Abrir menu principal
Como ler uma infocaixa de taxonomiaSpirochaetes
Treponema pallidum
Treponema pallidum
Classificação científica
Reino: Bacteria
Filo: Spirochaetes
Classe: Spirochaetes
Ordem: Spirochaetales
Famílias
Ver texto

Spirochaetales é um filo de bactérias que contém uma única classe e ordem. As espiroquetas são bactérias em forma helicoidal que tendem a se mover com um movimento ondulante semelhante ao de uma hélice. As principais cepas (espécies) das espiroquetas incluem o Treponema, a Borrelia e a Leptospira. Muitas espécies de espiroquetas são agentes patogénicos nocivos ao homem.

Os espiroquetas distinguem-se de outros filos bacterianos pela localização de seus flagelos, às vezes chamados de filamentos axiais, que correm no sentido longitudinal entre a membrana interna bacteriana e a membrana externa no espaço periplasmático. Estes causam um movimento de torção que permite que o espiroqueta se mova. Ao se reproduzir, um espiroqueta sofrerá fissão binária transversal assexuada. A maioria dos espiroquetas é de vida livre e anaeróbica, mas há inúmeras exceções. As bactérias Spirochaetes são diversas em sua capacidade patogênica e os nichos ecológicos que habitam, bem como características moleculares, incluindo guanina-citosina e tamanho do genoma, as espiroquetas são também bactérias Gram negativas.

Famílias e alguns gênerosEditar

Treponema


Patogenicidade

Muitos organismos dentro do filo Spirochaetes causam doenças prevalentes. Os membros patogênicos deste filo incluem o seguinte:

  • Espécies de leptospiras, causadoras da leptospirose.
  • Borrelia burgdorferi, B. garinii e B. afzelii, causadores da doença de Lyme.
  • Borrelia recurrentis, que causa febre recorrente.
  • Subespécies de Treponema pallidum que causam treponematoses, como sífilis e bouba.
  • Brachyspira pilosicoli e Brachyspira aalborgi, que causam a espirocetose intestinal. Os espiroquetas também podem causar demência e podem estar envolvidos na patogênese da doença de Alzheimer. O Salvarsan, o primeiro antimicrobiano sintético parcialmente orgânico da história médica, era eficaz apenas contra espiroquetas e era usado principalmente para curar a sífilis.

Curiosidades "Bactérias espiroquetas do gênero Leptospira referentes apenas à espécie Leptospira interrogans, existem mais de 195 sorotipos diferenciados, agrupados em 19 sorogrupos conforme as propriedades antigênicas. A mais frequente é provocada pelo sorogrupo icterohaemorrhagiae, importante em termos de saúde pública, em consequência da forma desordenada de ocupação urbana associada ao hábito do agente vetor, o hospedeiro Rattus norvegicus (rato de esgoto). No meio rural recebem destaque os seguintes sorogrupos: - panoma: com tropismo; capacidade de infectar animais suínos (instalado no porco); - hardjo: afinidade com bovinos (instalado no gado). A transmissão se dá através do contato direto com animais infectados ou com água contaminada por sua urina, manifestando período de incubação que varia de 10 a 20 dias. Os sintomas incluem Febre, calafrio, dor de cabeça, mal-estar, vômito, dor muscular, dilatação do fígado, hemorragias digestivas, lesões na pele, problemas respiratórios e conjuntivite que duram de alguns dias a três semanas. Podem ser confundidos com sintomas de gripe ou de dengue. Existem casos de doentes assintomáticos ou que desenvolvem uma forma grave com constante hemorragia e falência renal, podendo levar à morte. Medidas preventivas → Identificação de focos de água contaminada, geralmente coincidentes com períodos chuvosos intensos, com ocorrência de enchentes; educação sanitária da população; combate aos roedores, por exemplo, tratamento do lixo, evitando locais onde proliferam ratos; e vacinação dos animais domésticos." "O MINISTÉRIO DA SAÚDE ADVERTE: A automedicação pode ter efeitos indesejados e imprevistos, pois o remédio errado não só não cura como pode piorar a saúde. Por Krukemberghe Fonseca Graduado em Biologia

FilogeniaEditar

A estrutura taxonómica em uso está baseada na List of Prokaryotic names with Standing in Nomenclature (LPSN)[1] e na informação disponibilizada pelo National Center for Biotechnology Information (NCBI)[2] e a filogenia está assente na determinação da tipologia do LTP 16S rRNA, versão 111 do The All-Species Living Tree Project.[3]


Leptospiraceae

Turneriella parva (Hovind-Hougen et al. 1982) Levett et al. 2005




Leptonema illini Hovind-Hougen 1983



Leptospira Noguchi 1917 emend. Faine and Stallman 1982







Brevinema andersonii Defosse et al. 1995



Brachyspira Hovind-Hougen et al. 1982





Exilispira thermophila Imachi et al. 2008


Spirochaetaceae

?Clevelandina reticulitermitidisBermudes et al. 1988



?Cristispira pectinisGross 1910



?Diplocalyx calotermitidis(ex Gharagozlou 1968) Bermudes et al. 1988



?Hollandina pterotermitidis(ex To et al. 1978) Bermudes et al. 1988



?Pillotina calotermitidis(ex Hollande and Gharagozlou 1967) Bermudes et al. 1988



Spironema culicisTurk et al. 1999



Spirochaeta parafilética incl. Borrelia, Sphaerochaeta e Treponema]







