Disambig grey.svg Nota: Para outros significados, veja Gaivota (desambiguação).

As gaivotas[1] são aves marinhas da família dos Larídeos e sub-ordem Lari. A maior parte das gaivotas pertence ao grande género Larus. São próximas das gaivinas e estão mais distantes das limícolas, airos e rabos-de-palha.

Como ler uma infocaixa de taxonomiaGaivotas
Western gull larus occidentalis 4908.jpg
Classificação científica
Reino: Animalia
Filo: Chordata
Classe: Aves
Ordem: Charadriiformes
Família: Laridae
Géneros
Ver texto.

Nomes comunsEditar

Além de «gaivota», dá ainda pelos seguintes nomes comuns: falcoeira[2] e galfoeira.[3]

EtimologiaEditar

O nome «gaivota» provém do étimo latino gavia[4] com sufixação em -ota,[5] para conferir sentido de diminutivo.[1]

O nome «galfoeira»[3] resulta de corruptela de «falcoeira»; ao passo que «falcoeira»[2] deriva de «falcão».

CaracterísticasEditar

 
Gaivota comum a planar na Praia de Nazaré, em Portugal

São, regra geral, aves médias, tipicamente cinzentas ou brancas, muitas vezes com marcas pretas na cabeça ou asas. Têm bicos fortes e compridos e patas com membranas.

A maioria das gaivotas, particularmente as espécies de Larus, fazem o ninho no solo e são omnívoras, e comem comida viva ou roubam alimento conforme surja a oportunidade.

Com excepção das gaivotas-tridáctilas, as gaivotas são espécies tipicamente costeiras ou de interior, e raramente se aventuram em mar alto. As espécies de maiores dimensões levam até quatro anos a atingirem a plumagem completa de adulto, mas as espécies menores normalmente apenas dois anos.

PortugalEditar

A maior concentração de gaivotas encontra-se na região metropolitana do Porto.[6] Com efeito, de acordo com um estudo de 2021 do Censo Nacional da Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves, crê-se que a população de gaivotas na área metropolitana do Grande Porto ronde entre 1186 e 1626. Assere-se nesse estudo que a maioria se encontra instalada na cidade do Porto, sendo certo que Matosinhos e Gaia também manifestam considerável preponderância desta ave.[6]

Subsegue-lhe o distrito de Lisboa e depois deste o de Leira.[7]

Sendo que, em todo o caso, os distritos de Faro, Setúbal, Viana do Castelo e Coimbra também exibem números consideráveis.[7]

GénerosEditar

Referências

  1. a b Infopédia. «gaivota | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Porto Editora. Consultado em 11 de março de 2022 
  2. a b Infopédia. «falcoeira | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Porto Editora. Consultado em 11 de março de 2022 
  3. a b Infopédia. «galfoeira | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Porto Editora. Consultado em 11 de março de 2022 
  4. «gavia - WordSense Dictionary». www.wordsense.eu (em inglês). Consultado em 11 de março de 2022 
  5. Infopédia. «-ota | Dicionário Infopédia da Língua Portuguesa». Infopédia - Porto Editora. Consultado em 11 de março de 2022 
  6. a b Castro, Adriana (11 de Março de 2022). «Grande Porto é a região com mais gaivotas no país». www.jn.pt. Consultado em 11 de março de 2022 
  7. a b Sequeira, Inês (20 de Setembro de 2021). «Um terço das gaivotas-de-patas-amarelas já fazem ninho em vilas e cidades - Wilder». www.wilder.pt. Consultado em 11 de março de 2022 

BibliografiaEditar

Outros projetos Wikimedia também contêm material sobre este tema:
  Imagens e media no Commons
  Diretório no Wikispecies