Abrir menu principal

A fórmula de Feynman–Kac, que recebe este nome em homenagem ao físico norte-americano Richard Feynman e ao matemático polonês Mark Kac, estabelece uma ligação entre equações diferenciais parciais (EDPs) parabólicas e processos estocásticos. A fórmula oferece um método para resolver algumas EDPs pela simulação de caminhos aleatórios de um processo estocástico. Reciprocamente, uma importante classe de valores esperados de processos aleatórios pode ser computada por métodos determinísticos.

Índice

FórmulaEditar

Considere a equação diferencial parcial[1]

 

definida para todo   em R e todo   em  , sujeita à condição terminal

 

em que  ,  ,  ,   e   são funções conhecidas.   é um parâmetro e   é desconhecido. Então, a fórmula de Feynman–Kac nos diz que a solução pode ser escrita como um valor esperado condicional

 

sob a medida de probabilidade  , tal que   é um processo de Itō dirigido pela equação

 

sendo   um processo de Wiener (também chamado de movimento browniano) sob   e   a condição inicial para  .

ProvaEditar

Considere   a solução da EDP acima. Aplicando o lema de Itō ao processo[2]

 

obtém-se

 

Já que

 

o terceiro termo é   e pode ser dispensado. Tem-se também que

 

Aplicado o lema de Itō novamente a  , segue-se que

 

O primeiro termo contém, entre parênteses, a EDP acima, sendo portanto zero. O que sobra é

 

Integrando esta equação de   a  , conclui-se que

 

Ao tomar valores esperados, condicionados em  , observando que o lado direito é uma integral de Itō, que tem valor esperado zero, segue-se que

 

O resultado desejado é obtido observando que

 

e finalmente

 

ConsideraçõesEditar

  • A prova acima é essencialmente uma demonstração com modificações para computar  .[3]
  • A fórmula de valor esperado acima também é válida para difusões de Itō de   dimensões. A equação diferencial parcial correspondente para   se torna:[4]
 
em que,
 
isto é,  , em que   denota a matriz transposta de  .
  • O valor esperado pode ser então aproximado pelo método de Monte Carlo ou pelo método de quase-Monte Carlo.
  • Quando foi publicado pela primeira vez por Kac em 1949, a fórmula de Feynman–Mac foi apresentada como uma fórmula para determinar a distribuição de certas funcionais de Wiener.[5] Suponha que se deseja encontrar o valor esperado da função
 
no caso em que   é alguma ocorrência de um processo de difusão iniciado em  . A fórmula de Feynman-Kac diz que o valor esperado é equivalente à integral de uma solução para uma equação de difusão. Especificamente, sob as condições de que ,
 
em que   e
 
A fórmula de Feynman–Kac também pode ser interpretada como um método para avaliação de integrais funcionais de uma certa forma. Se
 
em que a integral é tomada sobre todos os passeios aleatórios, então,
 
em que   é uma solução da equação diferencial parcial parabólica
 
com a condição inicial  .

Ver tambémEditar

ReferênciasEditar

  1. Hall, Brian C. (19 de junho de 2013). Quantum Theory for Mathematicians (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media. ISBN 9781461471165 
  2. Simon, Barry (2005). Functional Integration and Quantum Physics (em inglês). [S.l.]: American Mathematical Soc. ISBN 9780821835821 
  3. «PDE for Finance». www.math.nyu.edu. Consultado em 19 de junho de 2017 
  4. Pham, Huyên (28 de maio de 2009). Continuous-time Stochastic Control and Optimization with Financial Applications (em inglês). [S.l.]: Springer Science & Business Media. ISBN 9783540895008 
  5. Kac, M. (1949). «On distributions of certain Wiener functionals». Transactions of the American Mathematical Society. 65 (1): 1–13. ISSN 0002-9947. doi:10.2307/1990512