Frederico de Canossa

Bonifácio Frederico, mais conhecido como Frederico (c.1040 - Florença, julho de 1055) foi um Marquês da Toscana, que governou entre 1052 e 1055.

Frederico da Toscana
Marquês da Toscana, Duque de Espoleto, Senhor de Modena, Ferrara, Régio, Bréscia e Mântua
Brasão da família Canossa
Reinado 6 de maio de 1052 - julho de 1055
(sob regência de Beatriz da Alta Lorena-Bar e Godofredo III da Baixa Lorena)
Antecessor(a) Bonifácio IV
Sucessor(a) Matilde I
Dinastia Canossa
Nome completo Bonifácio Frederico de Canossa
Nascimento 1040
  Itália
Morte julho de 1055
  Florença, Toscana, Itália
Pai Bonifácio IV da Toscana
Mãe Beatriz da Alta Lorena-Bar

Família e primeiros anosEditar

Frederico era filho de Bonifácio de Canossa, chamado de "Tirano", o único herdeiro da dinastia Canossa, um descendente direto de Adalberto Atto (ou Atto), fundador da Casa de Attoni. governador de Régio da Emília, Modena, Mântua, Bréscia e Ferrara e de grandes estados nos Apeninos, Lombardia e na Emília-Romanha. A mãe, Beatriz de Bar, pertencia a uma das famílias mais nobres imperiais estreitamente relacionadas com o Ducado da Suábia, o Ducado de Borgonha, e com os Imperadores Henrique III e Henrique IV, dos quais Frederico era respetivamente sobrinho e primo em primeiro grau, bem como o Papa Estêvão IX.

O governo sob a custódia da mãeEditar

 
Miniatura da obra Vita Mathildis que representa Beatriz de Bar, mãe e regente de Frederico.

Após o assassinato do pai, a 6 de maio de 1052, ascendeu ao trono. Como era, porém, menor de idade (contava então com 12 anos), a sua mãe exerceu a regência. Deste modo, para proteger o condado de ofensivas militares contra as quais não poderia batalhar, a viúva Beatriz casou-se novamente, desta vez com um primo, Godofredo III, Duque da Baixa Lorena, que era da Alta Lorena antes de se rebelar contra Henrique III, Sacro Imperador Romano-Germânico. O casamento ocorreu em 1053 ou 1054 na Igreja de São Pedro em Mântua, celebrado pelo próprio Papa Leão IX aquando do seu retorno de uma viagem que fizera à Alemanha. Henrique III, enfurecido pelo casamento de Beatriz com seu inimigo, viajou para Itália na primavera de 1055, chegando a Verona em abril e a Mântua duranta a Páscoa. Beatriz escreveu-lhe para lhe pedir passagem segura para que se pudesse explicar. Perante a concordância do Imperador, ela seguiu com Frederico, e com a sua mãe Matilde da Suábia, a irmã da avó do imperador, Gisela da Suábia, para Florença. Inicialmente, Henrique recusou-se a ver Beatriz, aprisionando-a em condições lamentáveis, enquanto Frederico foi tratado apropriadamente.).[1] Porém, acabou por morrer em cativeiro. A sua morte fez de Matilde, sua irmã, a única herdeira das vastas terras do seu pai, que ainda muito teria que batalhar para conseguir herdar e governar todo o seu património sozinha.

Morte e LegadoEditar

Frederico faleceu no cativeiro do Imperador Henrique III, em julho de 1055, com apenas 15 anos de idade e sem qualquer descendência. Deixou à sua irmã todo o legado que o seu pai lhe deixara. Esta, com 9 anos apenas, continuou sob custódia do padrasto, Godofredo III, Duque da Baixa Lorena, e do meio-irmão e marido, Godofredo IV, Duque da Baixa Lorena, seu meio-irmão, filho de Godofredo III.

Referências

  1. Duff, 35 and n1.

Referências bibliográficasEditar

Precedido por:
Bonifácio IV
 
Marquês da Toscana, Senhor de Modena, Ferrara, Régio, Bréscia e Mântua
(sob regência de Beatriz da Alta Lorena-Bar e Godofredo III da Baixa Lorena)

6 de maio de 1052 - julho de 1055
Sucedido por:
Matilde I
(até 1076 sob regência de Beatriz da Alta Lorena-Bar, Godofredo III da Baixa Lorena e Godofredo IV da Baixa Lorena)
 
Duque de Espoleto
(sob regência de Beatriz da Alta Lorena-Bar e Godofredo III da Baixa Lorena)

6 de maio de 1052 - julho de 1055
Sucedido por:
Parte do Papado
1056-1057

Titular seguinte:
Godofredo III da Baixa Lorena