Abrir menu principal
Frente Noroeste
RIAN archive 594949 North-Western Front. Shooting at the enemy.jpg
Soldados da Frente Noroeste em ação (10 de outubro de 1942)
País  União Soviética
Tipo de unidade Grupo de exércitos
Ramo Exército Vermelho
História
Guerras/batalhas Segunda Guerra Mundial

A Frente Noroeste (em russo: Северо-Западный фронт) foi uma formação militar do Exército Vermelho durante a Guerra de Inverno e a Segunda Guerra Mundial. Inicialmente criada no quadro da Guerra de Inverno, em que atuou com o 7º e o 13º exércitos soviéticos, ela foi recriada em 22 de junho de 1941, no primeiro dia da Operação Barbarossa, a partir do Distrito Militar Especial do Báltico.[1] No dia 22 de junho do mesmo ano, a frente consistia dos 8º, 11º e 27º exércitos, bem como do 5º Corpo Aerotransportado e do estado-maior do 65º Corpo de Infantaria.[2]

Durante sua participação na Segunda Guerra Mundial, a Frente Noroeste sofreu baixas de mais de 2 milhões de homens, entre mortos e feridos.[3] Em 19 de novembro de 1943, ela foi reorganizada como a Segunda Frente Báltica.

Segunda Guerra MundialEditar

1941Editar

No verão de 1941, todas as tropas da frente, comandadas pelo Coronel-general Fiodor Kuznetsov, estavam envolvidas em intensos combates nas repúblicas bálticas e nas proximidades e nos arredores de Leningrado. Durante os primeiros dezoito dias da guerra, os exércitos soviéticos recuaram mais de 450 km em direção à Rússia. Em 14 de julho, o 11º Exército soviético liderou uma bem sucedida contra-ofensiva, de Utogrosh e do distrito de Dno até Sitnia e Soltsi, na qual as tropas alemãs (em particular a 8ª Divisão Panzer) sofreram pesadas perdas e tiveram de recuar. As forças soviéticas tomaram Soltsi em 16 de julho, e o avanço alemão para Leningrado e Novgorod foi interrompido por algum tempo. Essa ofensiva teve um forte efeito sobre o moral das tropas soviéticas. Não obstante, as tropas alemãs foram reagrupadas e reforçadas e, em 12 de agosto, recomeçaram sua ofensiva e mudaram-se para Novgorod, que foi tomada em 19 de agosto.

Em Staraia Russa o combate começou em julho, e em agosto nas ruas da cidade, que foi tomada em 9 de agosto, após a retirada do 11º Exército. As forças soviéticas do 34º, 27º e 11º Exércitos lideraram uma contra-ofensiva e chegaram aos subúrbios de Staraia Russa em 12 de agosto, mas, totalmente esgotados, não conseguiram manter seu sucesso.

No outono, a Frente Noroeste estava localizada em um ponto crucial do combate, entre Moscou e Leningrado, cobrindo as vitais Colinas de Valdai, das quais o flanco norte do Grupo de Exércitos Centro da Wehrmacht podia ser ameaçado. As tropas soviéticas estabeleceram uma defesa entre o lago Ilmen e o lago Seliger, e não deixaram os alemães tomarem a estação ferroviária entre as Colinas de Valdai e Bologoie, que ligava Leningrado a Moscou.

Mais tarde, em 1941, a Frente de Volkhov foi criada para cobrir o setor ao norte do lago Ilmen até o lago Ladoga. A principal tarefa da Frente Noroeste passou a ser recapturar o centro de comunicações de Staraia Russa, em uma luta que durou 880 dias. Foram executadas duas operações militares estratégicas e regulares, que foram mal sucedidas e muito custosas.

1942Editar

Em 1942, a Frente participou do Bolsão de Demiansk (também chamado Saliente de Demiansk; em alemão: Festung Demjansk e Kessel von Demjansk; em russo: Демя́нский котёл), que compreendeu o cerco de tropas alemãs pelo Exército Vermelho perto de Demiansk, parte da Operação Ofensiva de Demiansk (7 de janeiro de 1942 - 20 de maio de 1942). Sua intenção era romper a ligação entre as posições alemãs de Demiansk e a ferrovia de Staraia Russa, que formava as linhas de comunicação do 16º Exército alemão. No entanto, devido ao terreno pantanoso e coberto de pesada neve, o avanço inicial da frente foi muito modesto.

Em 8 de janeiro de 1942, iniciou-se uma nova Operação Ofensiva Estratégica Rjev-Viazma, que incorporou os objetivos da frente à Operação Ofensiva Toropets-Kholm (9 de janeiro de 1942 - 6 de fevereiro de 1942), que envolveu o II Corpo de Exército do 16º Exército alemão (Generaloberst Ernst Busch) e partes do X Corpo de Exército (General der Artillerie Christian Hansen) durante o inverno 1941-1942.

No total, cerca de 90.000 soldados alemães e 10.000 auxiliares foram cercados. Seu comandante era o General der Infanterie Walter Graf von Brockdorff-Ahlefeldt, comandante do II Exército.

Ofensivas da Frente NoroesteEditar

A Ofensiva da Frente Noroeste foi planejada para circundar todo o flanco norte das forças do 16º Exército alemão, das quais o II Corpo do Exército era apenas uma pequena parte.

A primeira investida foi feita pelo 11º Exército, 1º Exército de Choque e 1º e 2º corpos de Infantaria da Guarda, destacados da Reserva do Alto Comando Supremo (Reserva da Stavka) para esta operação. Um segundo impulso foi executado em 12 de fevereiro, pelos 3º e 4º exércitos de Choque da Frente de Kalinin, com o plano adicional de atacar diretamente as forças alemãs cercadas, por meio de duas brigadas aéreas apoiando o avanço do 34º Exército soviético. Contudo, a frente logo atrasou-se, devido ao esgotamento das tropas, terrenos difíceis e o mau tempo.

A Frente Noroeste buscou com crescente afinco acabar com o bolsão alemão, e durante o inverno e a primavera ela lançou uma série de ataques ao "corredor Ramushevo", que passando pela aldeia de Ramushevo e formava um tênue elo entre Demiansk e Staraia Russa. Contudo, ela foi repetidamente repelida pelos alemães. No total, cinco exércitos soviéticos, compostos por 18 divisões de infantaria e três brigadas engajaram-se ali, ao longo de 4 meses. Contudo, no final de maio, a Stavka reconsiderou a situação geral no setor da frente, e decidiu voltar sua atenção para o setor de Moscou, onde uma nova ofensiva alemã era esperada para o verão.

1943Editar

Uma das tentativas mais bem-sucedidas de recuperar terreno na região de Staraia Russa foi a Operação Toropets-Kholm, liderada pelo general Pavel Kurochkin. Somente após a vitória em Stalingrado foi possível ao Exército Vermelho conduzir a Operação Estrela Polar, de 12 a 26 de fevereiro de 1943, que recuperou 302 assentamentos na região. Em 19 de novembro de 1943, a Frente Noroeste foi renomeada como Segunda Frente Báltica.

Referências

  1. A linha de frente do Istmo da Carélia, 1 de fevereiro de 1940
  2. «Soviet Union: Northwestern (Baltic) Front June 22, 1941 - Order of Battle». Arquivado do original em 28 de novembro de 2010 
  3. David Glantz, Stumbling Colossus: The Red Army on the Eve of World War, University Press of Kansas, 1996, Appendix A: Red Army Order of Battle

Ligações externasEditar