Diferenças entre edições de "Salinas de Aveiro"

m
Adicionei ligações.
(RV)
m (Adicionei ligações.)
 
Para as [[aves]], as salinas possuem ainda o atractivo de não sofrerem a influência do ciclo diário das [[marés]], mantendo uma reduzida altura de água, oferecendo-lhes portanto condições de alimentação e abrigo particularmente vantajosas. Das trinta espécies de aves da Ria de Aveiro, duas utilizam quase exclusivamente as salinas, nidificando nelas.<ref name=saldosol/>
 
Ano após ano, a falta de competitividade da produção tradicional de sal, principal elemento económico que originou a criação de um conjunto de ilhas, onde durante anos a produção de sal era o produto base que sustentava todo o investimento nos muretes de protecção dessas zonas, tem levado a uma progressiva degradação das antigas salinas, agora abandonadas e levará, se nada for feito, à sua destruição. As marés, ou seja a água, que lhe dá a beleza e o encanto, através da sua acção natural, quer os barcos a motor que hoje circulam pelos [[Canal|canais]] que não foram preparados para tal actividade, prosseguirão o seu inexorável trabalho de desgaste e destruição. Desta realidade com cinquenta anos subsistem, hoje, no activo, unicamente, nove salinas. Significa isso que, hoje em dia, a produção é consideravelmente diminuta se comparada com os registos, levantamentos e inquéritos feitos outrora à safra do sal.<ref name=ecomuseu>{{citar web |url=http://ler.letras.up.pt/uploads/ficheiros/7959.pdf|título=Ecomuseu Marinha da Troncalhada – centro interpretativo: impulsionador das Salinas de Aveiro |acessodata=28-03-2012 |autor=GOMES, Ana e MARQUES, Gabriela Mota |data=2008 |obra=A articulação do sal português aos circuitos mundiais: antigos e novos consumos |língua=português}}</ref>
 
==Revitalização da actividade das salinas==
 
==Projecto Ecosal Atlantis==
[[Ficheiro:Conjunto de Armazéns do Sal do Canal de São Roque.jpg|thumb|Antigos armazéns de sal no [[Canal de São Roque]].]]
Reconhecendo o valor das salinas como elemento do [[património cultural]] e natural, várias universidades, centros de investigação, autarquias e museus do [[Reino Unido]], [[França]], [[Espanha]] e [[Portugal]], lançaram um projecto europeu designado Ecosal Atlantis, enquadrado no programa europeu INTERREG IVB, cuja ideia central é desenvolver uma rota turística pelas salinas tradicionais do Atlântico.