Abrir menu principal

Alterações

== O funcionamento das linguagens naturais ==
=== A fala ===
Sabemos que a fala funciona na base da repetição de unidades chamadas palavras, cujo sentido se repete, sendo que estas, por sua vez, são formadas por outras unidades menores ([[vogais]] e [[consoantes]]) que também se repetem. Na realidade, determinar o que são palavras e os limites entre as unidades fonéticas da fala é, ainda, um desafio. [[Espectrogramas]] de sentenças faladas não permitem ver com clareza onde começa uma vogal e onde ela termina.<ref>{{Citar web |url=http://books.google.com.br/books?id=h1byJz_rWUcC&printsec=frontcover&dq=the+sounds+of+the+world+languages&hl=pt-br&ei=DdgDTd_5OsHflgeS1ozsCQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=1&ved=0CCIQ6AEwAA#v=onepage&q=the%20sounds%20of%20the%20world%20languages&f=false|título= The Sounds of The World’s Languages|língua= inglês |autor= Peter Ladefoged,Ian Maddieson|obra= |data= |acessodata=}}</ref> Pesquisas mostram que, não importa quão rápido ou lentamente os idiomas sejam falados, eles tendem a transmitir informações aproximadamente na mesma taxa: 39 bits por segundo, aproximadamente o dobro da velocidade do [[código Morse]].<ref>{{Citar web|titulo=Human speech may have a universal transmission rate: 39 bits per second|url=https://www.sciencemag.org/news/2019/09/human-speech-may-have-universal-transmission-rate-39-bits-second|obra=Science {{!}} AAAS|data=2019-09-04|acessodata=2019-09-04|lingua=en|primeiro=Catherine|ultimo=MatacicSep. 4|ultimo2=2019|primeiro3=3:35|ultimo3=Pm}}</ref>
 
As línguas faladas variam no tempo e no espaço. O {{ling|en}} falado por um londrino na época do rei [[Henrique VIII]] certamente não é o mesmo que o inglês falado por um londrino hoje, assim como o inglês falado por um britânico contemporâneo dificilmente pode ser considerado semelhante ao inglês falado em várias das ex-[[colônias]] britânicas hoje. A forma como as línguas faladas mudam é assunto de particular interesse na academia. Por exemplo, comparando dialetos do inglês, os cientistas perceberam que em alguns países e regiões o “r” [r] das sílabas finais de palavras como “sport” (esporte) não eram pronunciados. O caso contrário ocorria em [[Nova Iorque]] no [[século XX]], onde o uso do [r] no final de sílaba era muito mais comum. Segundo estudo realizado por William Labov, essa diferença surgiu porque o uso do [r] foi, em determinada época, vinculado a uma maneira de falar prestigiosa. Em outras palavras, usar o [r] no final de sílabas se tornou uma questão de status e, assim, passou a ser empregada por segmentos específicos da sociedade nova-iorquina, tendo posteriormente se difundido entre outros segmentos sociais também.<ref>{{Citar web |url=http://books.google.com.br/books?id=HW4Zf0yuYoIC&printsec=frontcover&dq=Labov&hl=pt-br&ei=0tkDTZmhKcGAlAf7m8HsCQ&sa=X&oi=book_result&ct=result&resnum=1&ved=0CCIQ6AEwAA#v=onepage&q&f=false|título= The Principle’s od Linguistic Change|língua= inglês |autor= William Labov|obra= |data= |acessodata=}}</ref>