Diferenças entre edições de "Discussão:Governo Jair Bolsonaro"

A introdução segue caracterizada pela escrita parcial e apresentação de informações datadas, apresentadas de forma descontextualizada ou selecionadas sem critérios que transpareçam valor informativo, mas, antes, viés de confirmação. Enumero:
:1 - ''A pasta é chefiada pelo economista liberal Paulo Guedes, podendo ele ser o ministro da área econômica mais poderoso que o Brasil já teve''. O que quer dizer precisamente "o mais poderoso". Quer dizer que é o ministro com mais atribuições? Afinal, me parece que outros ministros da economia, até pelo fato de terem apresentado resultados econômicos absolutamente superiores em todos os aspectos, tiveram maior respaldo da sociedade e imprensa e poder e influência ''de facto''. De toda forma, esse aposto, se correto, não deveria estar na biografia do próprio Paulo Guedes?
:2 - ''Os primeiros meses de governo foram caracterizados por investidas na política externa'' - O que quer dizer "investida na política externa"? O que há de diferente na atuação de Bolsonaro na política externa para que se possa afirmar que isso é uma "característica" dos seus primeiros meses de governo? O que se pretende dizer aqui é que houve uma guinada nas relações exteriores do país ditada por "maior alinhamento ideológico com líderes de extrema direita"? Se for isso, que se escreva de forma clara. A impressão que esse trecho passa é que o governo se destacou na política externa de forma geral - o que é desmentido pela realidade factual: há praticamente um consenso nos veículos da grande mídia brasileira que a política externa do governo Bolsonaro é caótica, desastrosa e errática, tanto na visão dos veículos conservadores quanto progressistas: [https://epoca.globo.com/artigo-como-politica-externa-caotica-de-bolsonaro-preocupa-resto-da-america-do-sul-23761853] [https://www.cartacapital.com.br/opiniao/incoerencia-define-a-politica-externa-do-governo-bolsonaro/] [https://www.em.com.br/app/noticia/politica/2019/12/26/interna_politica,1110542/tropecos-na-politica-externa-de-bolsonaro-enfraquecem-brasil.shtml] [https://exame.abril.com.br/brasil/governo-bolsonaro-usa-fe-crista-como-eixo-de-politica-externa/]. AsA mesma análise é feita pela academia e pela maioria dos cientistas políticos.
:3 - ''o presidente compareceu à reunião, em Santiago do Chile, dos oito países que propõem a criação do Prosul, um grupo que substituiria a União de Nações Sul-Americanas (Unasul)'' - Isso é realmente um fato suficientemente relevante e destacável para estar uma introdução? Qual é a efetiva importância da Prosul ou da sua criação? Qual é o impacto político que causou? Se a introdução deve ser um resumo das informações mais importantes e representativas do artigo, cabe esse destaque todo a esse projeto?
:4 - ''Nos cem primeiros dias de governo, Bolsonaro cumpriu 12 de 58 promessas feitas em campanha (20,64%); no mesmo período, Dilma havia cumprido 5 de 55 (7,5%), e Temer, 3 de 20 promessas de posse (15%); tendo portanto um desempenho proporcionalmente e numericamente superior ao dos antecessores'' - Essa informação é datada, um retrato de um momento específico do governo, e é referente a um levantamento feito pelo G1. No mínimo, deve ser atribuído: "'''segundo levantamento feito pelo portal G1''', Bolsonaro '''teria''' cumprido percentual X das promessas de governo". Não deve ser retratado como verdade absoluta na voz da Wikipedia, já que esse levantamento foi feito com critérios e metodologia específicas que divergem de outros levantamentos. Esse outro levantamento do Estadão, por exemplo, afirma que metade das promessas que o governo Bolsonaro afirma ter levado a cabo não foram efetivamente cumpridas [https://politica.estadao.com.br/noticias/geral,das-35-metas-consideradas-cumpridas-por-bolsonaro-metade-ainda-esta-em-curso,70002788320]. A escrita não é neutra, o teor da informação é datado e contestável. Não vejo sentido também para a comparação com os governos anteriores ser apresentada numa introdução. A impressão que passa é que essa informação foi selecionada para estar ali com o objetivo de reforçar uma leitura positiva sobre o desempenho do governo. E isso é problemático pelo seguinte ponto: