Fernão Lopes de Castanheda

Fernão Lopes de Castanheda (Santarém, c.1500Coimbra, 1559) foi um historiador português do renascimento. A sua História do descobrimento e conquista da Índia pelos portugueses, que se destaca pela abundância de informações geográficas e etnográficas objetivas, foi traduzida em toda a Europa.[1][2][3][4]

Fernão Lopes de Castanheda
Nascimento c. 1500
Santarém, Reino de Portugal Portugal
Morte 1559 (59 anos)
Coimbra, Reino de Portugal Portugal
Ocupação Historiador
Assinatura
Fernão Lopes de Castanheda assinatura.jpg

BiografiaEditar

Fernão Lopes de Castanheda era filho natural de Lopo Fernandes de Castanheda, juiz de fora em Santarém, tendo feito a sua formação escolar no Convento de São Domingos de Lisboa.

Quando o pai é nomeado ouvidor em Goa, em 1528, acompanha-o à Índia e às Ilhas Molucas. Aí permaneceu dez anos, de 1528 a 1538, reunindo, a partir de documentos escritos e relatos orais, toda a informação que conseguiu sobre a descoberta e conquista da Índia pelos Portugueses, a fim de escrever um livro sobre o assunto. Em 1538 regressou a Portugal. Em graves dificuldades financeiras estabeleceu-se em Coimbra, onde ocupou, a partir de 1545, o cargo de bedel na Universidade de Coimbra.[1][2][3][4]

ObraEditar

Os oito volumes da História foram impressos em Coimbra, entre 1551 e 1561[1][5]

O primeiro volume teve uma edição refundida em 1554, no sentido de ajustar o texto à ideia que a corte pretendia difundir acerca da Índia.[1]

A obra fora planeada para ser publicada em dez volumes, como indicado no primeiro. Porém, após a publicação do oitavo volume, a rainha regente D. Catarina, pressionada por alguns fidalgos a quem não agradava a objetividade de Castanheda, proibiu a impressão dos dois últimos volumes.[1][2][3][4]

Repleta de pormenores geográficos e etnográficos, a História foi logo amplamente traduzida na Europa, primeiro em francês, em 1554,[6] por Nicolas de Grouchy, professor na universidade de Coimbra[nota 1], depois em espanhol (1554), italiano (1577)[7] e inglês, por Lichfield (1582)[8].

Entre 1924 e 1933, a Imprensa da Universidade de Coimbra publicou uma edição revista e anotada por Pedro de Azevedo, em 4 volumes.[9]

Notas

  1. Nicolas de Grouchy (1510-1572) foi um estudioso e escritor francês que, depois de receber muitos elogios, foi chamado por D.João III de Portugal para ensinar grego e filosofia na Universidade de Coimbra, onde ficou até ao final de 1549, quando retornou à Normandia. Foi instrutor de Montaigne no Collège de Guyenne, onde fora regente até 1547 André de Gouveia, o que poderá explicar em parte a compreensão de Montaigne face ao Novo Mundo, lançando alguma luz sobre possíveis fontes para seus numerosos ensaios.

Referências

  1. a b c d e Cf. pp. V a XXXIV do primeiro volume de CASTANHEDA, Fernão Lopes de. História do descobrimento & conquista da Índia pelos portugueses. 3.ª ed., rev. e anot. por Pedro de Azevedo. Coimbra : Imprensa da Universidade, 1924-1933., 4 v.
  2. a b c Fernão Lopes de Castanheda na página do Projeto Vercial.
  3. a b c História do descobrimento e conquista da Índia pelos portugueses na Infopédia.
  4. a b c Fernão Lopes de Castanheda na Infopédia.
  5. Cf. registo do Catálogo Geral da Biblioteca nacional de Portugal. A obra está disponível em linha na Biblioteca Nacional Digital de Portugal neste endereço.
  6. Cf. registo no Catálogo Geral da Biblioteca Nacional de Portugal.
  7. Cf. registo no Catálogo Geral da Biblioteca Nacional de Portugal.
  8. Cf. registo do World Cat.
  9. Cf. registo do Catálogo Geral da Biblioteca Nacional de Portugal. A obra está disponível em linha na Biblioteca Nacional Digital de Portugal neste endereço.

Ver tambémEditar

  Este artigo sobre História ou um(a) historiador(a) é um esboço relacionado ao Projeto História. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.