Abrir menu principal

Friedrich von Huene

professor académico alemão
Question book-4.svg
Esta página cita fontes confiáveis e independentes, mas que não cobrem todo o conteúdo (desde julho de 2019). Ajude a inserir referências. Conteúdo não verificável poderá ser removido.—Encontre fontes: Google (notícias, livros e acadêmico)
Friedrich Richard von Hoinigen
Friedrich von Huene (esquerda) com um esqueleto de Dicinodonte Stahleckeria na Universidade de Tübingen.
Conhecido(a) por Friedrich von Huene
Nascimento 22 de março de 1875
Tübingen
Morte 4 de abril de 1969 (94 anos)
Tübingen
Residência Tübingen
Nacionalidade Alemanha
Campo(s) Paleontologia

Friedrich Richard von Hoinigen (Tubinga, 22 de março de 1875 - Tubinga, 4 de abril de 1969) foi um paleontólogo alemão que renomeou vários dinossauros no início do século XX. Ele também fez contribuições importantes sobre vários vertebrados permo-carboníferos.

BiografiaEditar

Huene nasceu em Tübingen, no reino de Württemberg. Suas descobertas incluem os esqueletos de mais de 35 indivíduos do Plateossauros em Trossingen, os primeiros proto-dinossauro Saltopus em 1910, Proceratosaurus em 1926, o gigante Antarctosaurus em 1929, e muitos outros animais como Pterossauros. Ele também foi o primeiro a descrever várias táxons superiores, incluindo Prosauropoda e Sauropodomorfos.

Ele visitou o Geoparque de Paleorrota em 1928, onde coletou o Prestosuchus chiniquensis, em 1938.

Ele também estudou vários vertebrados Permo-Carboníferos e Triássicos, incluindo membros de vários clados, como Temnospondyli,[1] Synapsida,[2][3][4] e Sauropsida.[5][6] Em seu trabalho sobre os mesossauros,[6] Huene indicou que a presença de uma menor fenestra temporal (como em sinapsídeos), uma interpretação posteriormente rejeitada por muitos trabalhadores subsequentes;[7][8] contudo, confirmada recentemente.[9]

Uma nova espécie basal de sauropodomorfo, o Lufengosaurus huenei, recebeu o nome de von Huene em 1941. Liassaurus huenei, um terópode carnívoro primitivo, recebeu esse nome em 1995, embora seja inválido e considerado informal.

Referências

  1. Huene, Friedrich von (1910). «Neubeschreibung des permischen Stegocephalen Dasyceps bucklandi (Lloyd) aus Kenilworth». Geologische und Paleontologische Abhandlungen. 8: 325–338 
  2. Huene, Friedrich von (1905). «Pelycosaurier im deutschen Muschelkalk». Neues Jahrbuch für Mineralogie, Geologie und Paläontologie. 20: 321–353 
  3. Huene, Friedrich von (1908). «Neue und verkannte Pelycosaurier-Reste aus Europa». Centralblatt für Mineralogie, Geologie und Paläontologie. 14: 431–434 
  4. Huene, Friedrich von (1925). «Ein neuer Pelycosaurier aus der unteren Permformation Sachsens». Geologische und Paleontologische Abhandlungen. 18 (Neu Folge 14): 215–264 
  5. Huene, Friedrich von (1912). «Die Cotylosaurier der Trias». Palaeontographica. Abteilung A. Palaeozoologie-Stratigraphie. 59: 69–102 
  6. a b Huene, Friedrich von (1940). «Osteologie und systematische Stellung von Mesosaurus». Palaeontographica. Abteilung A. Palaeozoologie-Stratigraphie. 92: 45–58 
  7. Modesto, S.P. (1999). «Observations of the structure of the Early Permian reptile Stereosternum tumidum Cope». Palaeontologia Africana. 35: 7–19 
  8. Rossmann, T.; Maisch, M. W. (1999). «Das Mesosaurier-Material in der Bayerischen Staatssammlung für Paläontologie und Historische Geologie: Übersicht und neue Erkenntnisse». Mitteilungen der Bayerischen Staatssammlung für Plaäontologie und Historische Geologie. 39: 69–83 
  9. Piñeiro, G.; Ferigolo, J.; Ramos, A.; Laurin, M. (2012). «Cranial morphology of the Early Permian mesosaurid Mesosaurus tenuidens and the evolution of the lower temporal fenestration reassessed». Comptes Rendus Palevol. 11 (5): 379–391. doi:10.1016/j.crpv.2012.02.001