Abrir menu principal

Estádio Municipal Décio Vitta

estádio de futebol no Brasil
Décio Vitta (Riobrancão)
Estádio Décio Vitta
RBEC SJEC 2009.jpeg
Vista Parcial em 2009
Nomes
Nome Estádio Décio Vitta
Apelido Riobrancão
Características
Local Americana, SP, Brasil
Gramado Grama natural (105 x 68 m)
Capacidade 16.300 pessoas [1]
Construção
Data 1971
Inauguração
Data 1 de maio de 1977
Partida inaugural Americana E.C. 2 x 0 Taubaté
Primeiro gol Niltinho (Americana)
Recordes
Público recorde 19.173 pessoas
Data recorde 9 de março de 1993
Partida com mais público Rio Branco 1 x 0 São Paulo
Proprietário Prefeitura Municipal de Americana
Administrador Rio Branco EC
Mandante Rio Branco EC

O Estádio Décio Vitta, também conhecido como Riobrancão, é um estádio brasileiro de futebol localizado na cidade de Americana, no estado de São Paulo. Foi inaugurado em 1977. A capacidade do Décio Vitta atualmente é de 16.300 espectadores.

Índice

HistóriaEditar

Em 1954, o então Rio Branco Esporte Clube cedeu seu campo de futebol à Prefeitura Municipal de Americana, que construiu o Instituto de Educação Presidente Kennedy (Heitor Penteado). Em troca, o governo ofereceu dois novos terrenos ao clube: um na Vila São Domingos e outro na Vila Azenha. Naquele mesmo, o Tigre aceitou a área do São Domingos, de 50 mil metros quadrados, que foi doado por Antonio Zanaga, José Dante Zanaga e João Zanaga.

Em 1971, a construção do novo estádio começou, após o Rio Branco e a cidade de Americana entrarem em um acordo.

A construção terminou em 1977 e o estádio foi inaugurado oficialmente no dia 1º de maio daquele ano, com o nome de "Riobrancão". O jogo inaugural foi disputado entre o Americana EC e o EC Taubaté, com vitória do time americanense por 2 a 0. O primeiro gol do estádio foi marcado por Niltinho (Nilton Libardi) do clube de Americana.

Em 1981, o então presidente do Rio Branco, Délcio Dollo, propôs rebatizar o estádio com o nome Décio Vitta. Entretanto, isto aconteceu somente em 1986.

O maior público já registrado no estádio foi no dia 9 de março de 1993, quando 19.173 pessoas assitiram a vitória do Rio Branco sobre o São Paulo por 1 a 0.

A partir de 2009, o estádio passou por um regime de comodato com a Prefeitura Municipal de Americana, ou seja, o Rio Branco cedeu a administração do seu campo para o órgão público por 30 anos.[1]

Em 2010, o Estádio passou por uma reforma considerável para se adequar às normas da Federação Paulista de Futebol.

Em 10 de outubro de 2016, o prefeito de Americana, Omar Najar, encaminhou a rescisão do contrato de comodato e a devolução do Décio Vitta ao Rio Branco. Oficialmente, o estádio deixou de ter a sua administração municipalizada em 1 de maio de 2017, voltando a ser uma praça de cunho integralmente particular O designação MUNICIPAL não faz mais parte do nome do estádio favor corrigir.[2]

O estádio já serviu de "casa" para o antigo Americana Esporte Clube (da inauguração até a incorporação com o Rio Branco em 1979) e para o Rio Branco Esporte Clube (de 1979 até os dias atuais).

Fichas técnicas de jogos importantesEditar

O primeiro jogo oficial do estádio Décio Vitta[2]

Americana EC 2x0 Taubaté - Campeonato Paulista da Segunda Divisão de 1977

Data: 01/05/1977 - tarde

Placar do 1º tempo: Americana EC 1x0 Taubaté

Placar final: Americana EC 2x0 Taubaté

Árbitro: Rubens Paulis

Auxiliares: João Adolfo Funes e Edgar Lemos Dias

Público: aproximadamente 10 mil pessoas

Americana EC: Carlinhos; Carioca, Adalberto, Coutinho e Ferreira; Sérgio, Paulinho e Niltinho; Vande, Nelsinho e Ligão. Técnico: Foguinho. 

Taubaté: Marco Antônio; Banha, Jair, Célio e Alves; Milton, Toninho e Jovelino; Tatau, Madeira e Everaldo. 

