Abrir menu principal
Searchtool.svg
Esta página ou seção foi marcada para revisão, devido a incoerências e/ou dados de confiabilidade duvidosa. Se tem algum conhecimento sobre o tema, por favor, verifique e melhore a coerência e o rigor deste artigo.

O Forte da Feira localiza-se na vila e freguesia da Malveira, no concelho de Mafra, distrito de Lisboa, em Portugal. Constitui-se em uma das fortificações outrora integrantes das chamadas Linhas de Torres Vedras. Foi inicialmente denominado de Reduto de Valtijães. Em 1810 encontra-se denominado como Forte da Malveira e, em 1895 com o nome atual.

HistóriaEditar

A toponímia remonta a uma feira anual instituída por Maria I de Portugal em 14 de dezembro destinada a compra e venda de gado na região.

No contexto da Guerra Peninsular, o núcleo urbano da Malveira restringia-se a uma área junto à Ermida de Nossa Senhora dos Remédios. Entretanto, a área anexa ao local onde seria implantado o forte era utilizada para a referida feira.

Em posição dominante sobre o vale Baralhas, integrava o denso conjunto de fortificações que controlava o nó de comunicações da Malveira/Venda do Pinheiro, onde se cruzavam as estradas que ligavam Mafra a Lisboa e Torres Vedras a Lisboa. Erguido em 1809, o seu número de obra foi 66º.

À época do conflito, encontrava-se guarnecido por 350 homens das milícias portuguesas, contando com quatro peças de artilharia do calibre 9, com alcance de carca de 2200 metros. Administrativamente encontrava-se compreendida no Distrito nº 6, com quartel-general em Mafra, e jurisdição desde aquela cidade até ao oceano Atlântico.

A área foi objeto de recuperação e inaugurada ao público em 13 de agosto de 2002.

Através de uma campanha de prospecção arqueológica, graças aos esforços conjuntos da Junta de Freguesia da Malveira, da Direção de Infra-estruturas do Exército e do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (IGESPAR), com fundos do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu, em 2010-2011 foi possível identificar uma construção complexa que integra estruturas em alvenaria e madeira nas áreas mais importantes da fortificação, a saber: entrada, paiol e canhoneiras.

Foi reaberto ao público em 7 de julho de 2011 dentro do escopo do projeto "Rota Histórica das Linhas de Torres".[1][2]

CaracterísticasEditar

O forte apresenta planta no formato de um polígono estrelado com sete pontas, com seis canhoneiras no lado oposto à entrada, defendido por um fosso com cerca de quatro metros de profundidade. O paiol, ao centro do conjunto, apresenta planta retangular, erguido em aparelho de pedra revestido por argamassa e recoberto por telhado de duas águas, revestido por oma estrutura de terra com camadas compactadas. O acesso ao seu interior era feito por uma rampa.

Referências

  1. Forte da Malveira e Homenagem à Embaixadora da Noruega[ligação inativa] in MafraHoje.pt 14 jul 2011. Consultado em 21 dez 2011.
  2. Malveira: Forte da Feira inaugurado a 7 de Julho in rcmafra.com. Consultado em 21 dez 2011.

Ver tambémEditar

Ligações externasEditar

  • Forte in Junta de Freguesia da Malveira
 
Ajude a melhorar este artigo sobre Arquitetura ilustrando-o com uma imagem. Consulte Política de imagens e Como usar imagens.