Abrir menu principal
Eunápio
Nascimento 349
Sárdis
Morte 420 (71 anos)
Cidadania Império Bizantino
Ocupação historiador, filósofo, escritor, biógrafo

Eunápio de Sárdis (em grego: Εὐνάπιος; fl. ca. 347 – 414 era comum[1]) foi um sofista, historiador e biógrafo conhecido principalmente por sua obra Vida dos sofistas, escrita entre 396 e 399 e que consiste de biografias de filósofos neoplatônicos, retóricos e médicos.[2]

VidaEditar

Eunápio era nativo de Sárdis, uma cidade na Ásia Menor onde passou a maior parte de sua vida. Aos quinze anos ele velejou para Atenas onde estudou por anos com o sofista cristão Prohaerésio. Em Atenas, ele também foi iniciado nos Mistérios de Elêusis[3] pelo mesmo hierofante de Juliano.[4] Após esse período, compelido por seus pais retornou aos 19 anos para Sárdis onde lecionou retórica pela manhã enquanto estudava filosofia à tarde sob o cristão Crisâncio. Neste período, ele passou a fazer parte do círculo de sofistas pagãos que incluia Oribásio, o ex-médico da corte do Imperador Juliano.[5][3]

FilosofiaEditar

Eunápio traz uma consciência das sobreposições entre filosofia e sofística, entre Platão e os sofistas mais velhos, à tarefa de destacar as carreiras dos neoplatônicos, com isso, Eunápio tira o sentido original do termo sofisma quando usado para descrever as doutrinas dos neoplatônicos.[6] Eunápio era mais explicitamente anti-cristão do que foi Olimpiodoro de Tebas especialmente na primeira edição de sua obra. Fócio nos diz que Eunápio produziu uma segunda edição sem o material anti-cristão mais extremo.[7]

ObrasEditar

Eunápio é conhecido por ter escrito dois trabalhos literários Vida dos Filósofos e Sofistas, a História depois de Déxipo, que consiste da cobertura dos anos de 270 até 404 em quatorze livros cujos fragmentos são preservados na Suda e o escrito Excerpta de sententiis, uma antologia de resumos de trabalhos literários compilada sob a ordem do imperador Constantino VII.[8][5]

Vida dos Filósofos e SofistasEditar

A obra Vida dos filósofos e sofistas escrita por volta de 396,[9] é uma coleção que chegou até os dias de hoje de 44 pequenos textos biográficos, a maioria deles de neoplatonistas do século IV.[8] É mais ou menos da própria linhagem filosófica e uma história dos professores, colegas e parentes de Eunápio.[10]

Referências

  1. Otto Maenchen-Helfen. The World of the Huns: Studies in Their History and Culture. University of California Press; 1973. ISBN 978-0-520-01596-8. p. 497.
  2. Donald J. Zeyl. Encyclopedia of Classical Philosophy. Routledge; 2013. ISBN 978-1-134-27078-1. p. 238.
  3. a b David Rohrbacher. The Historians of Late Antiquity. Routledge; 2013. ISBN 978-1-134-62885-8. p. 64.
  4. Ilinca Tanaseanu-Döbler; Marvin Döbler. Religious Education in Pre-Modern Europe. BRILL; 2012. ISBN 90-04-23213-3. p. 129.
  5. a b Justin Lake. Prologues to Ancient and Medieval History: A Reader. University of Toronto Press; 2013. ISBN 978-1-4426-0503-9. p. 69.
  6. Richard Marback. Plato's Dream of Sophistry. Univ of South Carolina Press; 1999. ISBN 978-1-57003-240-0. p. 24.
  7. Theresa Urbainczyk. Socrates of Constantinople: Historian of Church and State. University of Michigan Press; 1997. ISBN 0-472-10737-2. p. 93.
  8. a b Posidonius. Posidonius: Volume 3, The Translation of the Fragments. Cambridge University Press; 1999. ISBN 978-0-521-62258-5. p. 321.
  9. Arnaldo Momigliano. Ottavo contributo alla storia degli studi classici e del mondo antico. Ed. di Storia e Letteratura; 2006. ISBN 978-88-87114-20-1. p. 208.
  10. Arthur P. Urbano. The Philosophical Life. CUA Press; 2013. ISBN 978-0-8132-2162-5. p. 56.