Gols:

AEC - Niltinho 35' 1ºT

AEC - Sérgio 44' 2ºT

O primeiro jogo do Rio Branco no estádio Décio Vitta

Rio Branco 0x1 Noroeste - Amistoso oficial

Data: 13/05/1979 - 15h30

Placar do 1º tempo: Rio Branco 0x0 Noroeste

Placar final: Rio Branco 0x1 Noroeste

Árbitro: Antônio Padua Sales

Assistentes: Antonio Barochella e Antonio Luzio

Público: Estimativa de 13.000 pessoas

Renda: Cr$147.000,00

Rio Branco: Toni; Reginaldo, Carlos, Lineu e Lázaro; Guaçu, Luiz Antonio (Cacalo) e Gustavo; Cuca (Eron), Dudu e Chiquinho (Celso). Técnico: Boca.

Noroeste: Luiz Carlos; Nilson, Dedê, Mauricio e Edwaldo; Jorge Fernandes, Carlos Roberto (Mardoni) e Wallace (João Carlos); Lela, Rangel e Jorge Maravilha.

Gol:

NOR - Mardoni 15' 2ºT

O jogo de maior público (oficialmente) do estádio Décio Vitta

Rio Branco 1x0 São Paulo - Campeonato Paulista da 1ª Divisão

Data: 09/03/1993 - noite

Placar do 1º tempo: Rio Branco 0x0 São Paulo

Placar final: Rio Branco 1x0 São Paulo

Árbitro: Oscar Roberto Godoi

Público: 19.244 pagantes

Renda: Cr$826.150.000,00

Rio Branco: Hugo; Marquinhos, Camilo, Heraldo e Carlinhos Capixaba; Flávio Conceição, Edmar e Gerson; Gilson Batata (Sidnei), Mazinho Loyola e Aritana (Gilson). Técnico: Cassiá.

São Paulo: Zetti; Vitor, Válber, Ronaldão (Gilmar) e André Luiz; Pintado, Dinho e Raí; Müller, Cafu e Elivélton (Macedo). Técnico: Telê Santana.

Gol:

RBO - Edmar 29' 2ºT

O jogo de maior público (extra-oficial) do estádio Décio Vitta

Rio Branco 6x0 Primavera de Indaiatuba - Campeonato Paulista da 2ª Divisão

Data: 12/10/1982 - tarde

Placar do 1º tempo: Rio Branco 3x0 Primavera

Placar final: Rio Branco 6x0 Primavera

Árbitro: Dulcídio Vanderlei Boschilia

Público: aproximadamente 25 mil pessoas (o jogo foi realizado com os portões abertos ao torcedor, ou seja, sem cobrança de ingresso - a estimativa de público é da Polícia Militar)

Rio Branco: Zé Luiz; Paulinho, Tutu, Jorginho e Dodô; Sony, Rogério e Baitaca (Toquinho); Jorge Cruz (Jairo), Paulo Cardoso e Bispo. Técnico: Afrânio Riul.

Primavera: Elison; Wilson, Zé Maria, Teteu e Paulo Roberto; Ercides, Júlio César e Lincoln; Ivan, Soares e Adval. Técnico: Adailton Ladeira.

Gols:

RBO - Paulo Cardoso 18' 1ºT

RBO - Bispo 35' 1ºT

RBO - Paulo Cardoso 42' 1ºT

RBO - Rogério 14' 2ºT

RBO - Jairo 38' 2ºT

RBO - Jairo 43' 2ºT

O jogo do primeiro título do Rio Branco no estádio Décio Vitta

Rio Branco 2x0 Grêmio Osasco - Campeonato Paulista da Série A-3

Data: 20/05/2012 - manhã

Placar do 1º tempo: Rio Branco 2x0 Grêmio Osasco

Placar final: Rio Branco 2x0 Grêmio Osasco

Árbitro: Leandro Bizzio Marinho

Público: 5.106 pagantes

Renda: R$43.800,00

Rio Branco: Éder; Oliveira, Bernardi (Júlio César), Marcus Vinícius e Esquerdinha; Deda, Rafael Jataí, Rodrigo Celeste e Rafael Chorão; Marcos Denner (Fábio Júnior) e Túlio Renan (Cecel). Técnico: Luisinho Quintanilha.

Grêmio Osasco: Yamada; Deivid, Bruno Leandro, Bruno Alves (Lucas) e Iran (Luciano); Arthur, Mineiro, Rogério e Michel; Dedé e Celsinho (Caju). Técnico: Toninho Moura.

Gols:

RBO - Túlio Renan 13' 1ºT

RBO - Télio Renan 22' 1ºT

Ver tambémEditar

Referências

  1. «CNEF da CBF» (PDF). Site Oficial da CBF. Consultado em 9 de março de 2012. Arquivado do original (PDF) em 8 de outubro de 2013 
  2. As fichas técnicas foram cedidas pelos historiadores Gabriel Pitor e Claudio Gioria, sendo pesquisadas nos jornais O Liberal e TODODIA.

Ligações externasEditar

  Este artigo sobre estádios de futebol do Brasil é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.