Eu hei de m'ir ao presépio

Uma canção de Natal portuguesa.
Disambig grey.svg Nota: Se procura outras cantigas com o mesmo nome, veja Natal de Elvas.

"Eu hei de m'ir ao presépio" ou "Natal de Elvas"[a] é uma célebre canção de Natal tradicional portuguesa originária de Elvas.[1]

HistóriaEditar

 
Quentin Matsys: Virgem com o Menino (c. 1525). "Deu-me minha mãe um beijo / Choro por que me dê mais."

"Eu hei de m'ir ao presépio" é uma cantiga popular, desconhecendo-se por isso o seu compositor. Contudo, o musicólogo português Mário de Sampayo Ribeiro concluiu que este Natal de Elvas foi composto entre o final do século XIX e os primeiros anos do século XX.[1]

Já no ano de 1902, numa obra do etnógrafo elvense António Tomás Pires, surgem algumas das quadras com que na atualidade se canta a melodia:

Eu hei de ir para o presepe,
Assentar-me a um cantinho,
Só pra ver o Deus Menino
A nascer tão pobrezinho. (Quadra n.º 74)[2]

Além da datação, deve-se também a Mário de Sampayo Ribeiro a harmonização com que hoje em dia esta composição de origem popular é mais frequentemente interpretada, feita para coro SATB a cappella.[3] Também criaram arranjos deste tema os compositores Christopher Bochmann (em 1997) e Fernando Lapa (em 1998), ambos para coro a cappella.[4][5]

Ainda que tenha tido uma origem humilde, é uma das canções de Natal portuguesas mais conhecidas na atualidade e tem conquistado alguma popularidade internacional, existindo até uma adaptação em língua inglesa da autoria do compositor austríaco Lorenz Maierhofer [de], com o título "I See Your Cradle is Bare", escrito para três vozes.[6][7]

LetraEditar

 
A Wikisource contém fontes primárias relacionadas com Eu hei de m'ir ao presépio

Originalmente a cantiga não possuía uma letra fixa, sendo cantada com várias quadras de origem popular. Desse conjunto destaca-se a trova que principia Nossa Senhora faz meia por se tratar de uma composição de origem erudita escrita pelo poeta português António Nobre em 1890 e publicada em 1892 na sua magnum opus .[8] As quadras podem ser cantadas em sequência ou pode ser distinguida uma delas para servir como refrão. Quando este existe é usualmente a segunda estrofe.[1]

O tema da cantiga é a adoração dos pastores (ou a adoração do Menino Jesus no presépio) e inclui relatos da infância de Jesus. Em concordância com a tradição popular portuguesa, o Menino Jesus é caracterizado como se fosse uma outra qualquer criança da sua idade do povo.[1]

 
Simão Rodrigues: Adoração dos pastores (c. 1595) no Museu Municipal de Elvas.

Eu hei de m'ir ao presépio
E assentar-me num cantinho,
A ver como o Deus Menino
Nasceu lá tão pobrezinho.

– Ó meu Menino Jesus;
Que tendes? Por que chorais?
– Deu-me a minha mãe um beijo,
Choro por que me dê mais.

O Menino chora, chora,
Chora com muita razão;
Fizeram-Lhe a cama curta
Tem os pezinhos no chão.

Ó meu Menino Jesus,
Quem Vos pudera valer
Com sopinhas da panela
Sem a Vossa mãe saber.

Nossa Senhora faz meia
Com linha feita de luz;
O novelo é lua cheia,
As meias são pra Jesus.[1]

DiscografiaEditar

  • 1990Canções Tradicionais de Natal. Coro Audite Nova de Lisboa. Polygram. Faixa 2: "Natal de Elvas (Eu hei-de me ir ao Presépio)".
  • 1995Um cantinho do céu. Diana Lucas. Movieplay. Faixa 5: "Eu hei-de m'ir ao presépio".
  • 1998Música dos Nossos Avós. Coro Misto da Covilhã. Luís Cipriano. Faixa 8: "Natal de Elvas II".
  • 1999Canções de Natal. Musicoteca. Faixa 20: "Natal de Elvas II".
  • 2002Roncas: o Natal de Elvas. Vários. Há Cultura. Faixas 1 a 5.
  • 2008Per Nadal. Cap Pela. Produccions Blau S. L.. Faixa 8: "Eu hei-de ir ao presépio".
  • 2011Canções de Natal Portuguesas. Coro Gulbenkian. Trem Azul. Faixa 7: "Natal de Elvas"
  • 2012Canções de Natal Portuguesas. Pequenos Cantores do Conservatório de Lisboa. Numérica. Faixa 3: "Natal de Elvas".
  • 2012Viagens. Coral de São Domingos. CNM. Faixa 13: "Natal de Elvas".
  • 2013Nome de Mar. Maria Ana Bobone. Faixa 7: "Natal d'Elvas".
  • 2014Natal, Vol. 2. Figo Maduro. Faixa 2: "Natal de Elvas".

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

Notas

  1. Alternativamente,
    • AO 1945: "Eu hei-de m'ir ao presépio"
    • "Eu hei de me ir ao presépio" / AO 1945: "Eu hei-de me ir ao presépio"
    • "Eu hei de ir ao presépio" / AO 1945: "Eu hei-de ir ao presépio"
    • "Natal d'Elvas"
    • "Natal de Elvas II"

Referências

  1. a b c d e Ribeiro, Mário de Sampayo (1939). «Música do Natal português». Lisboa. Ocidente. 6 e 7 
  2. Pires, A. Tomás (1902). Cantos Populares Portuguezes. I 1 ed. Elvas: Tipografia Progresso 
  3. «Natal de Elvas» (PDF). Coral Cristo Rei de Algés. Consultado em 14 de novembro de 2016 
  4. Paula de Castro; Miguel Azguime, et al. «Natal de Elvas II». Centro de Investigação & Informação da Música Portuguesa. Consultado em 11 de novembro de 2015 
  5. Paula de Castro; Miguel Azguime, et al. «Eu hei-de m'ir ao Presépio». Centro de Investigação & Informação da Música Portuguesa. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  6. Lorenz Maierhofer (2013). «3 voices Advent & Weihnachten SAM a cappella» (em inglês). Stretta Music. Consultado em 8 de setembro de 2015 
  7. Lorenz Maierhofer. «Die ultimativen Weihnachts-Chorbücher» (PDF) (em alemão). Consultado em 8 de setembro de 2015 
  8. Nobre, António (1892). 1 ed. Paris: Léon Vanier. p. 72. 157 páginas