Diferenças entre edições de "Linfoma folicular"

3 797 bytes adicionados ,  11h11min de 22 de dezembro de 2020
sem resumo de edição
(Resgatando 1 fontes e marcando 0 como inativas. #IABot (v2.0beta14))
Etiqueta: Inserção de predefinição obsoleta
 
| Name = Follicular lymphoma
| Imagem = Follicular lymphoma -- low mag.jpg
| Legenda = LinfonóduloLinfonodo com linfoma folicular com a formação de "folículos" que lhe é característica.
| field = [[Hematology]] and [[oncology]]
| DiseasesDB =
}}
 
'''Linfoma folicular''', '''linfoma centrolástico''', '''linfoma nodular''' ou '''doença de Brill-Symmers'''<ref>{{Citar web |url=http://www.mercksource.com/pp/us/cns/cns_hl_dorlands_split.jsp?pg=%2Fppdocs%2Fus%2Fcommon%2Fdorlands%2Fdorland%2Fnine%2F000954451.htm# |titulo=Merck source archive |acessodata=18 de maio de 2009 |arquivourl=https://web.archive.org/web/20090518065652/http://www.mercksource.com/pp/us/cns/cns_hl_dorlands_split.jsp?pg=%2Fppdocs%2Fus%2Fcommon%2Fdorlands%2Fdorland%2Fnine%2F000954451.htm |arquivodata=2009-05-18 |urlmorta=yes }}</ref> é um tipo de [[câncer]] que se origina nos [[linfócitos B]] nos [[Folículo linfático|folículo]]s dos [[linfonodo]]s e representa cerca de 20 a 30% dos [[Linfoma não Hodgkin]]. É lento, pouco agressivo e responde bem ao tratamento mesmo quando descoberto já em um estágio avançado.
 
Possui várias formas de manifestação e ainda não foi totalmente sistematizado.<ref name="pmid28670664">{{cite journal | vauthors = Lynch RC, Gratzinger D, Advani RH | title = Clinical Impact of the 2016 Update to the WHO Lymphoma Classification | journal = Current Treatment Options in Oncology | volume = 18 | issue = 7 | pages = 45 | date = julho de 2017 | pmid = 28670664 | doi = 10.1007/s11864-017-0483-z |language=inglês}}</ref><ref name="pmid31119485">{{cite journal | vauthors = Boughan KM, Caimi PF | title = Follicular Lymphoma: Diagnostic and Prognostic Considerations in Initial Treatment Approach | journal = Current Oncology Reports | volume = 21 | issue = 7 | pages = 63 | date = maio de 2019 | pmid = 31119485 | doi = 10.1007/s11912-019-0808-0 |language=inglês}}</ref> Às vezes se origina de um distúrbio benigno no qual centrócitos e/ou centroblastos anormais se acumulam no [[tecido linfoide]]. Eles podem vir a circular no sangue e causar uma condição assintomática denominada neoplasia folicular ''in situ'' e uma pequena parcela acaba se tornando linfoma folicular.<ref name="pmid29129357">{{cite journal | vauthors = Oishi N, Montes-Moreno S, Feldman AL | title = In situ neoplasia in lymph node pathology | journal = Seminars in Diagnostic Pathology | volume = 35 | issue = 1 | pages = 76–83 | date = janeiro de 2018 | pmid = 29129357 | doi = 10.1053/j.semdp.2017.11.001 |language=inglês}}</ref>
Podem sofrer transformação maligna e tornar-se um [[linfoma]] de células B difuso de alto grau ou grau intermédio.
 
Geralmente é lento, pouco agressivo e responde bem ao tratamento mesmo quando descoberto já em um estágio avançado. A apresentação desse linfoma geralmente se dá com o crescimento dos linfonodos ([[linfadenopatia]]) em qualquer parte do corpo, sendo mais comum no pescoço, axila e/ou virilha. A doença também pode aparecer primariamente fora dos linfonodos, como no trato gastrointestinal, em tecidos linfoides da cabeça e pescoço (em uma forma rara mais comum nas crianças)<ref name="Swerdlow_2016">{{cite journal | vauthors = Swerdlow SH, Campo E, Pileri SA, Harris NL, Stein H, Siebert R, Advani R, Ghielmini M, Salles GA, Zelenetz AD, Jaffe ES | title = The 2016 revision of the World Health Organization classification of lymphoid neoplasms | journal = Blood | volume = 127 | issue = 20 | pages = 2375–90 | date = maio de 2016 | pmid = 26980727 | pmc = 4874220 | doi = 10.1182/blood-2016-01-643569 |language=inglês}}</ref> ou mesmo em tecidos não linfoides, como nos testículos.<ref name="pmid24942941">{{cite journal | vauthors = Takata K, Miyata-Takata T, Sato Y, Yoshino T | title = Pathology of follicular lymphoma | journal = Journal of Clinical and Experimental Hematopathology | volume = 54 | issue = 1 | pages = 3–9 | date = 2014 | pmid = 24942941 |language=inglês| doi = 10.3960/jslrt.54.3}}</ref>
 
A doença geralmente demora anos para manifestar sintomas<ref name="pmid28670664"/> e por isso costuma ser descoberta em fases mais avançadas. É um câncer considerado incurável, mas com baixo grau de malignidade e bom prognóstico, por isso o tratamento imediato com quimioterapia pode não ser necessário caso a doença não apresente sintomas debilitantes ou infiltração da [[medula óssea]].<ref>Armitage JL, Longo DL. (junho de 2016) «Is watch and wait still acceptable for patients with low-grade follicular lymphoma?» https://ashpublications.org/blood/article/127/23/2804/35265/Is-watch-and-wait-still-acceptable-for-patients (em inglês)</ref> Pode sofrer transformação maligna e tornar-se um [[linfoma]] de células B difuso de alto grau ou grau intermédio. O risco dessa transformação acontecer aumenta 3% ao ano.<ref name="pmid29452666">{{cite journal | vauthors = Link BK | title = Transformation of follicular lymphoma - Why does it happen and can it be prevented? | journal = Best Practice & Research. Clinical Haematology | volume = 31 | issue = 1 | pages = 49–56 | date = março de 2018 | pmid = 29452666 | doi = 10.1016/j.beha.2017.10.005 |language=inglês}}</ref>
 
== Causas ==
 
Muitas vezes, as pessoas com FL não apresentam sintomas óbvios da doença no momento do diagnóstico.
Ao longo do tempo, alguns pacientes com FL podem eventualmente desenvolver um linfoma transformadatransformado, que é muitas vezes mais agressivo e geralmente requer mais tipos de tratamento intensivo.
 
== Diagnóstico ==
4 780

edições