Final Fight 2

vídeojogo de 1993
Final Fight 2
Produtora(s) Capcom
Editora(s) Capcom
Plataforma(s) SNES
Gênero(s) Jogo de luta
Modos de jogo Single Player

Final Fight 2 (ファイナルファイト2 Fainaru Faito Tsū) é um jogo de luta, no estilo beat 'em up, lançado em 1993 exclusivamente para o Super NES. Foi produzido pela Capcom. É a sequência direta do jogo de arcade de 1989 Final Fight. Final Fight 2 suporta jogos simultâneos para dois jogadores e possui um total de três personagens jogáveis que sãoː Mike Haggar (único da versão original), Maki Genryusai e Carlos Miyamoto. Final Fight 2 foi desenvolvido pela divisão de consumidores da Capcom, sem a versão anterior do coin-op. O jogo foi relançado no serviço Console Virtual do Wii em 2009 para as regiões da América do Norte e Europa.

Na trama do jogo, os três enfrentam o restante da gangue Mad Gear em vários locais da Ásia e da Europa para resgatar a irmã e o pai de Maki, que também são a noiva e a professor de Guy (personagem do primeiro game). [1]

A Capcom acompanhou o jogo com outra sequência exclusiva do SNES, Final Fight 3, que viu o retorno de Guy à série. Nenhum dos novos personagens de Final Fight 2 retornou, embora Maki tenha aparecido em vários jogos de luta da Capcom anos depois.


JogabilidadeEditar

O Final Fight 2 não difere muito do Final Fight original em termos de jogabilidade, embora, ao contrário da versão SNES do primeiro jogo (e da versão alternativa Final Fight Guy), o Final Fight 2 tenha um modo cooperativo para dois jogadores, além do modo single-player. O jogador tem uma escolha entre três personagens: Haggar, que usa técnicas profissionais de luta livre; Maki, é uma mestra da escola fictícia de ninjutsu de Bushin-ryū Ninpō, semelhante a Guy do primeiro jogo; e Carlos, é um artista de martes marciais sul-americano de ascendência japonesa que usa uma espada para seu Movimento Especial. Através do uso de um código, dois jogadores podem selecionar o mesmo personagem. Como no jogo original, cada personagem tem seu próprio conjunto de técnicas e habilidades de luta exclusivas para cada personagem.

A jogabilidade permanece a mesma do jogo original. O jogador possui dois botões de ação principais (Ataque e Salto), que quando pressionados juntos, fazem com que o personagem execute seu Movimento Especial (um terceiro botão também pode ser designado para esse fim). O jogador passa por níveis lutando contra hordas de subordinados antes de alcançar um personagem chefe no final de cada estágio. [2] Itens de restauração de saúde e outros itens de pontos de bônus estão escondidos em caixotes e barris quebráveis. Há também três armas recuperáveis ​​no jogo, uma tonfa, um pedaço de madeira e uma faca. Há também uma "Boneca Genryusai", que torna o jogador invulnerável por um período limitado e uma "Boneca Guy", que dá uma vida extra ao jogador.

Há um total de seis etapas no jogo, cada uma delas em um local distinto da Eurásia: [2] Hong Kong, França, Holanda, Inglaterra, Itália e Japão. Como no jogo original, o jogador será confrontado com vários tipos de personagens inimigos recorrentes no jogo. Os únicos personagens inimigos que retornam do jogo SNES original são a família Andore. Rolento, um personagem chefe que estava na primeiro Final Fight para Arcade porém cortado no port para SNES, retornando como um chefe neste jogo (com o nome "Rolent").

Stage Location Time Boss
1 Hong Kong 12:00pm Won Won
2 France 5:00pm Freddie
Bonus Break Car
3 Holland 4:00pm Bratken
4 England 8:00pm Philippe
Bonus Break Drum
5 Italy 12:00pm Rolento
6 Japan 11:30pm Retu

Na versão para SNES o jogador pode ajustar a dificuldade (junto com outras configurações) do jogo no menu de opções, cada dificuldade mostra apenas uma parte do final, para ver o final completo deve-se apenas completar o jogo na dificuldade "Expert".

