Exibicionismo

Exibicionismo é um desvio sexual manifestado pelo desejo incontrolável de obter satisfação sexual no facto puro e simples de exibir os órgãos genitais a outros.[1]

Uma modelo nua na rua em Budapeste.

Aspectos legaisEditar

  • Interessa ao Direito por constituir-se em importunação ofensiva ao pudor, contravenção penal.

Pseudo-exibicionismo e distinçõesEditar

O exibicionismo eventual, decorrente de alteração momentânea dos freios psicológicos pela ingestão de substâncias desinibidoras (como, v.g., o álcool, certas drogas como o LSD, e outras), não pode se caracterizar como a típica parafilia do exibicionismo.

Também a agorafilia não se constitui exibicionismo, pois esta consiste na prática sexual em local aberto, independente da existência de pessoas observando.

Outras acepçõesEditar

Vulgarmente, por exibicionismo tem-se toda conduta que consiste em o indivíduo buscar fazer-se notar pelos demais. Neste sentido a palavra ganha diversos sinônimos e muitas vezes confunde-se com práticas comuns, muitas vezes alimentadas por regras de grupo (como ocorreria, por exemplo, em "bailes funks", concurso de camiseta molhada, etc.) onde a conduta exibicionista e despudorada é não só incentivada, como valorizada.

Na gíria (Brasil), existem diversas expressões que definem pessoas de conduta exibicionista, como "perua" ou "piriguete" para mulheres que gostam de aparecer no jeito de se vestirem, ou o jogador "mascarado", no esporte.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Baunach, Dawn Michelle (2010). «Exhibitionism». Sex and Society. New York: Marshall Cavendish. p. 220. ISBN 978-0-7614-7906-2. Consultado em 22 de maio de 2017