Miniatura (iluminura): diferenças entre revisões

37 bytes adicionados ,  15h43min de 9 de setembro de 2021
m
Página marcada que carece de mais fontes
m (Página marcada que carece de mais fontes)
 
{{Mais notas|data=setembro de 2021}}
A pintura da Idade Média pode ser considerada sob três formas distintas segundo o fim a que se destina, pelas dimensões e pela técnica: pintura de [[Manuscrito|manuscritos]] (''pictura codicum)''; pintura a fresco (''pictura in pariete''); e pintura em tábua (''pictura in tabula''). A '''miniatura''' ou [[iluminura]] (termos que podem ser empregados indistintamente) tem por objetivo a ilustração de livros; a pintura a fresco a decoração de edifícios; e a pintura em tábua, pela sua natureza essencialmente móvel, destina-se a este ou àquele lugar. Quanto às dimensões, a miniatura é uma pintura em ponto pequeno, reduzida às proporções de uma inicial ou de uma vinheta e que, em nenhum caso, ultrapassa o formato de um [[in-fólio]]. A pintura mural atinge proporções monumentais, cobrindo, por vezes, paredes de muitos metros quadrados. A pintura em tábua é o meio termo entre as duas e pode ir do pequeno oratório ao grande retábulo de altar. <ref name=":0">{{citar periódico|ultimo=Teixeira|primeiro=Lucas|data=1952|outros=Conferência proferida no Salão Nobre da Câmara Municipal de Santo Tirso, em 23 de setembro de 1951, no encerramento da exposição de iluminuras do artista.|titulo=A arte da iluminura|url=|jornal=Separata de O Conselho de Santo Tirso - Boletim Cultural, v. 1, n. 2.|local=Porto|acessodata=}}</ref>