Diferenças entre edições de "Miguel I de Portugal"

m
 
[[Ficheiro:Castelo de Évora Monte 2.jpg|thumb|left|200px|[[Evoramonte]], a localidade onde foi assinada a convenção que pôs termo às [[Guerras Liberais]]]]
Na [[primavera]] de 1834 a guerra civil entraria na sua fase decisiva. Em 22 de abril, em Londres, a [[Grã-Bretanha e Irlanda]] e a [[Restauração francesa|França]] decidiram pôr fim ao reinado de D. Miguel I em Portugal e às pretensões de [[Carlos María Isidro de Borbón]] em [[Espanha]].
 
Nessa altura, em 24 de abril de 1834, firmou-se o Tratado de Londres, uma [[Quádrupla Aliança (1834)|Quádrupla Aliança]] dos quatro mais fortes Estados europeus, que decidiram juntar-se para intervir militarmente contra as forças do rei D. Miguel.
 
== Questão da paternidade ==
{{Quadrocitação|Mas o indubitável é que D. Miguel não é filho de D. João VI.(...) O erário público pagava a um apontador para apontar as datas do [[acasalamento]] real, mas ele tinha pouco trabalho. Isso não impedia D. Carlota Joaquina de ter filhos com regularidade e, ao mesmo tempo advogar inocência e dizer que era fiel a D. João VI, gerando assim filhos da [[Imaculada Conceição]]. No caso de D. Miguel, havia cerca de 2 anos que D. João VI não [[acasalamento|acasalava]] com a sua mãe. Mas uma coisa é saber-se que não era o pai, outra é dizer quem era o pai, porque D. Carlota Joaquina, não era fiel nem ao marido nem aos amantes.|Declarações de [[Laure de St. Martin Permon|Laura Permon]], a mulher do embaixador [[Junot]] em Portugal, citada por PEREIRA, Sara Marques (1999), ''D. Carlota Joaquina e os Espelhos de Clio - Actuação Política e Figurações Historiográficas'', Livros Horizonte, Lisboa, 1999, p. 53.}}
 
