Abrir menu principal

Fortaleza de Ajyad

A Fortaleza de Ajyad, no canto superior esquerdo, diante da Caaba, em foto datada de 1889

A Fortaleza de Ajyad (em turco: Ecyad Kalesi; em árabe: قلعة أجياد) foi uma cidadela otomana que ficava no topo de um morro com vista para a Grande Mesquita de Meca, no que é atualmente a Arábia Saudita. Construída no final do século XVIII foi demolida pelo governo desse país em 2002 para o desenvolvimento do complexo multiuso Abraj Al Bait, gerando controvérsia internacional.

HistóriaEditar

A fortaleza foi construída em 1780 durante o período otomano com o objetivo de proteger a Caaba de Meca de criminosos e invasores.[1][2] A fortaleza possuía área de aproximadamente 23 000 m2 (250 000 sq ft) no topo do morro de Bulbul[3] (a esporão de Jebel - "morro" ou "monte" em árabe - Kuda) com vista à Grande Mesquita de Meca. Os turcos otomanos governaram um vasto império que ia do norte da África à Península Arábica, passando pelos Bálcãs, mas desintegrou-se no início do século XX, após a I Guerra Mundial quando a atual Turquia foi transformada em Estado secular.[4]

No início de 2002, a fortaleza de Ajyad foi demolida e a maior parte do morro de Bulbul foi nivelada,[5] de modo a limpar a área para o projeto de construção do Abraj Al Bait, orçado na época em 533 milhões de dólares.[6][7]

ReaçõesEditar

A destruição da estrutura histórica fomentou protestos internacionais, assim como dentro da Arábia Saudita.[8] O ministro turco de Relações Exteriores, İsmail Cem İpekçi, assim como várias instituições, tentaram impedir a demolição.[9] O deputado Ertuğrul Kumcuoğlu, do Partido da Esquerda Democrática chegou a propor um boicote a viagens à Arábia Saudita.[10] O ministro turco da Cultura e Turismo condenou a destruição da fortaleza, comparando a ação à destruição dos Budas de Bamiyan e acusando o governo saudita de "continuar sua política de destruir as heranças otomanas."[11][12]

A agência de notícias francesa Agence France-Presse (AFP) citou o ministro de Assuntos Islâmicos, Saleh bin Abdul-Aziz Al ash-Sheikh: "ninguém tem o direito de interferir no que vem sob a autoridade do Estado saudita". Em referência ao componente habitacional do plano, al-Sheikh adicionou que a região estava destinada a abrigar os peregrinos a Meca, e que isto "estava no interesse dos muçulmanos de todo o mundo".[6]

Entretanto, a destruição deste e de outros patrimônios históricos criou mais controvérsia e críticas aos sauditas, ainda que tenham sido feitos planos de reconstruir a cidadela, conforme ordenado pelo rei Fahd em 2001:[5][13]

O rei Fahd deu sua aprovação à dotação Abdul Aziz Endowment para a preparação do projeto que retirará o morro e a cidadela. O rei deu instruções de que o forte deve ser completamente preservado através de sua reconstrução", disse o ministro em uma declaração.

Referências

  1. Simon Wheelan (28 de janeiro de 2002). «Saudi government demolishes historic Ottoman castle - World Socialist Web Site». Consultado em 20 de janeiro de 2015 
  2. «BBC News - MIDDLE EAST - Saudis hit back over Mecca castle». Consultado em 20 de janeiro de 2015 
  3. Article no Arab News de 9 de janeiro de 2002 Arquivado em 29 de outubro de 2013 no Wayback Machine.
  4. «Saudis hit back over Mecca castle». BBC 
  5. a b Artigo no Arab News de 26 dezembro de 2001
  6. a b Wheelan, Simon (28 de janeiro de 2002). «Saudi government demolishes historic Ottoman castle». World Socialist Web Site. Consultado em 2 de abril de 2008. Cópia arquivada em 10 de maio de 2008 
  7. Artigo no Brunei Times de Pakinam Amer fem 15 de abril de 2007Arquivado em 17 de junho de 2008 no Wayback Machine.
  8. Gossett, Sherrie. «Mecca Conference Criticized for Hypocrisy on Holy Site Destruction». crosswalk.com. Consultado em 9 de abril de 2008. Cópia arquivada em 18 de maio de 2008 
  9. Artigo no People's Daily Online
  10. «Ecyad Castle». Consultado em 20 de janeiro de 2015 
  11. Palmer, Jason (9 de janeiro de 2002). «Destroying Ottoman castle to build hotel is 'cultural massacre'». The Independent. Consultado em 9 de abril de 2008 
  12. Turkish Ministry of Culture Announcement Retrieved 03-28-2008 Arquivado em 24 de setembro de 2006 no Wayback Machine.
  13. «Holy site expansion to preserve historic Ajyad Fort». Royal Embassy of Saudi Arabia at Washington D.C. Website. 9 de janeiro de 2002. Consultado em 9 de abril de 2008. Arquivado do original em 31 de outubro de 2005