Abrir menu principal

União (Guerra Civil Americana)

Text document with red question mark.svg
Este artigo ou secção contém fontes no fim do texto, mas que não são citadas no corpo do artigo, o que compromete a confiabilidade das informações. (desde setembro de 2015)
Por favor, melhore este artigo inserindo fontes no corpo do texto quando necessário.
Mapa animado da secessão, da Guerra Civil e da readmissão:
  Estados da União
  Territórios da União (includindo território ocupado)
  Estados da Confederação
  Territórios reivindicados pela Confederação

Durante a Guerra Civil Americana, União foi o nome usado para referir os Estados Unidos, os vinte e três estados que não faziam parte da Confederação secessionista. Embora a União incluísse os estados ocidentais da Califórnia, Oregon, e (após 1864) o Nevada, bem como estados normalmente considerados parte da Região Centro-Oeste dos Estados Unidos, a União é geralmente referida como o "Norte", tanto no passado como nos dias de hoje. O governo nacional foi liderado pelo presidente Abraham Lincoln.

Índice

O melhor contextoEditar

Como o termo já tinha sido usado antes da guerra em referência ao todo dos Estados Unidos (uma "união de estados"), fazia sentido continuar a utilizá-lo em referência aos estados não-secessionistas como uma continuação da entidade política prévia. Também, no diálogo público dos Estados Unidos, novos estados são "admitidos na União", e também é assim mencionado no discurso anual do Presidente ao Congresso dos Estados Unidos e ao povo como o Discurso do "Estado da União".

Durante a Guerra Civil Americana, os leais ao Governo Federal e opostos à secessão que viviam nos estados fronteiriços e nos estados Confederados, eram chamados de Unionistas. Os soldados Confederados por vezes chamavam-lhes "Yankees Caseiros". No entanto, os Unionistas do Sul não eram necessariamente simpatizantes do Norte, e muitos deles — apesar de se oporem à secessão — apoiaram a Confederação quando realmente a guerra se deu.

Ainda, perto de 120,000 Unionistas do Sul serviram no Exército da União durante a Guerra Civil, e todos os estados do Sul, exceptuando a Carolina do Sul, contaram com regimentos Unionistas. Os Unionistas do Sul eram principalmente usados como forças anti-guerrilha e tropas de ocupação em áreas da Confederação ocupadas pela União. Desde a Guerra Civil que o termo "Nortenho" tem sido um sinónimo amplamente usado para o lado Unionista do conflito. União é normalmente usado em contextos onde "Estados Unidos" pode ser confuso, "Federal", obscuro, ou "Yankee", depreciativo.

Estados da UniãoEditar

*Estado fronteiriço. No Kentucky e no Missouri, facções pró-secessão disseram-se pelo Sul, sendo reivindicados pela Confederação, mas os governos Unionistas permaneceram em poder desses territórios.

O Kansas juntou-se à União a 14 de Janeiro de 1861, após o início da crise de secessão, mas antes do início das hostilidades. A Virgínia Ocidental separou-se da Virgínia e tornou-se parte da União durante a guerra, a 20 de Junho de 1863. O Nevada também se juntou à União durante a guerra a 31 de Outubro de 1864.

ReferênciasEditar

  • Current, Richard N. Lincoln's Loyalists: Union Soldiers from the Confederacy. Oxford University Press, rpr. 1994. ISBN 0-19-508465-9.
  • Mackey, Robert R. The UnCivil War: Irregular Warfare in the Upper South, 1861-1865. University of Oklahoma Press, 2004. ISBN 0-8061-3624-3.

Ver tambémEditar