Favelas em Chenai

Chenai é a capital do estado de Tamil Nadu, no sul da Índia, e é a quarta maior cidade metropolitana do país. Um total de 29% da população de Chenai residia em favelas em 2011. O governo estadual de Tamil Nadu estabeleceu um Conselho de Desminagem de Favelas, sob a liderança de um ministro.

Favela em Chenai

DemografiaEditar

De acordo com o Censo da Índia de 2011, 28,89% dos habitantes de Chenai viviam em favelas. Chenai (1,34 milhões) é o quarto na lista de população total de favelas entre Mumbai (5,21 milhões), Hyderabad (2,29 milhões) e Calcutá (1,41 milhões).[1]

Dos totais provisórios de população de 2001, as favelas de Chenai eram de 10,79.414 pessoas, o que constituía 25,6% da população total da cidade. Salem e Trichy tinham 23% e 19% da população vivendo em favelas. Do total em Chenai, 548.517 eram homens e o restante eram 530.897 mulheres. A proporção entre os sexos das crianças era de 968 mulheres para cada 1.000 homens, em comparação com a proporção entre os sexos não favelados de 945. A taxa de alfabetização da população favelada foi de 80,09%, sendo 85,77% no sexo masculino e 74,21% no feminino. Havia um total de 125.725 domicílios constituindo 81.128 domicílios permanentes (64,53%), 22.415 domicílios semipermanentes (17,83%) e 22.182 domicílios temporários (17,64%). 66,96% das residências possuíam cômodo único, 24,19% possuíam dois, 5,85% possuíam três e 2,17% possuíam mais de três cômodos. Havia no total 70.689 (56,23%) casas próprias, 50.764 (40,38%) casas alugadas e 4.272 (3,39%) outras casas. Apenas 26% da população total tinha acesso a água nas casas, enquanto a maioria viaja pelo menos 500 metros para obter água potável. As bombas manuais e os tubos são as principais fontes de água. Eram 38.838 (30,89%) bombas manuais, 53.556 (42,60%) encanamentos, 3.162 (2,52%) poços tubulares, 4.665 poços e 25.062 (19,93%) outras fontes de água. Apenas 79,41% dos moradores das favelas tinham acesso à eletricidade e 1.409 domicílios não tinham acesso à iluminação. Cerca de 34% das famílias não tinham latrinas, resultando na propagação de doenças. Cerca de 43,87% dos domicílios possuíam rádio, enquanto 60,07% dos domicílios possuíam Televisão.[2]

FatoresEditar

O principal fator que contribui para o desenvolvimento das favelas é a falta de emprego nas áreas rurais e a rápida urbanização em Chenai. As pessoas migram de sua cidade natal para Chenai e são empregadas em diferentes setores não organizados.[3]

TrabalhoEditar

De acordo com um estudo publicado na Society for Participatory Research in Asia and Indicus Analytics, as favelas urbanas nas cidades metropolitanas contribuem com 7% do produto Interno Bruto (PIB) do país.[4]

Políticas governamentaisEditar

O governo de Tamil Nadu não tinha nenhuma política até 1971, embora tivesse notificado as favelas do período pré-independência de 1932. A Lei de Áreas de Favelas Tamil Nadu (Melhoria e Desobstrução) de 1971 autorizou o governo a proteger os direitos dos moradores das favelas de despejo ou realocação. A política ajudou a criar o Tamil Nadu Slum Clearance Board (TNSCB), que está subordinado ao Departamento de Habitação do governo estadual de Tamil Nadu. O governo também tinha poderes para demolir favelas questionáveis. Algumas das obras de desenvolvimento de favelas do governo são financiadas externamente por agências como o Banco Mundial.[5]

InfraestruturaEditar

A maioria das favelas eram casas de um só cômodo e tinham péssimas condições de vida. O quarto era usado para todos os fins domésticos, como cozinhar, dormir e limpar vasilhas. A maioria das favelas não tem drenagem e os banheiros abertos são amplamente utilizados, resultando na disseminação de doenças.[6]

O Chenai MRTS (linha ferroviária) foi concluído em várias fases entre 1998 e 2004 teve problemas de infraestrutura, pois a maior parte do caminho estava localizado em favelas.[7]

RecuperaçãoEditar

O governo sob sua visão 2023 formulou a ideia de construir 10.000 apartamentos em kadambur a um custo de 825 crores. Está planejada para ser uma estrutura residencial autossustentável com infra-estrutura.[8]

Referências

  1. [www.census2011.co.in/slums.php «Slum Population - Census 2011»] Verifique valor |url= (ajuda). 2011 Census of India. Consultado em 6 de Março de 2021 
  2. Chandra, pp. 82-88
  3. Kumaran T., Vasantha; S. Divya, Rajeswari; N., Annammadevi; J., Nandhini; Bunch, Martin; Marley, David; Franklin, Beth (1 de Maio de 2012). «Community Engagement in Chennai Slums A Reflection from the Field». International Quarterly for Asian Studies. Consultado em 5 de Outubro de 2014. Cópia arquivada em 23 de Março de 2015 
  4. «Slums Contribute 7% to India's GDP, It's Time to Upgrade Them». The Hindustan Times. New Delhi, India. 18 de Outubro de 2013 
  5. Kumaran T., Vasantha; S. Divya, Rajeswari; N., Annammadevi; J., Nandhini; Bunch, Martin; Marley, David; Franklin, Beth (1 de Maio de 2012). «Community Engagement in Chennai Slums A Reflection from the Field». International Quarterly for Asian Studies. Consultado em 5 de Outubro de 2014. Cópia arquivada em 23 de Março de 2015 (inscrição necessária)
  6. Kumaran T., Vasantha; S. Divya, Rajeswari; N., Annammadevi; J., Nandhini; Bunch, Martin; Marley, David; Franklin, Beth (1 de Maio de 2012). «Community Engagement in Chennai Slums A Reflection from the Field». International Quarterly for Asian Studies. Consultado em 5 de Outubro de 2014. Cópia arquivada em 23 de Março de 2015 (inscrição necessária)
  7. «Mass rejected transit system ; Chennai's MRTS carries just about 10 per cent of the commuters it was meant to, making it a case study in bad urban infrastructure planning. What can revive it?». Business Today. 4 de Abril de 2010. Consultado em 11 de Janeiro de 2015. Arquivado do original em 18 de Novembro de 2018 (inscrição necessária)
  8. «10,000 Flats in Chennai». Mena Report. 26 de Julho de 2014. Consultado em 11 de Janeiro de 2015. Arquivado do original em 7 de Março de 2016 (inscrição necessária)