Abrir menu principal

Wikipédia β

Filisco de Égina

Filisco de Égina (em grego: Φιλίσκος), 4 século a.C., foi um filósofo cínico de Egina que viveu na segunda metade do século 4 a.C. Era filho de Onesícrito de Astipalea que o enviou para Atenas juntamente com o irmão mais novo Andróstenes, onde ficaram tão surpresos com a filosofia de Diógenes de Sínope que mesmo Onesícrito passou a ser um discípulo.[1]

Deve se observar que Filisco de Égina provavelmente não tinha nada a ver com o sapateiro Filisco que se dirige a Crates num fragmento de Teles.[2][3]

VidaEditar

De acordo com Hermipo de Esmirna, Filisco foi aluno de Estilpo.[4] Ele é também descrito como tendo alguma associação com Fócion.[5] A Suda afirma que ele foi um professor de Alexandre o Grande,[6] mas nenhum outro escritor menciona isso. Eliano, preservou uma pequena exortação de Filisco endereçada a Alexandre:

Tenha cuidado com sua reputação; não se torne uma praga ou grande desastre, traga paz e saúde.[7]

TrabalhosEditar

A Suda menciona que Filisco escreveu diálogos incluindo um chamado Codrus. Sátiro alegou que as tragédias atribuídas a Diógenes eram, de fato, escritas por Filisco. Entre os diálogos atribuídos a Diógenes por Sótion, um deles está é intitulado Filisco.

Referências

  1. Diógenes Laércio, Suda, "Philiskos", vi. 75
  2. Teles, 4B:Sobre probreza e riqueza
  3. R. BRACHT BRANHAM; MARIE-ODILE-GOULET CAZE. Os Cínicos. Loyola; ISBN 978-85-15-03223-5. p. 425 – 425.
  4. Suda, "Philiskos", φ 359
  5. Suda, "Philiskos", φ 362
  6. Suda, "Philiskos", φ 359. Há, além disso, problemas cronológicos em um homem ser filho de Onesícrito, o aluno de Estilpo e o professor de Alexandre.
  7. Eliano, Varia Historia, xiv. 11