Diferenças entre edições de "Braga"

290 bytes adicionados ,  25 abril
m
→‎Arquitectura religiosa: Igreja da Penha azulejos de Policarpo de Oliveira Bernardes e talha de Marceliano de Araújo.
m (→‎Arquitectura civil: arquitetos+edifícios)
m (→‎Arquitectura religiosa: Igreja da Penha azulejos de Policarpo de Oliveira Bernardes e talha de Marceliano de Araújo.)
Já o [[Santuário do Bom Jesus do Monte]], uma das referências do [[barroco]] [[europeu]] e [[Património Cultural Mundial]] da [[Unesco]], é da autoria destes dois grandes [[arquitecto]]s bracarenses. Desta época datam também a actual igreja do [[Mosteiro de Tibães]], casa mãe da [[Congregação Beniditina]] para [[Portugal]] e [[Brasil]], e a [[Igreja de Santa Cruz em Braga|Igreja da Santa Cruz]] em estilo [[barroco]] maneirista. Das obras do {{séc|XIX}}, sobressai a [[Basílica do Sameiro]], [[templo]] central do trio dos Sacro-Montes (Bom Jesus-Sameiro-Falperra), de estilo neoclássico que possui no seu interior um altar-mor em [[granito]] branco polido, e o [[sacrário]] em [[prata]].
 
Dos grandes artistas bracarenses de arte religiosa, destaca-se também [[José de Santo António Vilaça]], grande mestre da talha dourada. A sua obra é marcada por traços pessoais e decorada a [[ouro]]. Grande parte dos ornamentos em talha que se encontram nas [[Igrejas de Braga|igrejas bracarenses]] são da sua autoria. Dada a importância da sua obra, certas figuras ligadas à [[arte]] defendem a candidatura da sua obra a [[património da humanidade]]. E [[Marceliano de Araújo]] que trabalhou tanto a madeira como a pedra ([[Fonte do Pelicano]]), sendo conhecido pelo seu trabalho em talha dourada da [[Igreja da Penha (Braga)|Igreja da Penha]], famosa também pelos seus azulejos do século XVIII da autoria de [[Policarpo de Oliveira Bernardes]].
 
Em termos de [[Cruzeiro (arquitetura)|cruzeiro]]s, o mais imponente é o [[Cruzeiro de Tibães]], de estilo renascentista erudito, possui também traços típicos dos restantes cruzeiros bracarenses e está classificado como [[Monumento Nacional]] desde 1910. Além destes, refere-se ainda pela monumentalidade, o [[Cruzeiro do Campo das Hortas]] e o [[Cruzeiro de Sant'Ana]], também classificados como [[Monumento Nacional]].