
| [[Sauber Motorsport|Sauber]]
|align="center"| 1:20.365
|-
|align="center"| 30
| {{FINb}} [[JJ Lehto|J.J. Lehto]]
| [[Sauber Motorsport|Sauber]]
|align="center"| '''1:18.664'''
|-
|align="center"| 29
| {{AUTb}} [[Karl Wendlinger]]
| [[Sauber Motorsport|Sauber]]
|align="center"| '''1:18.950'''
|-
! 6
|align="center"| 30
| {{FINb}} [[JJ Lehto|J.J. Lehto]] || [[Sauber Motorsport|Sauber]]
|align="center"| '''1:18.664'''
|-
! 10
|align="center"| 29
| {{AUTb}} [[Karl Wendlinger]] || [[Sauber Motorsport|Sauber]]
|align="center"| '''1:18.950'''
|-
|align="center"| 30
| {{FINb}} '''[[JJ Lehto|J. J. Lehto]]'''
| '''[[Sauber Motorsport|Sauber]]'''
|align="center"| 70
| + 2 voltas
|align="center"| 29
| {{AUTb}} [[Karl Wendlinger]]
| [[Sauber Motorsport|Sauber]]
|align="center"| 33
| Motor
|-
! 5
| {{flagicon|SUI}} [[Sauber Motorsport|Sauber]]
| align="center"| 2
|-
28 535

edições