Abrir menu principal
Question book.svg
Este artigo ou secção não cita fontes confiáveis e independentes (desde setembro de 2014). Ajude a inserir referências.
O conteúdo não verificável pode ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)

Em biologia marinha e limnologia, chama-se fitobentos ao conjunto dos organismos autotróficos que vivem no substrato dos ecossistemas aquáticos - muitos tipos de algas e as plantas aquáticas enraizadas.

Tal como o fitoplâncton, o fitobentos tem um importante papel na produção primária, não só dos próprios ecossistemas aquáticos, mas também na produção de oxigênio para a atmosfera.

Para além disso, o fitobentos serve de alimento a muitos animais aquáticos. As plantas enraizadas também podem servir de refúgio a muitos animais e suas larvas e juvenis.

Outro papel importante do fitobentos é na colonização de substratos novos, como por exemplo um recife artificial ou uma região do fundo que tenha sido devastada por um ciclone, por um aluímento ou por motivos antropogénicos. Os primeiros organismos a fixarem-se são bactérias e algas microscópicas, principalmente do grupo das diatomáceas, que formam um filme orgânico onde se podem alimentar e fixar-se outros organismos.

As bactérias, no entanto, não são incluídas no bentos, pois constituem uma comunidade separada - a microbiota aquática.


Nota: as palavras bentos, nécton, plâncton
e as palavras compostas destas não têm plural.

Ver tambémEditar



  Este artigo sobre Biologia é um esboço. Você pode ajudar a Wikipédia expandindo-o.