Exército dos Estados Confederados

Bandeira de batalha do Exército dos Estados Confederados
Soldados confederados marchando em Frederick, Maryland, em setembro de 1862.

O Exército dos Estados Confederados ou Exército Confederado (Army of the Confederate States of America —ACSA—, em inglês) foi organizado em 6 de março de 1861 para defender os recém-criados Estados Confederados da América das acções militares do governo dos Estados Unidos durante a Guerra Civil Americana.

Um número preciso do total de homens que serviram no exército confederado não é possível de ser determinado pois a maioria dos papéis de governo confederados foram destruídos e dados da época estão incompletos; estima-se que ao menos 750 000 ou até 1 000 000 de homens tenham servido no exército sulista (o total de soldados do Exército da União era pelo menos o dobro disso). Esse número não inclui os que serviam na Marinha dos Estados Confederados. Este número também não inclui escravos que foram alistados a força para exercer diversas tarefas para o exército, principalmente na área de infraestrutura, ajudando a construir fortificações, cavando trincheiras, cuidando dos vagões de suprimentos e outros trabalhos braçais.

Embora a maioria dos soldados que tenham serviço na guerra civil tenham sido voluntários, a partir de 1862 ambos os lados recorreram a conscrição para preencher suas fileiras. Na ausência de estatísticas oficiais, estima-se que o total de soldados conscritos tenha sido em torno de 12% do total de homens que serviram no exército confederado (o dobro do que do Norte).[1]

Não se sabe quantos homens exatamente foram mortos ou feridos durante a guerra servindo a Confederação. As melhores estimativas colocam o mínimo de 94 000 soldados confederados mortos em combate, 164 000 mortos devido a doenças e 26 000 a 31 000 mortes em campos de prisioneiros da União. Ao menos 194 026 homens foram feridos em batalha. Em 1865, cerca de 100 000 soldados confederados tenham desertado,[2] embora alguns historiadores achem que talvez o dobro deste número desertaram.[3] Após a rendição do general Robert E. Lee em Appomattox e a queda de Richmond, ambos em abril de 1865, o exército confederado deixou de existir como um exército prático. O exército foi dispensado formalmente pelas autoridades federais em maio de 1865.

Exércitos confederadosEditar

Tal como o Exército da União, o exército confederado dividia-se em diversas forças independentes entre si. Somavam no total entre 500 mil e dois milhões de homens, incluindo o pessoal não militar e reservas.

Os principais eram:

Os menores eram os de:

  • Kanawha (1861).
  • Kentucky Central (1861-62).
  • Missouri (1864).
  • Novo México (1861-62).
  • Kentucky (1862).
  • Tennessee Ocidental (1862-63).
  • Tennessee Meridional (1863-65).
  • Noroeste (1861-62).
  • Península (1861-62).
  • Potomac (1862).
  • Shenandoah (1861).
  • Transmississippi (1865).
  • Oeste (1862).
  • Luisiana Ocidental (1865).

Ver tambémEditar

Referências

  1. Albert Burton Moore, Conscription and Conflict in the Confederacy (1924).
  2. Eric Foner (1988). Reconstruction: America's Unfinished Revolution, 1863–1877. [S.l.: s.n.] p. 15. ISBN 9780062035868 
  3. Hamner, Christopher. «Deserters in the Civil War | Teachinghistory.org». Teachinghistory.org (em inglês). Consultado em 3 de agosto de 2018