Abrir menu principal
Corações Unidos do Amarelinho
Bandeira do GRES Corações Unidos do Amarelinho.png
Fundação 18 de janeiro de 1995 (24 anos)
Cores
Símbolo Dois corações com pombos dentro
Bairro Irajá
Presidente Marco Antônio Silva
Desfile de 2018
Enredo Etnia Terena, a Tribo que o Corações Unidos se Encantou e Hoje Vem Contar Sua Trajetória e Seus Progressos
Posição de desfile Primeira escola a desfilar no dia 11/02/2018
coracoesunidos.no.comunidades

Grêmio Recreativo Escola de Samba Corações Unidos do Amarelinho é uma escola de samba do Rio de Janeiro, fundada a 18 de janeiro de 1995. É oriunda do Complexo do Amarelinho do Irajá. Foi criada como bloco de enredo e já chegou a terceira divisão do carnaval carioca.[1]

Índice

HistóriaEditar

Após sua trajetória como bloco de enredo, que lhe rendeu dois campeonatos pelo Grupo 3 (1998) e (2002) e um do Grupo 2 (2004) da Federação dos Blocos, em 2005, a entidade decidiu virar escola de samba. Fez seu teste no Carnaval seguinte, sendo aprovada na avaliação da AESCRJ. Assim, passou a integrar o Grupo de acesso E em 2006. Nesse ano a escola chegou ao vice-campeonato, ascendendo para o Grupo de acesso D (quinta divisão) a qual venceu em 2007.

Em 2008, alcançou a terceira colocação no grupo de acesso C, o que lhe garantiu o direito de desfilar no grupo B, na Marquês de Sapucaí, no carnaval 2009.

Na sua estreia na Sapucaí, a escola do Irajá mostrou o enredo O grito de amor e rebeldia de uma pátria livre, de autoria do carnavalesco Humberto Abrantes. O enredo falava sobre a história do Hino Nacional Brasileiro, e sua sinopse também fazia referências a versões anteriores e alternativas da canção. Terminando na 13ª colocação (última) com 233,5 pontos, acabou sendo uma das três rebaixadas para 2010.

No seu retorno à Intendente, a escola homenageou o radialista Fernando Ribeiro. O comediante ajudou no grito de guerra e desfilou junto com a escola, que foi a décima segunda da noite de domingo, e foi uma das mais festejadas, até pelo próprio enredo. Nesse ano, a escola contou com Aline Silva como rainha de bateria [2] e Wilson Jose dos Santos como presidente. Apesar do desfile que levantou o público, a escola terminou na 10º colocação, permanecendo no mesmo grupo, para 2011.

Antes do carnaval de 2011, a escola elegeu seu novo presidente: Antônio Carlos Rimas, o Toquinho. como carnavalesco, foi anunciado Renato Bandeira. que levou para a escola um enredo parecido com o mesmo que lançou na escola Nova Brasília, de Nova Iguaçu. no carnaval de 2010, cognominado A vida é um jogo. E no jogo da vida eu sou o Rei!. foi a 14º colocada, sendo rebaixada para o Grupo de acesso C. e em 2013, onde seguiu-se novamente, o rebaixamento, dessa vez para o D. após perder 5 pontos em obrigatoriedades. Depois do carnaval 2015, fundiu-se com a vizinha Favo de Acari dando origem à Corações Unidos do Acari.

A Escola em 2017 retornou as suas atividades, pois a Corações Unidos do Favo de Acari foi extinta após durar apenas um carnaval pela união das escolas de samba Favo de Acari e Corações Unidos do Amarelinho. Hoje, a Azul e Amarelo de Irajá volta a desfilar na passarela da Intendente Magalhães assim como a Verde, Rosa e Ouro de Acari. mas em 2018 novamente se fundiu dessa vez com a Acadêmicos do Jardim Bangu, para se originar a Corações Unidos do Jardim Bangu.

 
O Commons possui uma categoria contendo imagens e outros ficheiros sobre Corações Unidos do Amarelinho

SegmentosEditar

PresidentesEditar

Nome Mandato Ref.
sem dados 1995-2005 [3]
Antônio Carlos Rimas "Mestre Toquinho" 2006 [3]
Ricardo Fradique Porto 2007-2009 [3]
Wilson Jose dos Santos 2010 [3]
Antônio Carlos Rimas "Mestre Toquinho" 2011 [3]
Ayrton da Silva "Bigail" 2012-2015 [3]
Marco Antônio Silva 2016-atual

DiretoresEditar

Ano Diretor de Carnaval Diretor de harmonia Mestre de bateria Ref.
2014 Valdir Martins Ailton Cebolinha [4]
2015 Valdir Martins Ailton Cebolinha [4]
2017 Valdir Martins Ailton Jobinha

IntérpretesEditar

Período Intérprete oficial Referência
2006–2007 Dário Lima [1]
2008 Gilson Bacana [1]
2009–2010 Robson Moreira [1]
2011–2013 Waguinho da Portela [1]
2014 Gonzaguinha [1]
2015 Briendo [1]
2017 Fogueira [1]

CoreógrafoEditar

Ano Nome Ref.
Dino Cruz 2014

Mestre-sala e Porta-bandeiraEditar

Ano Nome Ref.
2011 Willian Miranda e Kyane Cristina
2014 Wagner Souza e Carla Santos
2017 Anderson e Priscila

Corte de bateriaEditar

Rainha Período Ref.
Thamires 2006-2008
Aline Silva 2009-2013
Natalia Cabral 2014-2015
Amanda Gemaque 2017-

CarnavaisEditar

Corações Unidos do Amarelinho
Ano Colocação Grupo Enredo Carnavalesco Ref.
2006 Vice-campeã Grupo E "Do Pinóquio ao vídeo game: O Amarelinho conta a história dos brinquedos"
(Samba-enredo composto por Fogueira, Turco, Wilson, Barata e Almir)
Nelson Costa [1]
2007 Campeã Grupo D "Isto aqui, ô ô... É um pouquinho do Brasil, iá iá..." Nelson Costa
2008 3.º Lugar Grupo C "Olumarê: das profundezas da terra ao sopro da vida" Sandro Gomes
2009 13.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo RJ-1 "O grito de amor e rebeldia de uma pátria livre"
(Samba-enredo composto por Claudio Russo, Pinto, Rudy e Diego Chocolate)
Humberto Abrantes [1]
2010 10.º Lugar Grupo RJ-2 "Fernando Ribeiro, grande brasileiro irreverente e brincalhão, que faz o povo sorrir. Vocês viram o Cabeção por aí?" Fátima Siqueira [1]
2011 14.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo C "A vida é um jogo. E no jogo da vida eu sou o Rei!"
(Samba-enredo composto por Dudu Senna e Gugu Souza)
Renato Bandeira [1]
2012 6.º Lugar Grupo D "A força da nossa união"
(Samba-enredo composto por Briendo, Dário Lima, Elson Pinheiro e Paulinho)
Renato Bandeira [1]
2013 12.º Lugar
(Rebaixada)
Grupo C "Caramuru"
(Samba-enredo composto por Sidinho, Samuka, Paulo Martins, Licínio Simpatia, Felipe Pinto e Carlinhos do Cavaco)
Renato Bandeira [5][1]
2014 7.º Lugar Grupo D "Irajá de cabo a rabo"
(Samba-enredo composto por Robson do Cavaco, Marcelo Barata, Gonzaguinha, Oliveira do Chapéu, Pedrinho Total, Dudu do Cavaco e Felipe Pinto)
André Tabuquine [6][1]
2015 5.º Lugar Série D "Gentileza: profeta, poeta, gênio e louco todo mundo tem um pouco!" Renato Bandeira
Em 2016 , fundiu-se com a Favo de Acari, desfilando como Corações Unidos do Favo de Acari
2017 3.º Lugar Série E "Nas histórias dos antigos carnavais da vovó, vista sua fantasia e caia na folia" Sidney Rocha
Em 2018, fundiu-se com a Acadêmicos do Jardim Bangu, desfilando como Corações Unidos do Jardim Bangu

PremiaçõesEditar

Prêmios recebidos pelo GRES Corações Unidos do Amarelinho.

Ano Prêmio Categoria / premiados Divisão Ref.
2006 Troféu Jorge Lafond Vice-campeã do Grupo E Grupo E [7]
2007 Troféu Jorge Lafond Melhor escola Grupo D [8]
Samba-enredo ("Isto aqui, ô ô... É um pouquinho do Brasil, iá iá...")
Ala mirim
Personalidade (Ricardo Fradique Porto)
2008 Troféu Jorge Lafond Casal de Mestre-sala e Porta-bandeira (Whiston Santos Gonçalves e Rosilane Gonçalves Coutinho) Grupo C [9]

Referências

  1. a b c d e f g h i j k l m n o «Amarelinho». Samba Rio Carnaval. Consultado em 4 de novembro de 2010 
  2. «Amarelinho fez festa na Cassamba». Esquina do Samba. Consultado em 8 de maio de 2010 
  3. a b c d e f Academia do Samba. «Diretoria». Consultado em 26 de maio de 2014 
  4. a b Marques da Folia. «Corações Unidos do Amarelinho renova com Mestre Cebolinha». Consultado em 25 de agosto de 2014. Arquivado do original em 25 de agosto de 2014 
  5. Corações Unidos do Amarelinho escolhe samba campeão
  6. Marquês da Folia. «Emntrevista - André Tabuquine». Consultado em 6 de maio de 2013 
  7. «Troféu Jorge Lafond 2006». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  8. «Troféu Jorge Lafond 2007». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 20 de junho de 2016 
  9. «Troféu Jorge Lafond 2008». www.academiadosamba.com.br. Consultado em 24 de junho de 2016