Abrir menu principal
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde junho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Fedayin (em árabe: فدائي, fidā'ī, plural فِدائيّون, fidā'īyūn, ou, em determinados contextos, فِدائيّين, fidā'īyīn, numa tradução livre cuja tradução pode ser "devoto", "mártir" ou "aquele que se redime pelo sacrifício"[1][2] em armênio/arménio: Ֆէտայի ; em hebraico: פַדַאיוּן ) é um termo utilizado para descrever diversos grupos ou indivíduos militantes, na Armênia, no Irã e no mundo árabe, em diferentes momentos históricos. Embora originalmente fidā'īyīn seja o plural de fidā'ī, no Ocidente a palavra "fedayin" é usada indistintamente, tanto para designar um único indivíduo como um grupo, e eventualmente, pode ser encontrada a forma fida'is como plural de fidā'ī.

Segundo a tradição islâmica, o termo está ligado originalmente a seguidores de uma seita ou ordem mística ismailita criada por Ḥassan-i Ṣabbāḥ, o velho da montanha ou o sábio da montanha, que fundou um complexo estado teocrático na fortaleza de Alamūt, nos altos da Cordilheira Elbruz, ao sul do Mar Cáspio, no Irã. Por quase trezentos anos a seita esteve ativa na Síria e no Irã. Eram chamados, pejorativamente, hashishin ou "comedores de haxixe", palavra da qual deriva o termo "assassino". Alamūt foi destruída pelos mongóis, em 1256. Consta que os seguidores de Ḥassan-i Ṣabbāḥ - os nizaritas - realizavam atentados para eliminar seus adversários, notadamente muçulmanos sunitas e, em particular, os seljúcidas. Os fedayin, uma das categorias mais baixas dessa ordem, eram encarregados de executar esses atentados. [3]

Contemporaneamente, o uso do termo "fedayin" foi reintroduzido, aplicando-se com mais frequência aos militantes da guerrilha palestina contra a ocupação israelense.

Ver tambémEditar

Referências

  1. Derivado da palavra فداء, que significa redenção, indica literalmente alguém que se redime arriscando ou sacrificando sua vida. Ver Scruton, Roger. The West and the rest: globalization and the terrorist threat. Continuum International Publishing Group, 2005. ISBN 0826485693, 9780826485694.
  2. Tony Rea e John Wright (1993). The Arab-Israeli Conflict. [S.l.]: Oxford University Press. p. 43. ISBN 019917170X 
  3. DAFTARY,Farhad The Assassin Legends: Myths of the Isma'ilis. I. B. Tauris & Co. Ltd: London, 1994. O texto utiliza a forma fida'is.

Ligações externasEditar