A versão japonesa de Final Fight 2 para FAMICON apresenta dois personagens inimigos que foram retirados na versão internacional do jogo, chamados Mary e Eliza, que são inimigos femininos com técnicas acrobáticas, foram substituídas por dois personagens andrógenos masculinos chamados Leon e Robert nas versões internacionais do jogo. Além disso, o chefe do primeiro estágio, Won Won, empunha um cutelo na versão japonesa, que também foi removida nas versões estrangeiras.

EnredoEditar

O tempo passou desde que Mike Haggar, juntamente com seus amigos Cody e Guy, derrotaram a gangue Mad Gear e restauraram a paz em Metro City. Enquanto o trio continua vivendo suas vidas normais, com Cody tirando férias com sua namorada Jessica, Guy saiu para uma jornada de treinamento e desafios de lutas pelo mundo e Haggar continuando a administrar Metro City como prefeito, os membros sobreviventes do Mad Gear secretamente se reagruparam planejando sua vingança. um novo líder chamado Retu. Eles começam sequestrando a noiva de Guy no Japão, Rena, junto com seu pai e o antigo sensei de Guy, Genryusai.

Retu queria atrair Guy, porem o lutador estava sumido, sem dar noticias viajando pelo mundo, a irmã mais nova de Rena, Maki Genryusai, liga para Haggar do oriente e o informa da situação. Acompanhado por seu amigo Carlos Miyamoto que havia chegado em Metro City, Haggar vai no lugar de Guy e viaja para a Eurásia, lá se encontra com Maki, e os três se unem para enfrentar a recém-revivido Mad Gear. Após uma série de lutas em vários países, a trilha leva ao Japão, onde eles encontram o Dojo nas montanhas e lutam com Retu, o novo líder do Mad Gear. Os três derrotam Retu, que cai do precipicio, tendo um destino semelhante a Belger, chefe final no primeiro jogo, com isso o trio resgata Genryusai e Rena. Guy fica sabendo tardiamente da informação então escreve uma carta para seus amigos do exterior agradecendo por tudo o que fizeram.

ContinuidadeEditar

Embora os eventos do primeiro jogo tivessem a intenção de ser a "luta final" (Final Fight), este jogo a retomou adicionando uma luta temática ao primeiro game, e ainda tendo uma terceira sequencia chamada de Final Fight 3.

RecepçãoEditar

Segundo a Associated Press, Final Fight 2 não possui a quantidade de movimentos do Street Fighter II da Capcom, mas a adição de uma modalidade de dois jogadores foi vista como uma melhoria em relação ao SNES original. A AP classificou a música como média, mas elogiou os gráficos, em particular os fundos.[1] Uma análise do Rocky Mountain News foi muito mais negativa, chamando o jogo de "representante singular das piores propriedades de um jogo de luta" e criticando-o por possuir "locais sombrios, personagens desinteressantes, jogabilidade sem desafios" e aderindo a fórmula "caminhada para a direita, toque no botão".[2] A IGN ecoou os sentimentos sobre a jogabilidade repetitiva na crítica do lançamento do Virtual Console, chamando-o de "bastante simples" e "um pouco sem graça", mas ainda assim uma "experiência briguenta decente", embora lamentando que Guy não fosse incluído quando sua noiva foi sequestrada na história.[3] No entanto, a Nintendo Power elogiou "grande jogo e personagens bem animados".

RivalidadeEditar

No seu lançamento, Final Fight 2 competia diretamente com Streets Of Rage do Mega Drive pelo reinado dos beat'em up dos 16 bits, sendo um exclusivo da Nintendo e Capcom numa parceria.


Referências

  1. Schiffmann, William (7 de setembro de 1993). «'Final Fight 2' is no 'Street Fighter'». Associated Press. The Tuscaloosa News. pp. 7c 
  2. Williamson, Matt (10 de setembro de 1993). «NEW CONTROLLERS READY FOR THE HARD-CORE SET». The Rocky Mountain News 
  3. Thomas, Lucas M. (12 de outubro de 2009). «Final Fight 2 Review». IGN. Consultado em 21 de julho de 2012 

Ligações externasEditar