Algumas fonteses bibliográficas e testemunhos da época sugerem que D. Miguel teria sido fruto de alegadas ligações adúlteras de sua mãe, [[Carlota Joaquina de Bourbon|D. Carlota Joaquina de Bourbon]]. Segundo estas, o próprio rei D. João VI teria confirmado não ter tido relações sexuais com a sua esposa durante mais de dois anos e meio antes do [[nascimento]] de D. Miguel,<ref>Ver EDMUNDO, Luiz, ''A corte de D. João no Rio de Janeiro (1808-1821)'', volume 1 (de 3), página 239.</ref><ref>Ver página 211 de DOMINGUES, Mário; ''Junot em Portugal''. Lisboa : Romano Torres, 1972. Declarações de Laura Permon, a mulher do embaixador Junot em Portugal: ''"Mas o indubitável é que D. Miguel não é filho de D. João VI"''. ''"O erário público pagava a um apontador para apontar as datas do acasalamento real, mas ele tinha pouco trabalho. Isso não impedia D. Carlota Joaquina de ter filhos com regularidade e, ao mesmo tempo advogar inocência e dizer que era fiel a D. João VI, gerando assim filhos da Imaculada Conceição. No caso de D. Miguel, havia cerca de 2 anos que D. João VI não acasalava com a sua mãe. Mas uma coisa é saber-se que não era o pai, outra é dizer quem era o pai, porque D. Carlota Joaquina, não era fiel nem ao marido nem aos amantes"''.</ref> tempo durante o qual o rei e a rainha terão vivido em ''guerrilha conjugal'', permanente conspiração, e só se encontravam em raras ocasiões oficiais.<ref>.</ref>
|
|[[Maria Assunção de Bragança|Maria da Assunção de Bragança]]
|[[1831]]
|[[1897]]
|De seu nome completo ''Maria da Assunção Ribeiro do Carmo e Bragança'' foi a primeira filha natural de D. Miguel I e resultante da relação do monarca com a [[Nobreza|nobre]] portuguesa de nome D. Antónia Francisca Ribeiro do Carmo. Esta filha, que nasceu em pleno período de reinado do pai e sendo ele solteiro, foi reconhecida publicamente pelo próprio monarca no ano de [[1839]], tendo sido, por isso, à época, considerada como sua filha legitimada.<ref>Thomson 2014, ''Appendix 2: The Descendants of Dom Miguel''.</ref>
|-
|
|[[Maria de Jesus de Bragança]]
|[[1834]]
|[[1903]]
|De seu nome completo ''Maria de Jesus de Bragança e Bourbon'' foi a segunda natural de D. Miguel I e resultante da relação monarca com uma senhora de origens humildes residente em Santarém. Foi-lhe concedido o pleno direito ao uso dos apelidos da realeza para efeitos de registo de baptismo e de semi-legitimação paterna. Casou com D. Silverio Rodriguez e com o nobre D. [[Tomás de Melo|Tomás José Fletcher de Melo Homem]]. Deixou descendência.
|-
|[[Ficheiro:Maria das Neves of Portugal.jpg|70px]]
|[[Maria das Neves de Bragança]]
|[[1852]]
|[[1941]]
|Casou-se, em [[1871]], com o [[Afonso Carlos de Bourbon, Duque de São Jaime]]. Reivindicou o título de [[Infanta de Portugal]].
|-
|[[Ficheiro:Miguel, Duke of Braganza.jpg|70px]]
|[[Miguel Januário de Bragança]]
|[[1853]]
|[[1927]]
|Casou-se em [[1877]] com a princesa [[Isabel de Thurn e Taxis]], e em [[1893]] com a princesa [[Maria Teresa de Löwenstein-Wertheim-Rosenberg]]. Reivindicou o título de [[Infante de Portugal]], entre outros títulos de realeza.
|-
|[[Ficheiro:Mariateresadebragança.jpg|70px]]
|[[Maria Teresa de Bragança, arquiduquesa da Áustria|Maria Teresa de Bragança]]
|[[1855]]
|[[1944]]
|Casou-se, em [[1873]], com o arquiduque [[Carlos Luís da Áustria]]. Reivindicou o título de [[Infanta de Portugal]].
|-
|[[Ficheiro:Mariajosédebragança.jpg|70px]]
|[[Maria José de Bragança]]
|[[1857]]
|[[1943]]
|Casou-se, em [[1874]], com [[Carlos Teodoro, duque da Baviera]]. Reivindicou o título de [[Infanta de Portugal]].
|-
|[[Ficheiro:Infanta Adelgundes, Duchess of Guimarães.JPG|70px]]
|[[Aldegundes de Bragança, condessa de Bardi|Aldegundes de Bragança]]
|[[1858]]
|[[1956]]
|Casou-se, em [[1876]], com [[Henrique de Bourbon-Parma]], conde de Bardi. Reivindicou o título de [[Infanta de Portugal]].
|-
|[[Ficheiro:MarieAnna.jpg|70px]]
|[[Maria Ana de Bragança, Grã-duquesa do Luxemburgo|Maria Ana de Bragança]]
|[[1861]]
|[[1942]]
|Casou-se, em [[1893]], com o grão-duque [[Guilherme IV de Luxemburgo]]. Reivindicou o título de [[Infanta de Portugal]].
|-
|[[Ficheiro:2nd wife of Robert, Duke of Parma.JPG|70px]]
|[[Maria Antónia de Bragança, duquesa de Parma|Maria Antónia de Bragança]]
|[[1862]]
|[[1959]]
|Casou-se, em [[1884]], com o duque [[Roberto I de Parma]]. Reivindicou o título de [[Infanta de Portugal]].
|-
|}
{{ahnentafel bottom}}
 
{{Referências|col=2}}
 
== Bibliografia ==
* [[Guerra Civil Portuguesa|Guerras Liberais]]
* [[Convenção de Evoramonte]]
* [[Crise de Sucessão ao Trono Português (1826-1834)]]
* [[Lei do Banimento (Portugal)|Lei do Banimento do ramo Miguelista]]
* [[Árvore genealógica dos reis de Portugal]]
 
209 357

edições