Taxonomia

A taxonomia aceita atualmente é baseada na Lista de Nomes Prokarióticos com Nomenclatura Permanente (LPSN) [17] e Centro Nacional de Informações sobre Biotecnologia (NCBI). [18]

  •       Filo Espirochaetes Garrity & Holt 2001 [Spirochaetae Cavalier-Smith 2002; Spirochaetaeota Oren et al. 2015]
  •        Classe Spirochaetae Cavalier-Smith 2002 ["Protozoobacteriales"; "Spirochaetia" Paster 2011]
  •       Ordem Leptospirales Gupta et al. 2014
  •     Família Leptospiraceae Hovind-Hougen 1979 emend. Levett et al. 2005
  •     Gênero Leptonema Hovind-Hougen 1983
  •     Género Leptospira Noguchi 1917 emend. Faine e Stallman 1982
  •       Gênero Turneriella Levett et al. 2005 ["Turneria" Hookey, Bryden & Gatehouse 1993 não Forel 1895]
  •       Encomendar Brachyspirales corrig. Gupta et al. 2014m     Família Brachyspiraceae Paster 2012
  •       Gênero Brachyspira Hovind-Hougen et al. 1982 [Serpula Stanton et al. 1991 não Linnaeus 1758; Serpulina Stanton 1992 não Zborzevski 1834]
  •     Ordem Brevinematales Gupta et al. 2014
  •        Família Brevinemataceae Paster 2012
  •       Gênero Brevinema Defosse et al. 1995
  •        Encomendar Spirochaetales Buchanan 1917 emend. Gupta et al. 2013
  •        Gênero Exilispira Imachi et al. 2008
  •        Gênero Alkalispirochaeta Sravanthi et al. 2016
  •     Gênero Oceanispirochaeta Subhash & Lee 2017b
  •        Gênero Pleomorphochaeta Arroua et al. 2016
  •        Gênero Sediminispirochaeta Shivani et al. 2016
  •        Gênero Sphaerochaeta Ritalahti et al. 2012 emendam. Miyazaki et al. 2014
  •        Família Borreliaceae Gupta et al. 2014
  •        Gênero Borreliella Adeolu & Gupta 2015 [Grupo de espécies Borrelia burgdorferi] (doença de Lyme Borrelia)
  •       Gênero Borrelia Swellengrebel 1907 emend. Adeolu & Gupta 2014 (febre recorrente Borrelia.



Notes:
♦ Type strain lost or not available
♪ Prokaryotes where no pure (axenic) cultures are isolated or available, i. e. not cultivated or can not be sustained in culture for more than a few serial passages
♠ Strains found at the National Center for Biotechnology Information (NCBI) but not listed in the List of Prokaryotic names with Standing in Nomenclature (LSPN)



Notas

  1. J.P. Euzéby. «Spirochaetes». List of Prokaryotic names with Standing in Nomenclature (LPSN). Consultado em 20 de março de 2013. Arquivado do original em 27 de janeiro de 2013 
  2. Sayers; et al. «Spirochaetes». National Center for Biotechnology Information (NCBI) taxonomy database. Consultado em 20 de março de 2013 
  3. 'The All-Species Living Tree' Project.«16S rRNA-based LTP release 111 (full tree)» (PDF). Silva Comprehensive Ribosomal RNA Database. Consultado em 20 de março de 2013 

Referências [edit source]

1.    ^ Elsevier, Dicionário Médico Ilustrado de Dorland, Elsevier.

2. ^Gupta RS, Mahmood S, Adeolu M (2013). "Uma abordagem baseada em assinatura filogenômica e molecular para caracterização do filo Spirochaetes e seus principais clados: proposta de revisão taxonômica do filo". Microbiol frontal. 4 (217): 217. doi: 10.3389 / fmicb.2013.00217. PMC 3726837. PMID 23908650.?

3. ^Oren A, Garrity GM (2014). "Lista de novos nomes e novas combinações anteriormente efetivamente, mas não de forma válida, publicadas" (PDF). Int. J. Syst. Evol. Microbiol. 4: 693-696. doi: 10.1099 / ijs.0.062521-0. PMC 5817221.

5. ^ Adeolu M, Gupta RS (2014). Uma proposta baseada em marcadores filogenômicos e moleculares para a divisão do gênero Borrelia em dois gêneros: o gênero emendado Borrelia contendo apenas os membros da febre recorrente Borrelia, eo gênero Borreliella em novembro contendo os membros da doença de Lyme Borrelia ( Borrelia burgdorferi sensu lato) ". Antonie van Leeuwenhoek. 105 (6): 1049-1072. doi: 10.1007 / s10482-014-0164-x. PMID 24744012.

6. ^Macnab RM (2003). "Como as bactérias montam flagelos". Annu Rev Microbiol. 57: 77-100. doi: 10.1146 / annurev.micro.57.030502.090832. PMID 12730325.

.

  Este artigo sobre Bactérias é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.


 
O Wikcionário tem o verbete espiroqueta.